Telefonia

Por Rodrigo Roddick, para o TechTudo

Reprodução/Larissa Infante

As reclamações sobre a banda larga da Claro aumentaram 90% no primeiro semestre deste ano, na comparação com o segundo semestre de 2019. Foi o acréscimo mais expressivo do relatório periódico da Anatel. Como um todo, o serviço de internet fixa teve alta de queixas da ordem de 40%. O órgão afirma que o movimento está relacionado com a adoção do home office em meio à pandemia do novo coronavírus.

O documento também trouxe avaliações dos serviços de telefonia celular no pós-pago e pré-pago, telefone fixo e TV por assinatura. As queixas foram medidas por meio do índice de reclamações (IR) a cada mil assinantes. Quanto maior a pontuação, pior o desempenho da prestadora.

Lentidão na velocidade é a principal reclamação dos consumidores — Foto: Reprodução/Anatel

Na categoria de banda larga fixa, a Claro teve mais de 131 mil casos documentados no primeiro semestre de 2020 contra 69 mil no semestre anterior, representando um IR de 8,89. As reclamações se relacionavam principalmente à qualidade do serviço no mês de março, período em que muitas pessoas começaram a trabalhar de casa.

Os clientes insatisfeitos criticaram a lentidão da velocidade e redução da conexão como o maior problema. A falta de conexão de dados e as cobranças que não faziam jus aos planos contratados também foram alvos de reclamações por parte dos consumidores. Em nota, a empresa disse que investiu na adequação da rede.

Dentre as quatro operadoras mais conhecidas, a Claro ficou no topo com um aumento de 90%, seguida pela TIM (33%), Vivo (10%) e Oi (5,3%). Nenhuma delas registrou queda nesta categoria.

Internet fixa e serviço pré-pago apresentam maior aumento nas reclamações — Foto: Reprodução/Anatel

Em segundo lugar, o serviço de telefonia pré-pago apresentou 228 mil queixas de insatisfação. As reclamações da categoria representaram aumento de 20% em relação ao semestre anterior e as principais queixas foram bloqueio, suspensão e cancelamento indevidos do serviço.

As operadoras de telefonia também registram aumento nas reclamações no serviço pré-pago. A Claro novamente liderou o ranking, marcando 48%, seguida pela Vivo (18%), TIM (16%) e Oi (3,3%).

Claro teve o maior aumento também na categoria de telefonia pré-paga — Foto: Caroline Parreiras/TechTudo

Já os demais serviços tiveram queda no volume de queixas. Ainda assim, a modalidade de pós-pago foi a categoria que apresentou o maior número de reclamações com mais de 497 mil casos. No entanto, o índice foi menor que o primeiro e o segundo semestre de 2019.

Os serviços que apresentaram maior queda foram TV por assinatura, com pouco mais de 153 mil casos (-10%), e telefonia fixa, que marcou 241 mil novos casos, diminuindo 9,3% em relação ao segundo semestre de 2019 e 26,8% em comparação ao primeiro semestre de 2019.

Posicionamento da Claro

A equipe de comunicação da Claro enviou a seguinte nota às 17h56:

"A Claro esclarece que não é possível fazer comparações precisas com o mesmo período no ano passado diante do cenário atual de pandemia, que gerou uma migração brusca de tráfego de dados dos escritórios para as residências, movida principalmente pela adoção do trabalho e educação remotos, além do fenômeno das lives. A Claro, com a maior base de clientes de banda larga do país, enfrentou o desafio com agilidade e investiu na adequação da rede, garantindo o atendimento para que todos se mantivessem conectados neste período. Por fim, justamente por ser líder, com 30% do mercado, a Claro reforça que não se pode considerar números absolutos para fins comparativos."

Com informações da Anatel (1/2)

Mais do TechTudo