Segurança

Por Ana Letícia Loubak, para o TechTudo


Torrents do filme "Mulan", versão live-action da clássica animação da Disney, estão sendo usados para espalhar conteúdo malicioso na Internet. A descoberta foi divulgada na última segunda-feira (21) pela ESET, que detectou mais de 18 mil arquivos com o nome do longa que contêm ameaças à segurança dos dispositivos, como códigos maliciosos para minerar criptomoedas e até links direcionando para páginas infectadas.

Lançado em 4 de setembro no Disney+, serviço de streaming que só chega ao Brasil em 17 de novembro, "Mulan" entrou para o ranking dos filmes mais pirateados nas últimas semanas. Dados do site TorrentFreak, que divulga listas semanais com os filmes mais baixados em sites de torrent, mostram que "Mulan" é a produção com maior número de downloads desde o lançamento no Disney+. Não demorou muito para que o aumento na procura pelo longa fosse acompanhado por um crescimento nas detecções de arquivos maliciosos que incluíam o termo "Mulan 2020" em torrents.

Mulan 2020: torrents de filme da Disney são usados para distribuir conteúdo malicioso — Foto: Divulgação/Disney

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

"Os usuários devem sempre ter em mente os riscos associados ao download deste tipo de conteúdo, uma vez que os cibercriminosos aproveitam momentos ou temas de grande interesse para distribuir diferentes códigos maliciosos. Embora existam torrents legítimos, essa tecnologia de distribuição de arquivos maliciosos não é uma prática nova", afirma Luis Lubeck, especialista em segurança da informação do Laboratório de Pesquisa da ESET América Latina.

As ameaças escondidas nos torrents incluem códigos maliciosos para minerar criptomoedas e arquivos com extensão LNK, tipo de ameaça relacionada a redirecionadores. A vítima pode ser redirecionada para sites de publicidade ou, nos casos mais graves, para páginas infectadas com malware.

Detecções de ameaças em arquivos torrent com o termo 'Mulan 2020' aumentaram após o lançamento do filme — Foto: Divulgação/ESET

Segundo o Google Trends, ferramenta que monitora pesquisas no buscador, o principal assunto relacionado às buscas pela palavra-chave "Mulan 2020" é "link magnético", que dispensa um servidor para intermediar o download de um arquivo. O site TorrentFreak atribui o sucesso da pirataria a uma mistura de três fatores: o preço relativamente alto cobrado pelo aluguel do filme na plataforma de streaming da Disney (US$ 30, cerca de R$ 163 em conversão direta); a baixa disponibilidade para locação (já que o Disney+ ainda não chegou a vários países) e a grande oferta de alternativas piratas em alta qualidade.

Veja também: quatro dicas para proteger suas informações online

Quatro dicas para proteger suas informações online

Quatro dicas para proteger suas informações online

Vale ressaltar que os dados fornecidos pela telemetria da ESET correspondem apenas à busca pelo termo "Mulan.2020". Isso significa que é possível que mais arquivos com conteúdo malicioso sejam detectados a partir da busca por outras palavras-chave que incluam o nome do filme sobre a guerreira chinesa.

"Em apenas quatro dias desde o lançamento oficial, foram detectados vários exemplos de códigos maliciosos que tentam capturar o interesse de suas vítimas usando o nome de um filme tão esperado, e é aqui que o usuário deve se concentrar e se conscientizar sobre os riscos aos quais está exposto durante o download de filmes ou outro conteúdo por meio de torrents", acrescenta Lubeck.

Qual melhor app para assistir filmes no Android? Descubra no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo