Celulares

Por Thássius Veloso, do home office

Divulgação/Samsung

A Samsung anunciou os detalhes da nova geração do smartphone dobrável Fold. O Galaxy Z Fold 2 ganhou uma superfície frontal completamente nova, agora com 6,2 polegadas. O aumento foi de 63% em relação ao Galaxy Fold original. Além disso, a empresa sul-coreana aumentou o display interno para 7,6 polegadas. Também subiu o preço para US$ 1.999 nos Estados Unidos, o que equivale a R$ 10.755 pelo câmbio do dia.

Uma edição especial em parceria com a grife Thom Browne sai pela bagatela de US$ 3.299, o que dá cerca de R$ 17.750. Consumidores começarão a recebê-lo em 18 de setembro.

Galaxy Z Fold 2, Note 20 e mais: veja quatro lançamentos da Samsung

Galaxy Z Fold 2, Note 20 e mais: veja quatro lançamentos da Samsung

O smartphone com Android 10 aposta num formato bem diferente do que nos acostumamos a ver em telefones. A tela externa é indicada para tarefas do cotidiano. Para quem precisa de mais espaço há o display interno que faz o Fold 2 se converter quase num tablet.

Consumidores poderão deixar o aparelho entreaberto sobre a mesa. Com isso, entra em cena o chamado Modo Flex, em que metade da tela flexível exibe as informações principais enquanto a metade de baixo traz dados secundários ou botões de controle. O mesmo recurso está no Galaxy Z Flip, o rival da Samsung para o Motorola Razr.

Galaxy Z Fold 2 tem tela externa de 6,2 polegadas — Foto: Divulgação/Samsung

A Samsung anunciou melhorias no sistema de continuidade de aplicativos. Isso significa que o usuário pode começar a escrever um email numa das telas e continuar na outra, após abrir/fechar o aparelho, sem perder o rascunho.

Também há a possibilidade de rodar várias instâncias de um mesmo app. Por exemplo, um artigo de Word na tela interna e um relatório também de Word no display externo.

Descubra cinco coisas sobre o Android 10

A fabricante encomendou uma pesquisa com usuários nos Estados Unidos e na Coreia do Sul. Cerca de 34% dos usuários de Fold aproveitam a exibição de dois apps simultaneamente contra 4% nos celulares convencionais. Donos de Fold de primeira geração veem 71% mais videoclipes e passam 35% mais tempo em games.

O Fold 2 não abre mão da ficha técnica de ponta. Ele traz processador de oito núcleos, memória RAM de 12 GB, bateria de 4.500 mAh, Bluetooth 5.0 e compatibilidade com internet 5G (sub 6 e mmWave). O armazenamento fica em 256 GB. Há slot para um chip físico de telefonia (SIM card) e compatibilidade com um chip digital (e-SIM).

Detalhe das câmeras na traseira do Galaxy Z Fold 2 — Foto: Divulgação/Samsung

Há uma série de câmeras espalhadas pelo modelo:

  • Na frente: 10 MP (f/2.2)
  • No interior: 10 MP (f/2.2)
  • Na traseira: ultra wide de 12 MP (f/2.2), wide de 12 MP (f/1.8) e teleojetiva de 12 MP (f/2.4)

São duas opções de cor: Bronze Místico e Preto Místico. A Samsung Brasil por ora não informou quais acabamentos devem desembarcar no mercado doméstico.

Galaxy Fold original (com capinha) no Rio de Janeiro — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

O Galaxy Fold original chegou às lojas do Brasil em janeiro pelo preço sugerido de R$ 12.999. Com isso, tornou-se o smartphone mais caro do país. Executivos da empresa costumam defender que o produto traz tecnologias completamente novas, a um custo mais elevado, o que faz subir o desembolso do consumidor. Ainda não se sabe quanto o sucessor irá custar por aqui, mas provavelmente continuará com números exorbitantes.

Mais do TechTudo