Notebooks

Por Paulo Alves, para o TechTudo


Chromebook é um computador que funciona com o sistema Chrome OS, do Google, e promete ser uma boa alternativa de custo-benefício em relação aos notebooks tradicionais. Enquanto os notebooks com o software da Google consomem menos energia e são mais baratos, as máquinas com Windows 10 são mais completas e não precisam de internet a toda hora para funcionar. Veja, a seguir, os principais prós e contras desses dois tipos de equipamentos e saiba qual é o mais indicado para seu perfil de uso.

Cinco dicas importantes antes de comprar um notebook

Cinco dicas importantes antes de comprar um notebook

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Chromebook

Prós

Preço baixo

Um Chromebook básico para o dia a dia costuma sair mais barato que um notebook do mesmo porte. Isso porque o sistema Chrome OS não exige especificações avançadas para rodar bem, o que ajuda a diminuir os custos de hardware. No Brasil, é possível encontrar modelos como o Acer Chromebook 11 N7 e o Samsung Chromebook 3 por cerca de R$ 1.500.

Os dois modelos contam com acesso à Google Play Store e configurações suficientes para entregar boa experiência de navegação na web, facilitar atividades de produtividade como criação de documentos e planilhas, além de edições simples de fotos e outras tarefas do dia a dia. Um laptop convencional com Windows nessa mesma faixa de preço costuma ser mais lento e oferecer menor durabilidade.

Chromebooks como o Acer N7 custam a partir de R$ 1.500 — Foto: Divulgação/Amazon

Leve e portátil

A economia nos componentes internos também ajuda a deixar o Chromebook mais leve e portátil. Os dois principais modelos à venda no Brasil pesam entre 1,3 e 1,6 kg, trazendo tela de apenas 11,6 polegadas. As dimensões permitem levar o computador em uma mochila pequena ou até uma bolsa sem muita dificuldade.

Em contrapartida, um notebook com Windows na faixa de R$ 1.500 pode até pesar o mesmo, mas em geral traz tela de 14 polegadas, como o Multilaser Legacy Cloud. Suas configurações, por outro lado, são inferiores. Um modelo com rapidez similar ao de um Chromebook tende a ser mais caro, maior e pesado, como o Samsung Book E20, por exemplo.

Modelos como o Chromebook Samsung 3 têm tela de apenas 11,6 polegadas — Foto: Divulgação/Samsung

Contras

Dependência da internet

Muitos recursos do Chromebook ainda dependem de internet. Se o usuário precisar de aplicativos para além de textos, planilhas e apresentações, por exemplo, estar conectado é praticamente uma obrigação. Isso se dá pela combinação de dois fatores: de um lado, editores de fotos e outros apps de produtividade para Chrome só funcionam na web; de outro, estão os aplicativos Android, que costumam preencher essa lacuna. Apesar disso, os apps exigem maior armazenamento, algo bastante limitado nas máquinas desse tipo.

Uma maneira de contornar o problema é usar um cartão de memória para instalar apps da Play Store. No entanto, é preciso liberar a expansão nas configurações do sistema e, em seguida, alterar o armazenamento padrão de cada aplicativo baixado.

Funções offline no Chromebook se restringem a algumas como a criação de textos — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Hardware inferior

As configurações dos Chromebooks à venda no Brasil são suficientes apenas para atividades básicas. Abrir sites, escrever textos e assistir a vídeos na Netflix e no YouTube, por exemplo, não deve ser um problema. No entanto, o computador pode começar a engasgar quando houver muitas abas abertas no navegador ou ao editar fotos pesadas. Tarefas mais exigentes, como editar vídeos e rodar jogos, são bastante limitadas.

A restrição tende a aparecer mais em apps Android. Programas que rodam de maneira leve em um celular intermediário podem travar no computador. Isso vale principalmente para games mobile, mas a lentidão também pode surgir em redes sociais como o Facebook. Nesse caso, é mais adequado usar as versões web e instalar apenas o necessário.

Notebook

Prós

Mais completo

Notebooks com Windows são mais adequados para quem precisa de um computador para trabalho. Eles rodam qualquer programa, inclusive os web apps para Chrome disponíveis para Chromebooks. Dessa maneira, o usuário tem mais flexibilidade para abrir arquivos de diferentes formatos e instalar praticamente qualquer programa utilizado em sua profissão. Laptops convencionais também são mais indicados para estudantes que precisam de softwares específicos, como programas estatísticos, por exemplo.

Windows 10 é um sistema mais completo que roda qualquer programa — Foto: Reprodução/Helito Bijora

Esse tipo de máquina costuma trazer ainda armazenamento de, pelo menos, 500 GB em HD, o que dá liberdade para instalar tudo localmente. Há, portanto, menos dependência de conexão sempre disponível – apesar de que opção com 256 GB em SSD, por exemplo, podem ganhar bastante com armazenamentos na nuvem.

Por outro lado, é importante ficar atento a modelos com memória de 32 GB ou 64 GB: essas capacidades são comuns em Chromebook, mas são insuficientes para rodar o Windows.

Mais opções de modelos

Os Chromebooks à venda no Brasil se restringem a alguns poucos modelos de Acer e Samsung, com poucas diferenças entre si. O caso é bem diferente com relação aos notebooks tradicionais, que oferecem um leque de modelos bem maior. É possível encontrar laptops com telas de 11,6 a 17 polegadas, armazenamentos que vão de 32 GB a 2 TB, em HD ou mesmo SSD, memória RAM de 2 GB a 64 GB, além de diferentes opções de design.

Essa variedade também está presente entre os mais baratos. Entre R$ 1.500 e R$ 2.200 é possível encontrar computadores com configurações mais ou menos avançadas para diferentes perfis, e até mesmo modelos 2 em 1, que giram a tela e transformam o computador em tablet.

Notebooks convencionais trazem mais opções para escolher — Foto: Divulgação/Multilaser

Contras

Autonomia

Notebooks podem ser mais potentes, mas dificilmente trazem boa duração de bateria no segmento de entrada. Modelos vendidos na faixa de R$ 1.500 costumam oferecer autonomia baixa, de cerca de 3 horas consecutivas, enquanto Chromebooks podem alcançar cerca de 5 horas de uso.

A diferença aumenta ainda mais no segmento de intermediários. O Lenovo Chromebook Flex 5, por exemplo, custa cerca de US$ 400 no exterior (aproximadamente de R$ 2.230). O modelo tem bateria de 10 horas, superando as 7 horas do Dell Inspiron 15 3000, que roda Windows e é vendido no Brasil por, aproximadamente, R$ 3,3 mil.

Bateria de computadores com Windows costumam durar menos que no Chromebook — Foto: Reprodução/Barbara Mannara

Sistema operacional mais pesado

O Windows 10 é um sistema operacional mais completo e que roda tudo, mas também é mais pesado que o Chrome OS. Em modelos baratos, o sistema demora mais a inicializar e precisa de mais tempo para voltar do modo de hibernação. O software do Google, por outro lado, sequer precisa ser desligado e está sempre disponível para uso imediatamente ao abrir a tampa. Entre os laptops com Windows, esse tipo de experiência só é oferecido por notebooks que custam pelo menos o dobro do preço.

O software da Microsoft também ocupa mais espaço no armazenamento. Em notebooks que trazem 32 GB de espaço, por exemplo, apenas cerca de 7 GB ou menos costumam ficar livres para uso. Em um Chromebook com a mesma capacidade, o armazenamento disponível pode ser facilmente o triplo desse valor.

Qual o melhor notebook para estudar e administrar uma loja online? Tire essa e outras dúvidas no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo