Celulares

Por Thássius Veloso, do home office

Reprodução/Apple

O carregador oficial da Apple para iPhone passou por uma redução de preço no Brasil: de R$ 219 para R$ 199, de acordo com o site da empresa. O movimento ocorre nos dias que antecedem o lançamento do iPhone 12 – marcado para 20 de novembro em território nacional.

Será a primeira vez que um celular da marca chega ao mercado sem carregador e sem fones de ouvido diretamente na caixa. Consumidores terão de comprá-los à parte caso não tenham de gerações anteriores do iPhone.

Carregador para a linha do iPhone 12 precisa ser compatível com USB-C — Foto: Reprodução/Apple

Entenda a confusão

Os novos modelos (tradicional, Mini, Pro e Pro Max) foram anunciados num evento internacional em 13 de outubro. A companhia causou polêmica e revolta de clientes ao informar que viriam sem os acessórios. Eles são acompanhados somente de um cabo com duas portas: USB Tipo C e Lightning.

De acordo com a Apple, a medida foi tomada como parte dos esforços para proteger o meio-ambiente. “As mudanças que fizemos para iPhone 12 e Apple Watch cortaram mais de 2 milhões de toneladas em emissões de carbono – o equivalente a remover 500 mil carros das estradas por ano – e esperamos que outros sigam o nosso exemplo”, diz a empresa em nota ao TechTudo.

E a solução

Na prática, a modificação significa que os consumidores precisarão optar por usar o carregador e o fio de dados/eletricidade do iPhone antigo ou adotar o novo fio de dados/eletricidade que acompanha o iPhone 12. Para isso, é preciso ter um carregador compatível com USB Tipo C. Somente as caixas do iPhone 11 Pro e do iPhone 11 Pro Max, de 2019 traziam um elemento neste formato. É um carregador que repõe a carga mais rapidamente.

Há ainda a opção de recorrer à recarga sem fio do MagSafe, uma tecnologia que tira proveito de ímãs na traseira do smartphone para plugar acessórios. A fabricante ainda não anunciou o preço do acessório no mercado brasileiro. Ele custa US$ 39 nos Estados Unidos, o que dá cerca de R$ 215. Mesmo nesta opção de migrar para um ambiente sem fio, cabe ao cliente ter ou comprar um carregador de tomada compatível.

Vale lembrar que a retirada dos itens não fez com que o iPhone 12 ficasse mais barato. Na verdade, alguns modelos ficaram até mais caros do que as edições equivalentes do iPhone 11, quando considerados os valores para smartphones desbloqueados nos Estados Unidos.

Fones fora

O preço dos fones de ouvido EarPods com conector Lighting não mudou: continuam sendo vendidos também por R$ 219 no site oficial. Com isso, fãs que pensam em migrar para iPhone 12 devem se preparar para desembolsar mais R$ 438 caso não tenham os demais apetrechos.

A decisão vale para todo o planeta, com exceção da França, onde a empresa ainda inclui fones de ouvido por exigência de uma lei local.

Fones de ouvido Apple também custam R$ 219 — Foto: Reprodução/Apple

O que diz a Apple

Confira a resposta na íntegra sobre a retirada dos carregadores. A medida também afeta o iPhone 11 e o iPhone XR.

“Na Apple, dedicamos nossos recursos e inovações para proteger o planeta que todos dividimos. Nós, que já somos carbono neutro em nossas próprias operações, lançamos uma meta ambiciosa no começo deste ano para nos tornarmos carbono neutro em toda a nossa cadeia de produção até 2030 - para que todo produto Apple vendido não tenha nenhum impacto de carbono.

Um dos passos no nosso caminho é reduzir os materiais usados nos produtos e embalagens. Com bilhões de adaptadores USB-A já em uso pelo mundo, nós decidimos não inclui-los com os iPhone e Apple Watch este ano. Os adaptadores de carregadores representam nosso maior uso de zinco e plástico. Eliminando eles da caixa, também conseguimos fazer embalagens menores e mais leves. E nós estamos fazendo uma transição de nossos parceiros de produção para que usem energias renováveis.

Ao todo, as mudanças que fizemos para iPhone 12 e Apple Watch cortaram mais de 2 milhões de toneladas em emissões de carbono - o equivalente a remover 500.000 carros das estradas por ano - e esperamos que outros sigam o nosso exemplo.”

Mais do TechTudo