Notebooks

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


A Apple revelou na última terça-feira (10) os primeiros MacBooks Pro equipados com processadores M1, dando início à substituição dos chips Intel nos Macs. A nova CPU Apple Silicon com arquitetura ARM promete entregar um notebook até 60% mais eficiente, com 20 horas de autonomia de bateria e uma performance que pode ser 2,8 vezes superior ao modelo anterior.

O Macbook Pro com o chip M1 já aparece no site oficial da maçã no Brasil por R$ 17.299, mas ainda não está disponível para comprar por aqui. Confira a seguir mais detalhes sobre o laptop profissional da marca e saiba o que muda na nova versão.

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Macbook Pro 2020 promete alta eficiência sem deixar de lado a performance — Foto: Divulgação/Apple

Design

O design do MacBook Pro com M1 segue a mesma proposta que a Apple já vinha aplicando nos últimos modelos da linha. O acabamento continua em alumínio, com opções de cinza-espacial ou prata, e tem o mesmo peso da edição com processadores Intel: 1,4 kg. Outro detalhe que permanece na nova versão do portátil é o teclado Magic com TouchBar, além do leitor de impressões digitais para autenticação do sistema.

A atualização trouxe novidades no processador, mas não alterou características conhecidas do MacBook Pro, como a relativa falta de interfaces. Os modelos com Intel são construídos com quatro portas USB-C, enquanto a nova geração vem só com duas. A vantagem é que as duas portas do novo MacBook já são USB-C e Thunderbolt 4, muito mais rápidas que os padrões anteriores. Além disso, o laptop vem com Wi-Fi 6, Bluetooth 5.0 e saída de áudio de 3,5 mm.

Design segue inalterado na comparação com a geração anterior, equipada com Intel — Foto: Divulgação/Apple

Tela

A tela do Pro, assim como o design, repete as especificações da geração anterior. O display LCD IPS continua com 13,4 polegadas para abrigar os 2560 x 1600 pixels de resolução máxima, envolvida por uma moldura de bordas reduzidas. No entanto, o painel não tem beiradas tão finas se comparado a concorrentes como o XPS 13, da Dell, por exemplo.

O display do novo MacBook com processador próprio da Apple também repete os recursos adicionais, como ampla cobertura de espectro de cor e 500 nits de intensidade de brilho. Além disso, o laptop conta com a tecnologia True Tone, que ajusta cor e brilho da tela automaticamente de acordo com o ambiente.

Especificações de tela seguem inalteradas entre as duas gerações — Foto: Divulgação/Apple

Desempenho

A grande mudança entre as duas gerações de notebooks está no processador. O novo MacBook Pro passa a rodar com o M1, CPU desenvolvida pela própria Apple a partir do processador A14 disponível nos iPhones.

Segundo a Apple, esse processador é formado por oito núcleos de processamento, dos quais quatro são de alta performance e outros quatro são engajados para dar conta de tarefas menos exigentes, economizando energia.

Processador M1, com a mesma tecnologia dos A14 dos iPhones 12, é o grande destaque dos novos MacBooks — Foto: Divulgação/Apple

No MacBook Pro 13 anterior, a Apple oferecia processadores Core i5 da décima geração da Intel, que seguem à venda no Brasil. O Core i5 presente nos Macs é um quad-core de 2 GHz a 4,5 GHz, equipado com placa gráfica integrada Iris Plus.

Segundo a Apple, sua solução é 60% mais eficiente que as opções da Intel, algo que se traduz em um processador que promete dar conta de mais trabalho gastando menos energia. Além disso, o chip deve esquentar menos, permitindo ao produto ser mais silencioso e ter bateria de maior duração. No desempenho, a estimativa é que o Pro com M1 trabalhe 2,8 vezes mais rápido que as opções com Core i5.

O processador vem ainda com gráficos integrados formados por uma GPU de oito núcleos de processamento. Segundo a Apple, essa é a mais rápida solução gráfica integrada do mundo, com capacidade computacional de 1,6 teraflops. Aqui, os ganhos também são relevantes, com a maçã prometendo um poder 5 vezes superior ao rodar gráficos, sempre em relação à geração anterior do laptop.

Além de todos esses destaques, o processador da Apple segue um design SoC (sigla, em inglês, para “sistema em um chip”), similar ao que ocorre nos smartphones. Isso significa que o componente acaba agregando hardware extra, como o chip de segurança T2, além de 16 núcleos de processamento dedicado para inteligência artificial.

Sabe quais são os melhores eletrônicos de 2020? Veja os ganhadores do prêmio Melhores do Ano TechTudo:

Melhores do Ano 2020: conheça os vencedores de cada categoria

Melhores do Ano 2020: conheça os vencedores de cada categoria

Por fim, os novos MacBooks contam com opções configuráveis de memória RAM partindo de 8 GB DDR4, enquanto a opção com Intel sai de 16 GB e pode ser configurada com até 32 GB. Em termos de armazenamento, a Apple oferece o novo MacBook com os mesmos 256 ou 512 GB de SSD, possibilitando também configurações de 1 ou 2 TB de espaço.

Bateria

Um processador até 60% mais eficiente deve ter impacto no consumo de energia, e a Apple afirma que o MacBook Pro com M1 tem “a bateria mais durável que um Mac já teve”. Segundo a Apple, o novo modelo pode ficar até 20 horas longe da tomada, o dobro da estimativa de autonomia associada aos modelos anteriores, baseados em processadores da Intel.

Compatibilidade com software

MacBooks Pro com M1 são compatíveis com aplicativos originais do iPhone, além de prometer suporte a software criado para rodar com Intel — Foto: Divulgação/Apple

A Apple tem grande experiência na tarefa de migrar seus computadores de uma arquitetura para outra, o que deve se traduzir em um processo mais tranquilo tanto para usuários quanto para desenvolvedores. Isso permite que você encontre seus apps originalmente criados para rodar em Macs com Intel funcionando normalmente nos computadores com processador da Apple. No entanto, é possível que um ou outro serviço ainda não esteja disponível, ou que atualizações e correções para melhorar o suporte na nova plataforma demorem um pouco.

Um grande diferencial a favor da migração fica por conta do uso de chips ARM em iPhones, o que garante a compatibilidade do sistema aos aplicativos para iOS. A Apple já oferece inclusive a opção de rodá-los nativamente no laptop – algo que os modelos com Intel não fazem.

Preços

MacBooks Pro com novo chip M1 chegam por a partir de R$ 17.299 — Foto: Divulgação/Unsplash (by Wes Hicks)

O novo MacBook Pro 13 com processador M1 e SSD de 256 GB de espaço, opção mais em conta, sai a R$ 17.299 no site oficial da maçã. Quem deseja mais armazenamento pode escolher a versão com SSD de 1 TB, disponível por R$ 26.399. No entanto, os interessados no novo produto terão que esperar mais um pouco, já que o laptop ainda não se encontra disponível para encomenda no site oficial da Apple.

Para quem deseja as opções de notebooks com o chip da Intel, a Apple continua com os modelos disponíveis no Brasil. O Macbook Pro com Core i5, 512 GB de SSD e 16 GB de memória fica em R$ 23.899. Nas nossas buscas, encontramos o Pro de 13 polegadas com Intel saindo a, pelo menos, R$ 16.199, de acordo com o Compare TechTudo.

MacBook Pro 13 com M1 vs MacBook Pro 13 com Intel

Especificações MacBook Pro 13 com M1 MacBook Pro 13 com Intel
Lançamento Novembro de 2020 Maio 2020
Tela 13,4 polegadas 13,4 polegadas
Resolução de tela 2560 x 1600 pixels 2560 x 1600 pixels
Processador Apple M1 octa-core Core i5, quad-core de até 4,5 GHz
Memória RAM 8 ou 16 GB DDR4 16 ou 32 GB DDR4
Armazenamento 256, 512 GB, 1 ou 2 TB 512 GB, 1, 2 ou 4 TB
Placa de vídeo Apple M1 com oito núcleos Intel Iris Plus Graphics
Portas e interfaces 2x USB-C com Thunderbolt 4, saída de fones de ouvido, Wi-Fi 6 e Bluetooth 5.0 4x USB-C (duas com Thuderbolt 3), saída de fones de ouvido, Wi-Fi 6 e Bluetooth 5.0
Bateria até 20 horas até 10 horas
Dimensões e peso 30,41 x 21,24 x 1,56 cm; 1,4 kg 30,41 x 21,24 x 1,56 cm; 1,4 kg
Cores cinza-espacial ou prata cinza-espacial ou prata

Como melhorar a conexão com a internet? Tire essas e outras dúvidas no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo