TV

Por Shoptime

Reprodução/LG

Quando novas tecnologias chegam a equipamentos, aparelhos e eletrônicos topos de linha, os modelos anteriores, ou com tecnologias já popularizadas, entram em uma área interessante para o consumidor: o melhor custo-benefício.

É isso que vem acontecendo com as Smart TVs 4K. E o Shoptime vai explicar como você pode aproveitar esse momento para trocar a sua TV.

Praticamente todas as TVs menores de 42 polegadas à venda no mercado, atualmente, contam com resolução Full HD (1920x1080). Nos aparelhos com 49 ou 50 polegadas e acima, começamos a encontrar as Smart TVs com resolução 4K - 3840x2160 pixels, ou quatro vezes mais qualidade de imagem do que a Full HD.

A maior parte do conteúdo recente dos serviços de streaming, assim como a imagem dos videogames da atual e da nova geração, já é transmitida em 4K. Para as imagens de qualidade menor, como a TV digital, a TV a cabo, vídeos do Youtube, etc., os aparelhos fazem "upscaling" para o 4K (uma conversão via software de resolução menor para a mais alta disponível). Ter uma TV 4K é a melhor forma de aproveitar os serviços em todo seu potencial.

O mercado nacional de TVs já conta com diversos lançamentos 8K, ou seja, com qualidade de imagem 8 vezes mais definida e realista do que o Full HD. O preço, obviamente, ainda é mais alto, como é comum em novas tecnologias e aparelhos premium.

Tipo de display

A maior parte das Smart TVs à venda com um bom custo-benefício tem tela de LED. Os displays de LED são uma evolução do LCD, o famoso cristal líquido, que utiliza um emissor de luz traseira ligado em tempo integral para reproduzir todas as cores.

Nas telas de LED, uma evolução do LCD, o processo de criação das imagens é quase o mesmo, com a diferença de que a luz traseira enviada aos cristais líquidos vem de microlâmpadas em um painel de LED. As TVs de LED têm mais cores, mais brilho e contraste e também são mais econômicas do que as antigas LCD.

Na questão das telas, as tecnologias mais recentes são os displays de OLED e QLED.

As telas de OLED ("organic light-emitting diode”) não usam iluminação traseira. Os pixels, formados pelos tais diodos orgânicos que emitem luz, acendem um a um quando estimulados por impulsos elétricos.

Já as telas de QLED são formadas por pontos quânticos ("quantum dot LED"), uma camada de microscópicos cristais que absorve e emite frequências de luz para criar as cores e a imagem, a partir da fonte de iluminação.

Como as Smart TVs as novas tecnologias precisam chegar ao mercado com preço competitivo, ainda que mais caras que as demais, os fabricantes também colocam nas prateleiras os novos modelos dos aparelhos de LED com resolução 4K, com valores muito mais baixos do que eram praticados dois ou três anos atrás.

Aqui está a oportunidade do consumidor. Praticamente todas as marcas têm mais de uma versão de Smart TV 4K para cada tamanho, com diferenças nas funções, conexões e entradas.

Como escolher

Para escolher sua nova TV, você precisa começar pelo tamanho. Em geral, quanto maior a TV, maior o espaço necessário não apenas para você instalá-la, mas também para você aproveitar a imagem da melhor forma.

Com o 4K, as novas tecnologias de tela e funções como "Eye Comfort", que regulam brilho para um nível confortável aos olhos, o espaço necessário entre a tela e o sofá ou a cama pode ser menor do que era recomendado anos atrás. Veja uma estimativa atual das marcas:

TV de 32 polegadas: mínimo 1,20m

TV de 40 polegadas: mínimo 1,50m

TV de 50 polegadas: mínimo 1,90m

TV de 60 polegadas: mínimo 2,20m

TV de 70 polegadas: mínimo 2,50m

TV de 80 polegadas: mínimo 2,90m

Em seguida, é preciso verificar as tecnologias que fazem da imagem uma experiência 4K aprimorada, como Dolby Vision ou HDR avançado (High Dynamic Range, ou maior alcance dinâmico), o que resulta em uma tela com mais qualidade de brilho e contraste e cores mais fortes.

Olhe também as opções de conectividade. Além da conexão via Wi-Fi e cabo LAN de internet, que é básico para as Smart TVs funcionarem corretamente, verifique se o aparelho conta com Bluetooth (para caixas de som sem fio e fones de ouvido) e compartilhamento de tela (Smart View, Air Play e similares), para enviar vídeos e conteúdos do smartphone ou tablet para a tela grande.

Além disso, quem tem TV a cabo, home theater, videogames e outros aparelhos que vão se conectar à Smart TV precisa checar a quantidade de portas HDMI disponíveis, em especial, HDMI 2.1, o formato mais recente.

As Smart TVs mais modernas possuem tecnologias com inteligência artificial, para entender a rotina de uso e entregar resultados de buscas mais fiéis a você; conectividade com assistentes virtuais, como o Google Home, para controlar outros dispositivos smart pela casa; e podem receber comandos de voz, além do controle remoto.

Num perfil custo-benefício, a maior parte das TVs conta com taxa de atualização de 60 Hz (quadros por segundo). Porém, para os gamers, é ideal procurar uma nova Smart TV com taxa de 120 Hz, que faz a imagem ser muito mais responsiva aos comandos nos controles.

Agora que você já sabe o essencial, venha conhecer Smart TVs de todas as marcas e modelos disponíveis no Shoptime para estabelecer as suas candidatas finais na faixa de preço que deseja.

Já começou o Festival Black November, a Black Friday especial do Shoptime, com milhares de ofertas antecipadas e shows de grandes artistas.

Os shows serão sempre às sextas-feiras, às 20h, no Youtube e no canal Shoptime (NET canal 29 e 529; Sky canal 33 e 433; e Oi TV canal 78).

Aproveite para baixar o app do Shoptime, para ver os produtos e ofertas, além de muitas vantagens na hora de comprar online.

Shoptime
Mais do TechTudo