Jogos de tiro

Por Victor de Abreu, para o TechTudo


O Counter-Srike: Global Offensive (CS:GO) passou por uma temporada de 2020 atípica por conta da pandemia do coronavírus (Covid-19), assim como os demais esports. Neste ano pela primeira vez o jogo teve diversos eventos cancelados, inclusive o Major que aconteceria no Rio de Janeiro, no Brasil. Polêmicas também marcaram a temporada, line ups se desmancharam e certos times e jogadores se mantiveram entre os melhores do mundo. Entre tantos acontecimentos, veja alguns destaques positivos e negativos ocorridos no CS:GO durante o ano de 2020.

Confira destaques e polêmicas do CS:GO em 2020 — Foto: Reprodução/Steam

Quer comprar jogos, consoles e PC's com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Cancelamento do ESL One: Rio Major 2020

Entre os eventos cancelados por conta da pandemia do novo coronavirus (Covid-19), o mais marcante certamente foi o ESL One: Rio Major 2020. A competição aconteceria no Rio de Janeiro, na Jeunesse Arena, no mês de maio e seria um torneio Major, considerado um mundial da categoria. Já em março foi anunciado que o evento seria adiado e aconteceria no mês de novembro no mesmo local. Porém, no mês de setembro foi confirmado pela própria ESL o cancelamento oficial do Rio Major.

Embora a empresa tenha anunciado que pretende trazer um Major para o Brasil no futuro, ainda não há data definida para ele ocorrer. Vale lembrar que a Valve cancelou o Major que viria a acontecer em maio de 2021 e manteve a data do outro Major marcado para ocorrer em outubro de 2021. No entanto, esse Major em específico será sediado na Europa, em um país a ser definido ainda, o que indica que os brasileiros precisarão aguardar ainda mais tempo para receberem um Major no país.

Major no Brasil acontecerá no futuro, mas ainda sem data definida — Foto: Divulgação/ESL

Estreia da Flashpoint

A Flashpoint foi uma das grandes novidades no cenário competitivo de CS:GO em 2020. Ela surgiu como concorrente de outras organizadoras de torneios, como a ESL, e para ser uma opção para os jogadores profissionais de CS:GO. O torneio teve duas temporadas em 2020, a primeira nos meses de março e abril e a segunda entre novembro e dezembro. O evento conta com a participação da MIBR como sócia e foi um dos últimos a ocorrer em formato presencial, antes das restrições aumentarem ainda mais e obrigarem todos as competições a adotarem o formato online.

Cada uma das temporadas da Flashpoint contou com uma premiação total de US$ 1 milhão (cerca de R$ 5 milhões), sendo essa a maior premiação distribuída no ano entre os torneios de CS:GO. Única equipe representante do Brasil nas duas temporadas, a MIBR ficou com o vice-campeonato na primeira temporada, após uma dura derrota contra a MAD Lions, e alcançou a quarta colocação na segunda temporada.

Flashpoint foi a competição que contou com a maior premiação do CS:GO em 2020 — Foto: Divulgação/Twitter/Flashpoint

O bug do espectador

Uma das maiores polêmicas no cenário competitivo de CS:GO em 2020 ocorreu no mês de agosto, quando a ESL iniciou uma investigação para averiguar o uso do chamado "bug do espectador" ou "bug do coach" em competições online. A falha possibilitaria que o treinador do time tivesse uma visão privilegiada do jogo, podendo dar uma maior vantagem para sua equipe nas rotações. No começo da investigação, três treinadores foram suspensos: Nicolai "⁠HUNDEN⁠" Petersen, treinador da Heroic, Aleksandr "⁠zoneR⁠" Bogatiryev, treinador da Hard Legion, e o brasileiro Ricardo "dead" Sinigaglia, treinador da MIBR.

O banimento do brasileiro dead foi o que mais chamou a atenção, principalmente devido ao fato de ele ter supostamente utilizado do bug em um round de apenas um jogo. Dias depois, foram confirmados outros usos do bug por parte de dead, resultando na sua suspensão de seis meses e seu afastamento da MIBR. No mesmo período, dezenas de outros treinadores, incluindo mais nomes brasileiros, também acabaram sendo pegos utilizando do bug do coach e suspensos eventualmente.

Dead foi um dos treinadores suspensos na polêmica do bug do coach — Foto: Reprodução/Daily Esports

O disband da MIBR

Um dos acontecimentos de 2020 no cenário de CS:GO que será lembrado por muito tempo pela torcida brasileira é o disband da MIBR. A equipe, formada por Gabriel "FalleN" Toledo, Epitácio "TACO" de Melo, Fernando "fer" Alvarenga, Vito "kNgV-" Giuseppe e Alencar "trk" Rossato, estava passando por uma crise que parecia não ter fim. O estopim veio a ocorrer durante um boot camp que a equipe realizava na Sérvia, quando eles participaram de algumas competições e foram derrotados por equipes consideradas menores no cenário europeu.

Para tentar resolver a situação, a MIBR tomou a decisão de demitir TACO e fer da equipe no dia 13 de setembro. A ideia não agradou os outros jogadores do elenco e boa parte da torcida do time. A reação de FalleN veio rapidamente ao anunciar que deixaria a titularidade da equipe. Os jogadores kNgV- e trk também demonstraram insatisfação com a decisão, mas optaram por seguir na MIBR. A dupla ajudou a formar a nova line up da MIBR no dia 23 de outubro, equipe que não conseguiu encerrar o jejum de títulos da MIBR, mas que realizou excelentes campanhas durante o tempo de atuação.

Da esquerda para a direita: v$m, LUCAS1, kNgV-, cogu, leo_drk e trk — Foto: Divulgação/Instagram/MIBR

Temporada vitoriosa da FURIA

A brasileira FURIA Esports encerrou o ano de 2020 sendo a principal equipe da região norte-americana e com a sexta colocação na última atualização do ranking da HLTV no ano. Não é para menos, visto que a FURIA conquistou grandes títulos na temporada e praticamente dominou o cenário na América do Norte em todo o segundo semestre do ano. Sua primeira excelente campanha veio no mês de junho, durante a BLAST Premier: Spring 2020 American Showdown, quando, com uma dobradinha brasileira ao lado da MIBR, conquistou a vaga para a American Finals.

O primeiro título do ano veio no dia 14 de junho na DreamHack Masters Spring 2020: North America, que contou com uma vitória dominante por 3-0 para cima da Team Liquid na grande final. Dois meses depois, no dia 16 de agosto, foi a vez de levar a DreamHack Open Summer 2020: North America, mais uma vez com vitória sobre a Liquid na decisão. No dia 27 de setembro, seu terceiro e último título do ano veio na ESL Pro League Season 12: North America, dessa vez derrotando a 100 Thieves na grande final.

FURIA encerrou o ano com saldo positivo e muitos títulos conquistados — Foto: Divulgação/FURIA

O jogador mais impactante do ano

O AWPer Mathieu "ZywOo" Herbaut, melhor do mundo em 2019, foi considerado pela HLTV como o jogador mais impactante de 2020. O critério utilizado foi o Impact Rating, que é definido com base nas multikills, abates de abertura e também os clutches. Porém, apenas os jogos contra times Top 30 no ranking foram utilizados para fazer a média de cada jogador. Dessa forma, o Impact Rating de ZywOo seguindo essa regra foi de 1.37, o que superou todos os demais jogadores que disputavam esse título simbólico.

ZywOo foi peça chave na Team Vitality em suas principais campanhas da temporada e também por colocar a equipe na segunda colocação do ranking da HLTV na última atualização de 2020. O maior título no ano da Team Vitality veio em dezembro, com a conquista da BLAST Premier: Fall 2020 em cima da dinamarquesa Astralis.

Fecharam o Top 3 os jogadores Oleksandr "s1mple" Kostyliev, da Natus Vincere, e Nikola "NiKo" Kovač, da G2 Esports. É importante lembrar que esse ranking não representa a famosa premiação da HLTV que decide quem foi o melhor jogador do ano, mas mostra que ZywOo tem grandes chances de receber a premiação pela segunda vez consecutiva.

ZywOo foi considerado o jogador mais impactante do ano pela HLTV — Foto: Divulgação/ESL

No topo do ranking novamente

A Astralis voltou a encerrar um ano na liderança do ranking da HLTV. Em uma temporada atípica, com praticamente apenas torneios online por conta da pandemia, era esperado que surpresas viessem a ocorrer e que novas equipes assumissem postos de destaque no cenário. No entanto, os dinamarqueses da Astralis mostraram que são capazes de conquistar grandes títulos tanto presencialmente como online e chegaram ao topo do ranking da HLTV pelo terceiro ano consecutivo.

A line up da Astralis sofreu pequenas mudanças em 2020, mas encerrou o ano com a mesma formação que a colocou como uma das melhores equipes da história do CS:GO. Ela é composta pelos jogadores Nicolai "dev1ce" Reedtz, Peter "dupreeh" Rasmussen, Andreas "Xyp9x" Højsleth, Lukas "gla1ve" Rossander e Emil "Magisk" Reif.

Sua última taça de 2020 veio na Intel Extreme Masters XV - Global Challenge, no dia 20 de dezembro, com vitória tranquila sobre os norte-americanos da Team Liquid. O título também foi determinante para a Astralis adquirir a pontuação necessária para encerrar o ano na liderança do ranking da HLTV.

TechTudo completa 10 anos: veja o que mudou no mundo da tecnologia e jogos

TechTudo completa 10 anos: veja o que mudou no mundo da tecnologia e jogos

Mais do TechTudo