Redes sociais

Por Barbara Ablas, para o TechTudo


As redes sociais se multiplicaram e evoluíram muito nos últimos dez anos, com o avanço de apps e das soluções de comunicação à distância. Algumas plataformas, como Facebook, LinkedIn, WhatsApp e Twitter, cresceram exponencialmente com a incorporação de novos recursos. Além disso, nesse período, surgiram novas redes que foram se aperfeiçoando cada vez mais. É o caso do Instagram, Telegram e TikTok. Enquanto isso, veteranas como Orkut e MSN desapareceram em meio a tantas novidades.

A evolução das redes também alterou a maneira como nos comunicamos e interagimos online. É difícil imaginar, que há dez anos, as pessoas utilizavam bastante o e-mail e SMS para trocar mensagens pessoais, e que os aplicativos de paquera, como Tinder e Happn, nem existiam.

Redes sociais mudaram muito nos últimos dez anos; veja a evolução — Foto: Nicolly Vimercate/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Outra mudança significativa é que, até o início da década, as empresas não tinham se apropriado das redes para vender ou posicionar suas marcas. Não havia anúncios patrocinados no feed e os Stories ainda seriam criados. O e-commerce, embora já estivesse consolidado, também foi impactado positivamente com a popularização das redes sociais.

Além disso, chama atenção o fato de que, em uma década, o número de usuários de redes sociais triplicou. Segundo dados da empresa de pesquisas Statista, em 2010, menos de um bilhão de pessoas em todo o mundo estavam inscritas nessas plataformas. Em 2020, esse número saltou para 3,6 bilhões e a projeção para 2025 é de 4,41 bilhões de usuários. A seguir, relembre a evolução das redes sociais na última década.

O TechTudo comemora 10 anos em dezembro de 2020! Desde o seu surgimento, em 2010, o site vem descomplicando a tecnologia para você e assim se consolidou como o maior portal de technology news do Brasil, segundo a Comscore. Para comemorar a data, o site lança uma série especial para relembrarmos como a tecnologia evoluiu nesse tempo. E conte com o TT para descobrirmos juntos o que nos aguarda pelos próximos anos!

Veja também: Quatro coisas que você nunca deve postar nas redes sociais

Quatro coisas que você nunca deve postar nas redes sociais

Quatro coisas que você nunca deve postar nas redes sociais

2010 e 2011

No início da década, o grande destaque foi o surgimento do Instagram, em 2010, que mudou completamente a maneira de compartilhar informações e fazer negócios nas mídias sociais. Se antes o texto era a parte central do post, com a rede, a imagem passou a ser o principal. Além disso, a plataforma trouxe os famosos filtros para fotos inspirados na câmera Polaroid e diversos outros recursos que foram sendo incorporados ao longo de dez anos de existência, como Stories, IGTV e os vídeos ao vivo.

O Instagram foi lançado inicialmente apenas para iPhone (iOS), e em poucas horas atingiu a marca de 10 mil downloads na App Store. A versão para Android chegou apenas em 2012, ano em que a rede foi comprada pelo Facebook. Atualmente, o app tem mais de um bilhão de usuários e deve continuar crescendo.

Instagram nasceu em 2010 e mudou a forma de compartilhar fotos — Foto: Ana Letícia Loubak/TechTudo

Outro destaque do começo da década foi o lançamento do Snapchat em 2011. Com o nome Pictaboo, a rede apresentou o conceito das “postagens efêmeras”, que desaparecem depois de 24 horas. A novidade agradou principalmente os mais jovens, interessados em fugir dos olhares da família, que já tinha ocupado espaços como o Facebook.

As ferramentas do Snapchat serviram de inspiração para recursos semelhantes do Facebook, WhatsApp e Instagram que também se tornaram ferramentas poderosas de marketing digital. Em 2011, chega ainda o Facebook Messenger permitindo a troca de mensagens entre pessoas, e trazendo atualizações como a possibilidade de envio mensagens de voz, vídeo, imagens e stickers.

2012 e 2013

Em 2012, chegou o Tinder, um app de paquera que aproxima usuários de acordo com a localização geográfica, gostos e preferências, para que eles deem o famoso “match”. Embora tenha concorrentes fortes, como o Happn, o Tinder segue entre os preferidos para paquerar e já foi baixado mais 340 milhões de vezes. Em 2013, veio também o Telegram, considerado uma alternativa ao WhatsApp. O app recebe atualizações constantemente e, em 2018, alcançou a marca de 200 milhões de usuários ativos por mês.

Neste período, surgiu ainda o Pheed, que permitia compartilhar textos, fotos e vídeos e foi um dos apps mais baixados no mesmo ano na categoria rede. No entanto, ele não resistiu à concorrência e foi desativado em abril de 2016. Já em 2013, um grande sucesso saiu de cena, o MSN, que foi descontinuado pela Microsoft em 2013 e incorporado ao Skype.

O app de paquera Tinder ainda está entre os líderes do seu segmento — Foto: Ana Letícia Loubak/TechTudo

2014 e 2015

Em 2014, o Facebook comprou o WhatsApp por US$ 16 bilhões, valor mais alto já pago por um aplicativo para smartphones desde que a compra do Instagram, em 2012. Após a aquisição, o WhatsApp passou a oferecer ainda mais recursos para os usuários.

Em 2015, o Twitter apresentou o Periscope, aplicativo de transmissão de vídeo ao vivo que inova na maneira de acompanhar e descobrir transmissões na web. Nesse período também saiu de cena o gigante Orkut, que encerrou atividades em 2014. O fim da rede, que chegou a ter no Brasil um número recorde de usuários, foi justificado pela própria evolução dos concorrentes.

O Periscope inovou as transmissões online ao vivo — Foto: Luciana Maline/TechTudo

2016 e 2017

O ano de 2016 marca o nascimento do TikTok, que virou febre mundial. A rede aposta no formato de vídeos curtos, com no máximo 15 ou 60 segundos, filtros e bons recursos de edição. Seu sucesso é atribuído à alta capacidade de viralização dos conteúdos e às diversas oportunidades de negócios proporcionadas pela plataforma, que concentra grande exposição de produtos e influencers. A cada 24 horas, um bilhão de vídeos são assistidos via TikTok.

No rastro do Snapchat, o Instagram lançou também em 2016 os Stories, que permitem aos usuários postarem fotos e vídeos que desaparecem após 24 horas. No mesmo ano, surge a Hello, rede social exclusiva para smartphones do criador do Orkut, o turco Orkut Büyükkökten. O destaque da rede foi a possibilidade de reviver alguns recursos que lembram a antiga rede. Até então, o app já possui milhões de usuários espalhados pelo mundo.

O TikTok virou um fenômeno mundial — Foto: Luana Antunes/TechTudo

Em 2017, o Twitter deu mais espaço para os usuários se expressarem e aumento o limite de caracteres de 140 para 280. Neste ano, também surgiu um concorrente para o Tinder chamado Happn, outro app de paquera que tem a proposta de mostrar as pessoas que cruzaram caminhos ou estão na mesma região.

2018 e 2019

Em junho de 2018, o Instagram anunciou a plataforma de vídeos IGTV, disputando espaço com o YouTube. O recurso permite criar e compartilhar vídeos mais longos e abriu oportunidades para a ampliação da publicidade na rede. A ferramenta também trouxe mais espaço para os criadores de conteúdo veicularem as suas produções. No mesmo ano, o Facebook revelou a chegada da função Marketplace no Brasil, para facilitar a compra e venda de mercadorias pela plataforma. A ferramenta permite pesquisar produtos e serviços nas regiões próximas utilizando tecnologia de geolocalização e filtros por categorias.

Já o veterano Yahoo Messenger, criado em 2008, encerrou suas atividades. O fim do serviço foi considerado o fim de uma era, porque ele foi um dos pioneiros em conversas em grupo e compartilhamento de arquivos em tempo real. Em 2019, o Google+ também se despediu após dez anos de existência, engolido pela concorrência e após um vazamento de dados de meio milhões de contas.

Em 2020, Instagram anunciou que mostrará anúncios em vídeos do IGTV — Foto: Divulgação/Instagram

2020

Em um ano de isolamento social devido à pandemia, o Telegram se popularizou e atingiu a marca de 400 milhões de usuários. A incorporação de recursos de vídeos, emojis animados, marcação de usuários na conversa e stickers, recursos que inspiraram o WhatsApp, também têm contribuído para a sua popularização. Além disso, em 2020, cresceu no Brasil o uso de Chatbots e recursos inteligência artificial (AI), ferramentas introduzidas ao longo da evolução das redes sociais na última década.

Em 2020, o Instagram comemorou 10 anos e anunciou atualizações como o mapa de Stories, recursos para reduzir assédio, opção de mudar o ícone do Instagram e de exibir anúncios no IGTV. Já o Linkedin lançou recurso de Stories, que permite compartilhar imagens, textos e vídeos de até 20 segundos. Outra novidade que marcou 2020 é a nova função de pagamentos WhatsApp Pay (WhatsApp Pagamentos), que permite realizar transferências, enviar e receber dinheiro pelo app.

O Facebook, que permanece líder em termos de usuários ativos, com mais de 2 bilhões de participantes no mundo, deu mais um passo na área de negócios. Em 2020, a rede anunciou o FacebookShops, com ferramentas para aumentar as vendas e incentivar o empreendedorismo.

Qual a sua rede social favorita? Opine no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo