Por Hacktudo

Acervo Fundação CSN

Combinar o conteúdo do Ensino Médio com a formação técnica e integral do aluno pode tornar a sala de aula um ambiente mais interessante do que o de costume. A Escola Técnica Pandiá Calógeras da Fundação CSN, na cidade de Volta Redonda, no Sul Fluminense, aposta nesses três pilares diariamente. A instituição oferece aulas em período integral, atividades extracurriculares e cursos técnicos em administração, informática, eletrônica, eletromecânica, mecatrônica e química para os alunos das três séries de Ensino Médio.

— O nosso grande diferencial está no compromisso de se dedicar a uma formação que passe pela pessoa, pelo cidadão e pelo profissional. A ideia é estimular o desenvolvimento de pessoas com valores especiais, que tenham ética, saibam conviver, colocar a mão na massa e se comunicar — explica Bruno Marcato, gestor da ETPC.

Para atingir esses objetivos, a escola usa uma metodologia de ensino inovadora. A ETPC trabalha para o aluno refletir e compreender a si mesmo, ser protagonista de sua trajetória, ampliar seu repertório e adquirir competências importantes para seu futuro profissional e para a vida. As atividades propostas em sala de aula são voltadas para a aplicação prática do conteúdo e para a investigação.

Além de oferecer aulas nos laboratórios que fazem parte da infraestrutura da escola, a ETPC instiga os alunos a participarem de feiras e a desenvolverem projetos, oferecendo o suporte necessário para cada um deles. Junto com a CSN Inova, a instituição também é parceira em encontros que instigam a inovação. Um deles é o Hacktudo SF, um festival de cultura digital voltado para tecnologia e empreendedorismo que acontece entre os dias 22 e 25 de fevereiro pela primeira vez no Sul Fluminense. A programação conta com oficinas, conferência, arena maker e o Hackaton CNS Inova, uma maratona de programação de 36 horas ininterruptas focada na solução de problemas reais. A parceria da ETPC num evento como este reforça o perfil da escola, em que as atividades vão além da sala de aula. Nesse evento, os alunos terão a oportunidade de desenvolver soluções tecnológicas aplicáveis para o desafio proposto. Outra atividade prevista é uma oficina de construção de jogos específica para os alunos da ETPC.

Alunas do 3º ano de Química da ETPC desenvolveram uma embalagem biodegradável utilizando resíduos da agroindústria que seriam descartados.

O resultado da metodologia é visto na prática. Nos últimos anos a escola tem mais de 50% dos alunos aprovados nas melhores universidades públicas de todo o país. Entre elas, a Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ), a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e a Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR).

— Quem se dedica a esse estudo conosco obtém resultados de muita qualidade, passando para a formação profissional, muitos terminam empregados, trabalhando em grandes empresas, empreendendo, fazendo a diferença no mundo — avalia Bruno.

Alunos do 3º ano de Eletromecânica da ETPC criam uma cadeira de rodas motorizada acessível utilizando tubos de PVC

Na hora do desenvolvimento do cidadão, a ETPC não perde tempo. Investe em aproximar os estudantes de movimentos culturais expressivos, como o coral da escola e a fanfarra, que já conquistou nove títulos nacionais na categoria Fanfarra Simples.

— O desafio da formação humana caminha junto com o da formação técnica. Incrementamos nosso ensino com a fanfarra e o coral de alunos. A cultura faz muito bem para o ambiente escolar e ventila os corações de quem estuda por aqui — destaca o gestor.

O HACKTUDO Sul Fluminense, do qual a ETPC assina como parceira, acontece de 22 de fevereiro a 06 de março, com múltiplas atividades que envolvem tecnologia e inovação para todas as idades. Basta acessar www.hacktudo.com.br para curtir a programação.

Hacktudo
Mais do TechTudo