Por Fernando Sousa, para o TechTudo


Chromebooks são notebooks de entrada que trazem Chrome OS, sistema operacional da Google. Disponíveis por um preço mais baixo frente a laptops tradicionais, os computadores vêm com hardware básico e são oferecidos por marcas como Samsung e Acer no Brasil. Os produtos são ideias para quem deseja realizar tarefas simples no dia a dia, como navegar pelo Chrome e editar documentos no Google Docs, entre outros exemplos.

Antes de comprar, é importante atentar a alguns detalhes como o tipo de armazenamento utilizado e as entradas disponíveis. Pensando nisso, o TechTudo reuniu algumas dicas que podem ajudar você a escolher o Chromebook ideal.

Chromebook Spin 713 da Acer promete um bom desempenho para o dia a dia — Foto: Divulgação/Acer

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Defina seu tipo de uso

Primeiramente, é fundamental considerar qual a principal aplicação que será dada ao Chromebook, uma vez que dispositivos do tipo tendem a oferecer um desempenho mais baixo quando comparados a notebooks convencionais. As limitações não estão apenas no hardware, com processadores Celeron, da Intel, ou AMD A4, mas também no software.

O Chrome OS oferece alternativas para boa parte dos apps mais comuns, como editor de textos, planilhas e navegadores. No entanto, quem utiliza algum programa específico do Windows pode acabar tendo alguma dificuldade para utilizar o sistema alternativo do Google. Mas, se você precisa de um computador para pesquisas em sites e troca de e-mails, um Chromebook deve dar conta.

Veja as entradas disponíveis

Os Chromebooks também não oferecem uma quantidade tão generosa de portas e conexões. Isso acontece principalmente pela proposta de oferecer um design mais compacto nos dispositivos. De qualquer forma, ao menos uma porta USB e leitor de cartões SD o equipamento precisa ter, afinal, a experiência com o touchpad não agrada a todos os usuários. Além disso, a possibilidade de expansão do armazenamento é fundamental. Para quem pretende utilizar um monitor secundário, também vale ficar atento à presença de uma entrada HDMI.

Chromebooks contam com número limitado de conexões — Foto: Divulgação/Samsung

Atenção ao processador

Ao verificar as especificações dos Chromebooks, fica fácil entender porque os dispositivos possuem um preço mais acessível. O hardware dos dispositivos com Chrome OS é muito parecido ao que era oferecido nos netbooks, produtos de entrada para tarefas básicas.

O Chrome OS é muito menos exigente em relação ao Windows, mas, ainda assim, é preciso levar em conta que os processadores Intel Celeron e AMD A4 utilizados em boa parte dos equipamentos não costumam oferecer uma vida útil muito grande com seus dois núcleos e clocks baixos.

HD, SSD ou EMMC?

Diferente da maioria dos notebooks, os Chromebooks são oferecidos na maioria dos modelos com soluções de armazenamento integradas a placa, com soluções Flash que partem dos 32 GB de volume. O que pode ser pouco para um sistema operacional mais complexo, mas que tende a ser suficiente no Chrome OS.

Chromebook Plus 2 em 1 Samsung XE521QAB-AD1BR conta com tela touch e armazenamento em eMMC — Foto: Divulgação/Samsung

Caso você pretenda fazer muitos downloads, vai precisar considerar modelos que ofereçam a possibilidade de expansão por cartões SD, uma vez que a troca do armazenamento interno ou mesmo adoção de um SSD é inviável nos modelos. Existem ainda opções com armazenamento via eMMC, que são uma espécie de cartão SD integrado a placa com mais desempenho frente aos HDs tradicionais, mas não tão eficientes e velozes quanto os SSDs.

Vale pagar mais caro?

Existe uma variação de preço notável entre os modelos de Chromebook, partindo dos R$ 1.699 para o Acer N7, e R$ 2.899 no Chromebook Plus, da Samsung. O segundo modelos oferece tela Full HD e a possibilidade de usar o dispositivo no modo tablet, além de tela touch, caneta stylus e mais recursos, o que justificaria o seu preço maior.

Os Chromebooks podem até ser muito interessantes para quem precisa de um computador barato para tarefas básicas. No entanto, vale ficar atento se os modelos com Windows estão com um valor parecido. Se esse for o caso, talvez seja mais interessante optar por um notebook convencional com o sistema da Microsoft ou até mesmo com Linux.

Notebook: dicas para resolver os principais problemas do teclado 

Notebook: dicas para resolver os principais problemas do teclado

Mais do TechTudo