Por Thássius Veloso — thassius@edglobo.com.br

Thássius Veloso/TechTudo

Há grandes chances de ter acontecido contigo. Uma mensagem chega ao celular com um recado importante: tome cuidado com os links maliciosos. Qualquer endereço na internet que lhe pareça suspeito deve ser ignorado. Ao fim do SMS, porém, consta o link para um site terminado em .seg.br. No mínimo suspeito, vamos combinar.

Se você recebeu uma mensagem com estas características, saiba que não foi o único ou a única: a campanha Fique Esperto dispara cerca de 200 milhões de SMS por mês. Eles têm cara e cheiro de fraude, mas são genuínos. E mais: os responsáveis pela campanha estão felizes até mesmo com a repercussão negativa nas redes sociais.

“Vimos reclamações, mas foi um número pequeno diante da quantidade de brasileiros impactados”, diz um profissional que participa do projeto. Ele deu entrevista a esta coluna sob a condição de anonimato porque se trata de uma campanha multissetorial. “É um caminho totalmente válido”, completa.

Outro membro da iniciativa admite que houve dúvida sobre o envio de mensagens com um link até então desconhecido. O tiro saiu pela culatra? Ele entende que não, pois os usuários com menos conhecimento sofreriam o choque de realidade ao entrar no endereço e descobrir que o comportamento pode colocá-los em apuros.

A campanha elucida diversos pontos que merecem mais atenção conforme vivemos, trabalhamos e nos educamos dentro do ambiente online – uma imposição da pandemia. As mensagens do Fique Esperto já falaram sobre remetentes desconhecidos, fraudes e autenticação em duas etapas.

Nesta semana é a vez de comunicarem os perigos dos aplicativos falsos. “Baixe de fontes/lojas oficiais e verifique o responsável pelo app”, diz o alerta. Esta praga é particularmente preocupante no Android, tendo em vista que até mesmo a Google Play Store às vezes dá abrigo a programas picaretas.

Os criadores da campanha entendem que o disparo por SMS tem largo alcance. Eles usam um número especial, com menos dígitos, para fazer a veiculação das informações. A mesma prática é comum entre instituições financeiras, operadoras de telefonia e plataformas online com grana para bancar o sistema, considerado mais sofisticado.

Alertas chegam de número especial — Foto: Reprodução

O Fique Esperto deve se encerrar nas próximas semanas. Ao todo, a estimativa é de que 1 bilhão de mensagens sejam enviados – todos com link para o site fe.seg.br. A página, aliás, recebe mensalmente por volta 2 milhões de visitantes.

Parte deste mundaréu de gente certamente não sabia no que estava se metendo. Poderia ser um vírus ou uma tentativa de golpe. Fica, no entanto, a torcida para que saiam do ambiente seguro com orientações preciosas para se proteger no inóspito mundo da internet.

Não custa lembrar: os casos de phishing dispararam 99,23% de 2019 para 2020, segundo a empresa de segurança digital Axur. A técnica envolve se passar por outra pessoa ou organização para induzir o usuário ao erro. Ele acaba revelando credenciais, dados pessoais ou informações financeiras. Um perigo danado.

Na dúvida, não clique. Melhor deixar passar aquela oferta imperdível do que correr o risco de contaminar seu dispositivo, assinar algum serviço indesejado ou virar alvo de fraudes em seu nome.

Thássius Veloso é jornalista especializado em tecnologia, setor que cobre há dez anos. É editor do TechTudo e comentarista da CBN e da GloboNews. Entre em contato pelo email thassius@edglobo.com.br.

Melhores do Ano 2020: conheça os vencedores de cada categoria

Melhores do Ano 2020: conheça os vencedores de cada categoria

Mais do TechTudo