Privacidade

Por Rodrigo Fernandes*, para o TechTudo


Empresas controladoras de navegadores de Internet publicaram comunicados contrários à implementação do FLoC, novo método de rastreamento de anúncios criado pelo Google para substituir os cookies de terceiros durante a navegação. As principais críticas vieram do DuckDuckGo e do Brave, browsers focados na segurança dos usuários, que resolveram bloquear o novo sistema nas suas plataformas mesmo enquanto a tecnologia ainda se encontra em fase de desenvolvimento. Segundo eles, o FLoC seria ruim para a privacidade.

O FloC, sigla para Federated Learning of Cohorts ("aprendizagem federada de coortes", em tradução livre), fará com que o buscador analise o comportamento dos usuários na web, e os classificará em grupos, chamados de Cohort, que reunirão pessoas com interesses parecidos. Assim, as empresas poderão direcionar anúncios para esses grupos, atingindo pessoas com hábitos semelhantes. O sistema está em fase de testes em vários países, incluindo o Brasil.

Em posicionamento enviado ao TechTudo, um porta-voz do Google explica que o FloC classifica as pessoas como anônimas em uma multidão com os mesmos interesses, e que o histórico de navegação é mantido apenas no dispositivo do usuário. Ainda de acordo com a nota, os resultados iniciais do novo sistema indicam que a iniciativa Privacy Sandbox é "o melhor caminho para melhorar a privacidade das pessoas na web" — veja a íntegra do comunicado ao final da matéria.

Novo método de rastreamento do Google é criticado por questões que envolvem a privacidade dos usuários — Foto: Rubens Achilles/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Segundo as companhias reclamantes, no entanto, embora o FLoC seja melhor do que os cookies de terceiros, essas IDs podem ser ruins para os consumidores, pois poderiam conter informações potencialmente confidenciais, além de facilitar a identificação de pessoas individualmente. Para as empresas, a grande questão é que o navegador de cada usuário possui um ID Cohort, indicando a qual grupo eles pertencem, com sites e anunciantes.

O DuckDuckGo afirma que qualquer site poderia obter de forma fácil a ID FLoC de grupo e usá-la para direcionar anúncios ou conteúdos para os usuários. "Embora o FLoC seja considerado mais privado por ser um grupo, quando combinado com seu endereço IP (que também é enviado automaticamente para os sites), você pode continuar a ser rastreado facilmente individualmente. É como entrar em uma loja onde eles já sabem tudo sobre você", disse a empresa.

No mesmo comunicado, o DuckDuckGo concordou com a expressão utilizada pela EFF (Electronic Frontier Foundation) para designar o FLoC, que o categorizou como "terrível", e ainda orientou seus usuários a não utilizarem o Google Chrome. Além disso, incentivou a instalação da extensão da empresa para o browser, afirmando que o plugin ganhou um bloqueador de interações FLoC durante a navegação.

Outra queixa das empresas é a forma com a qual o Google lidou com o lançamento, incluindo milhões de pessoas no sistema de forma automática. Em comunicado, o Brave disse que "o pior aspecto do FLoC é que ele prejudica materialmente a privacidade do usuário, sob o pretexto de ser amigo da privacidade", e afirmou que removeu o FLoC da sua versão para desktop e Android.

O que diz o Google?

No comunicado de lançamento do FLoC, o Google afirma que o sistema permite que cada pessoa permaneça anônima no meio da multidão contida nos Cohort, afirmando, inclusive, que o grupo em que cada pessoa está inserido é alterado com frequência à medida que o histórico de navegação vai mudando. A companhia reforça que o FLoC não compartilha o histórico de navegação com ninguém, e o número de identificação do Cohort não permite que as empresas sigam o usuário individualmente.

Veja a íntegra do posicionamento do Google:

"Desenvolvemos a tecnologia Federated Learning of Cohorts (FLoC) a partir da ideia de que grupos de pessoas com interesses semelhantes poderiam substituir identificadores individuais (como os cookies de terceiros) na publicidade digital. Dessa forma, as empresas terão uma alternativa para alcançarem seus públicos-alvo, ao mesmo tempo em que garantimos maior privacidade às pessoas.

Na prática, o FLoC reúne grandes grupos de pessoas com afinidades semelhantes e as mantêm como anônimos em uma multidão com os mesmos interesses. Além disso, informações como histórico da web são mantidas no navegador ou no dispositivo, aumentando ainda mais a privacidade.

Os resultados iniciais do FLoC, que divulgamos recentemente, demonstram que a tecnologia é uma alternativa efetiva para os cookies e estamos mais confiantes do que nunca de que a Privacy Sandbox é o melhor caminho para melhorar a privacidade das pessoas na web. A tecnologia também garante que os publishers continuem a viabilizar seus conteúdos, ao mesmo tempo em que anunciantes possam alcançar a audiência correta. A Privacy Sandbox é a aposta do Google para que, em conjunto com outras empresas do ecossistema de publicidade digital, possamos desenvolver alternativas eficientes e centradas na privacidade.

Disponibilizamos os grupos de audiência baseados na tecnologia FLoC no Chrome em março e esperamos que todo o ecossistema, incluindo publishers e anunciantes, possam experimentar a tecnologia e oferecer feedback para que possamos continuar trabalhando em conjunto para uma indústria de publicidade mais saudável."

Com informações de DuckDuckGo, Brave, The Verge, GizModo, ZDNet, EFF e Google (1 e 2)

*Colaborou Rubens Achilles

Veja também: Como baixar tudo que o Google Maps sabe sobre você

Como baixar tudo que o Google Maps sabe sobre você

Como baixar tudo que o Google Maps sabe sobre você

Como ganhar dinheiro com o Google? Veja dicas no Fórum do TechTudo.

Mais do TechTudo