Redes sociais

Por Clara Fabro, para o TechTudo


Uma fake news sobre os novos Termos de Uso e Política de Privacidade do WhatsApp vem circulando no mensageiro nos últimos dias. A falsa mensagem afirma que "a nova regra do WhatsApp permite usar suas fotos" e que "tudo o que você postou pode ser publicado a partir de hoje". Por fim, o texto pede para compartilhar o aviso em grupos para impedir o uso dos conteúdos. O suposto alerta confunde usuários por se espalhar justamente após o anúncio dos novos termos do WhatsApp, que começaram a valer no último sábado (15).

Em posicionamento oficial ao TechTudo, o WhatsApp desmentiu o boato e afirmou que "as informações contidas na imagem são totalmente falsas". O mensageiro reitera que todas as mensagens trocadas no mensageiro "são protegidas com criptografia de ponta a ponta" e, portanto, "o WhatsApp não pode ler, ouvir ou ver o conteúdo das imagens compartilhadas" (confira a nota na íntegra ao final da matéria).

Corrente do WhatsApp sobre novas regras do WhatsApp é fake; entenda o caso — Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

A corrente alega que "a nova regra do WhatsApp permite usar suas fotos" e que esses dados poderiam "ser usados em ações judiciais contra você". O texto continua dizendo que "tudo o que você postou pode ser publicado a partir de hoje, até mesmo mensagens excluídas" e, que para se "proteger" da nova regra, seria necessário compartilhar a mensagem com dez grupos no WhatsApp.

Lembre-se, amanhã começa a nova regra do WhatsApp que permite usar suas fotos !! Lembre-se que o prazo final é hoje !!! Ele pode ser usado em ações judiciais contra você. Tudo o que você postou pode ser publicado a partir de hoje, até mesmo mensagens excluídas.

Usuários comentaram sobre a corrente no Twitter. A fake news se confunde com os novos termos de privacidade do WhatsApp, que entraram em vigor no sábado, então a corrente deixa usuários ainda mais confusos. Em nota enviada ao TechTudo, o WhatsApp afirmou que "as informações contidas na imagem são totalmente falsas".

O que diz o WhatsApp sobre a corrente falsa

As informações contidas na imagem são totalmente falsas.

O WhatsApp foi desenvolvido com base em uma ideia simples: tudo o que os usuários compartilham com seus amigos e familiares fica só entre eles. As conversas pessoais são protegidas com criptografia de ponta a ponta, o que significa que essas conversas são privadas, e que o WhatsApp não pode ler, ouvir ou ver o conteúdo das imagens compartilhadas. Por essa razão, o WhatsApp não mantém o registro das pessoas para as quais o usuário ligou ou enviou mensagens de texto, de áudio ou imagens.

A atualização da Política de Privacidade anunciada em janeiro não amplia a capacidade do WhatsApp de compartilhar dados com o Facebook e não impacta como as pessoas se comunicam de forma privada com seus amigos e familiares. As mudanças na política estão relacionadas a conversas opcionais com empresas e foram pensadas para aumentar a transparência dessas conversas no WhatsApp.

O WhatsApp ressalta que a política de privacidade entrou em vigor no dia 15 de maio, mas por várias semanas não excluirá nenhuma conta, e ninguém perderá acesso aos recursos do app por causa dessa atualização."

O que muda de verdade com os novos termos do WhatsApp?

Os termos atualizados pelo WhatsApp na última semana permitem o compartilhamento de dados da interação entre usuários e contas comerciais com as empresas parceiras do Facebook. Avisos sobre a mudança circulam no mensageiro desde meados de janeiro, mas sempre em meios oficiais, como em Status da conta verificada do WhatsApp, ou por meio de avisos de página cheia e banners. Vale ressaltar que o WhatsApp não emite alertas por meio de mensagens de texto em grupos.

Quem não aceitar os termos autênticos do WhatsApp pode ter funcionalidades da sua conta limitadas até não poder mais mandar mensagens e ser obrigado a concordar com as regras. Em compromisso com órgãos brasileiros, o WhatsApp garante que não limitará nenhuma conta nos primeiros 90 dias, a contar do dia 15 de maio.

Como identificar correntes falsas

É comum que boatos deste tipo surjam nas redes. Desde 2012, textos no mesmo formato do "eu não autorizo" vem sendo compartilhados no Facebook. Em 2019, um rumor similar chegou ao Instagram, e até mesmo personalidades famosas compartilharam a mensagem falsa. De maneira geral, os textos seguem sempre uma mesma linha, afirmando que conteúdos publicados nas redes poderiam ser utilizados pela empresa caso o usuário não compartilhasse os textos.

Como identificar fake news? Veja sites para checar se notícia é verdadeira

Como identificar fake news? Veja sites para checar se notícia é verdadeira

Mais do TechTudo