Jogos de RPG

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


A série Dark Souls é conhecida por ter alguns dos inimigos (bosses) mais difíceis e desafiantes no mundo dos games. Os vilões da trilogia, sejam eles obrigatórios ou opcionais, são lembrados por dar bastante dor de cabeça aos jogadores. Nomes como Fume Knight, The Nameless King ou Dragon Slayer Ornstein & Executioner Smough ainda dão pesadelos a qualquer um que jogou algum dos games. Na seleção a seguir, o TechTudo separou 10 chefes "irritantes" que você pode encontrar nos jogos, em especial Dark Souls 3, o game mais recente da série.

Antes de entrar na lista, vale lembrar que a experiência de cada jogador com cada chefão varia em função do estilo de jogo, estratégias preferidas de combate, mas também nível do personagem e a ênfase que cada um dá aos diferentes atributos e equipamento disponíveis. Ou seja, o que é difícil para alguns pode ser mais fácil para você – ou vice-versa.

1. Gwyn, Lord Of Cinder (Dark Souls)

Gwyn não é tão difícil para quem é bom de esquiva — Foto: Reprodução/Dark Souls

Como boa parte dos outros chefes listados aqui, Gwyn, Lord of Cynder, de Dark Souls, pode não ser difícil, dependendo do seu estilo de jogo e da sua build. Quem dominar a arte de defletir os golpes do boss e prestar atenção nas animações e movimentos de Gwyn, que telegrafa seus ataques com boa antecedência, poderá considera-lo um chefe mais tranquilo do que muitos outros em toda a série.

O que pode tornar Gwyn bastante desafiador é que ele encadeia golpes e combos violentos com grande velocidade. Então se você errar o tempo na hora de encaixar uma evasão ou bloqueio, pode sofrer danos devastadores e brutais em um curtíssimo espaço de tempo.

2. Dragon Slayer Ornstein & Executioner Smough (Dark Souls)

Dupla de chefes funde-se em um só na última etapa da luta — Foto: Divulgação/From Software

Bastante emblemática, essa disputa envolve dois chefes em simultâneo – Ornstein e Smough – e exige reflexos e coordenação do jogador para dominar o campo de batalha. Conseguir fugir de seus ataques, que diferem entre si, é a chave para o sucesso aqui.

O que torna esse confronto especialmente desafiador é que eliminar um dos chefes é, na verdade, menos de meio caminho andado. Assim que Ornstein ou Smough morrem, o inimigo restante absorve os poderes do boss vencido, se tornando uma versão mais poderosa de si mesmo.

Quer comprar consoles, jogos e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

3. Ancient Dragon (Dark Souls 2)

Como qualquer bom jogo que se inspira em mitologia, o Ancient Dragon é um chefe duro de se encarar — Foto: Divulgação/Dark Souls

O maior problema de Ancient Dragon, de Dark Souls 2, é que, em geral, ele pode derrubar a maioria dos jogadores em único golpe, além de ter ataques que afetam toda a arena. Para evitar morrer e ter mais chance de sobreviver aos golpes, o personagem do jogador precisa ter sido desenvolvido com um esforço particular em atributos de força (“strength”).

Existem algumas estratégias diferentes para vencer o dragão – e até formas de se explorar a IA primitiva usada no jogo – mas a recomendação básica para quem deseja uma batalha justa é muita paciência. Além de ataques devastadores cuspindo fogo – os golpes são mais fáceis de evitar – o jogador com atributos menos indicados para esse combate terá de ir tirando pontos de vida da generosa barra de energia do chefão com calma.

4. Fume Knight (Dark Souls 2)

Fume Knight é visto como o boss mais desafiador de Dark Souls 2 — Foto: Reprodução/Boss Fight Database

Disponível apenas para quem tem acesso à DLC Crown of the Old Iron King, Fume Knight é tido por muitos como o boss mais difícil em Dark Souls 2: estatísticas da From Software mostram ser nele que os jogadores mais morrem. O personagem usa ataques que misturam golpes ágeis com outros de maior impacto de forma bastante aleatória, algo que torna a tarefa de ler seus movimentos e se antecipar bastante exigente, e central, para obter sucesso no combate.

O que também complica as coisas na hora de encarar Fume Knight é a arena em que a luta ocorre, bastante compacta e propensa a colocar o jogador em posições difíceis de evadir golpes. O chefão também causa estresse pelo uso de magia negra e de fogo poderosas o suficiente para superar escudos com mais de 100% de proteção contra magias de fogo. Fume Knight é cansativo, bastante desafiador e bem irritante.

5. Darkeater Midir (Dark Souls 3)

Boss grande e cenário pequeno instituem uma camada a mais de dificuldade nesse confronto — Foto: Reprodução/Boss Fight Database

Chefe opcional encontrado em The Ringed City, Darkeater Midir é um dragão que exige adaptação do jogador no combate. Diferente de outros chefes do mesmo estilo, Darkeater Midir recompensa uma estratégia de luta com ataques mais diretos, o que, por outro lado, deixa o jogador severamente exposto ao fogo expelido pelo boss e também às suas patas.

Esse contraste entre alto risco e alta recompensa dá o tom do confronto, que também envolve a necessidade de conhecer bem o terreno. Darkeater se move rápido e tende a ocupar bem o cenário, exigindo do jogador agilidade, reflexo e sincronismo perfeitos.

6. Slave Knight Gael (Dark Souls 3)

Slave Knight Gael é opcional e disponível como último boss de Dark Souls 3 — Foto: Reprodução/Boss Fight Database

Presente no pacote The Ringed City, Slave Knight Gael é tido por muitos como o chefe final de toda a franquia Dark Souls, já que encerra a última DLC do jogo. Do tipo opcional, Slave Knight Gael é um grande desafio para os jogadores que decidirem encará-lo: a batalha é dividida em três fases e o comportamento desse boss é bastante agressivo, com combos rápidos e violentos.

Na segunda fase do confronto, o chefão passa a usar uma besta para ataques à distância, além de fazer movimentos diferentes daqueles que o jogador memorizou na parte anterior da luta. Quem tirar 60% da vida de Slave Knight Gael entra na última fase da batalha, quando o monstro ganha a habilidade de cobrir o cenário com raios, teletransporte para qualquer lugar da arena, além de combos aéreos e até o disparo de bombas teleguiadas ao encontro do jogador.

7. Sister Friede e Father Ariandel (Dark Souls 3)

Batalha é tão exigente que jogador pode pedir ajuda para boss derrotado — Foto: Reprodução/Dark Souls

Os dois últimos bosses da DLC Ashes of Ariandel de Dark Souls 3 constroem uma batalha bem difícil. Disposta em três fases, a luta exige jogo de cintura para se adaptar às realidades de cada etapa: na primeira, Sister Friede se move com menor desenvoltura e telegrafa seus movimentos com clareza. Ao eliminar completamente a barra de energia, a segunda etapa tem início: a energia volta a 100% e Father Ariandel entra em cena. Sister Friede e Father Ariandel são tão duros que o jogador pode até requisitar a ajuda de Slave Knight Gael, se tiver eliminado o boss opcional descrito anteriormente.

O grande problema é mesmo a terceira fase – depois de uma segunda barra de energia completamente regenerada – em que Blackflame Friede envolve o jogador com ataques e movimentos muito rápidos, difíceis de antecipar. O combate aqui é de grande nível de atrito e o jogador terá que inevitavelmente enfrentar danos para vencer, o que recomenda uma boa dose de força, vida e estamina.

8. The Nameless King (Dark Souls 3)

The Nameless King é considerado um dos mais difíceis de Dark Souls 3 — Foto: Divulgação/From Software

Boss opcional de Dark Souls 3, The Nameless King é um dos chefões que disputam o posto de mais difícil da trilogia. O confronto é dividido em duas fases – na primeira, o Nameless King surge sobre uma serpe – em uma batalha que ilude à primeira vista: o boss não tem tanta vida assim na comparação com outros chefes e dá uma falsa sensação de segurança quando os golpes do jogador tiram um bocado de vida.

Entretanto, Nameless King é rápido nos ataques e movimentos que, geralmente, fazem com que ele se comporte como um dragão, inclusive cuspindo fogo no jogador. A arma principal é uma enorme lança, usada tanto na fase aérea do combate, como na segunda etapa, quando o personagem está no chão. A melhor estratégia é memorização dos seus golpes e paciência, especialmente na segunda metade da luta.

9. Pontiff Sulyvahn (Dark Souls 3)

Pontiff Sulyvahn e seu clone são osso duro de roer em Dark Souls 3 — Foto: Reprodução/Dark Souls

Chefão obrigatório para quem deseja progredir na campanha de Dark Souls 3, Pontiff Sulyvahn aparece em Irithyll of The Boreal Valley. O grande desafio desse boss em particular fica por conta da agilidade e dos combos violentos de que ele lança mão o tempo todo, além da segunda etapa da luta. Nela, o jogador precisa eliminar o Pontiff e também seu clone.

Tanto o original como o clone empregam os mesmos golpes, em especial as evoluções com a espada dupla que podem facilmente pegar jogadores mais desatentos. Quem tiver bom nível de reflexos, e for bom de bloqueio e esquiva, tende a não ter tanto problema com Pontiff Sulyvahn. Em todo caso, a presença de um bonfire próximo permite voltar à arena para uma nova tentativa em poucos instantes.

10. Dancer of The Boreal Valley (Dark Souls 3)

Dancer of The Boreal Valley pode virar trauma para jogadores desavisados — Foto: Reprodução/Dark Souls

Talvez muito mais do que outros chefões da lista, o nome desse boss já adianta as complicações que ele impõe ao jogador: a “dançarina” do Vale Boreal entrega ataques muito rápidos, embora pareça se mover devagar. Essa batalha tem a crueldade especial de ser acessível mesmo no começo de Dark Souls 3 por jogadores ainda com level muito baixo e mal equipados.

Confronto que acaba obrigatório para continuar no jogo, Dancer of The Boreal Valley exige coordenação e reflexos para reagir às evoluções do personagem pela arena. Como mencionado anteriormente, ela se posiciona de uma forma que parece deliberada e lenta, mas desenvolve golpes muito rápidos com os braços. O golpe mais perigoso é um ataque giratório, com grande raio de ação e de difícil esquiva.

Com informações de GameRant, Eurogamer, The Gamer e Screenrant

Mais do TechTudo