Por Beatriz Maxima, para o TechTudo


A Play Store, loja de aplicativos para celulares Android, ganhará uma seção para que apps informem os dados que armazenam dos usuários. O anúncio do Google nesta quinta-feira (6) explica que a nova política de segurança fornecerá informações de como os dados estão protegidos ou se são compartilháveis, e quais dados adicionais poderiam afetar a segurança do usuário.

A política do Google entrará em vigor no terceiro trimestre para os desenvolvedores, e a função deve chegar para todos apenas no primeiro trimestre de 2022. A nova medida lembra a função “Rótulos” da Apple, que chegou à App Store ano passado com o lançamento do iOS 14, trazendo um sumário de todas as permissões requeridas por aplicativos. Na época, o WhatsApp criticou a política de segurança da Apple.

Cronograma para a implementação da nova função de privacidade da Google Play Store — Foto: Divulgação/Google

O cronograma do Google ainda é provisório, mas os desenvolvedores, incluindo a própria fabricante, terão de cumprir as medidas até o segundo trimestre de 2022. As informações devem obrigatoriamente conter:

  • Os dados que o aplicativo coleta, como nomes, e-mails, localizações, contatos, fotos, vídeos e arquivos de armazenamento;
  • As medidas de segurança realizadas pelo aplicativo, como a criptografia de dados;
  • Se o aplicativo segue a Política para Famílias do Google Play;
  • Se os dados são fundamentais para o funcionamento do aplicativo ou se os usuários podem optar por não compartilhá-los;
  • Se a seção de segurança foi verificada por empresas de terceiros;
  • Se o aplicativo permite que os usuários excluam os dados ao desinstalar o app.

De acordo com a Vice-Presidente de Produto para Segurança e Privacidade do Android Suzanne Frey, a Google Play apresentará um regulamento para exigir que as práticas dos aplicativos sejam compartilhadas, e quem não cumprir ou deturpar qualquer tipo de dado será obrigado a corrigir o problema.

A Play Store não é a primeira a cobrar mais transparência de desenvolvedores de aplicativos. A função "Rótulos" da Apple recebeu críticas do WhatsApp ano passado com a alegação de que a maçã trataria de maneira diferente os seus aplicativos nativos e o de terceiros. Usando como exemplo o Mensagens, que já vem instalado no iPhone (iOS) e não apresentava rótulo de segurança na App Store na época, o WhatsApp declarou que o app nativo ganharia vantagens sobre os consumidores por não informar a coleta de dados.

Do outro lado, a Apple declarou que as regras são universais e que as informações dos aplicativos da empresa estão disponíveis em seu site oficial numa seção à parte. Entretanto, na avaliação do WhatsApp, as categorias de coleta de dados definidas pelos rótulos da Apple são muito amplas e não explicam as atividades do aplicativo adequadamente.

Ainda de acordo com o mensageiro, a medida faz com que a coleta de dados pareça maior do que realmente é, prejudicando as empresas envolvidas.

Tem como baixar a Play Store no iPhone 4? Descubra no Fórum do TechTudo.

*Nota de transparência: Aliexpress e TechTudo mantêm uma parceria comercial. Ao clicar no link da loja, o TechTudo pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação. Os preços mencionados podem sofrer variação e a disponibilidade dos produtos está sujeita aos estoques.

Mais do TechTudo