Placas

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


RTX 2080 é uma placa de vídeo top de linha da geração anterior da Nvidia que traz tecnologias como Ray Tracing e DLSS 2.0 via hardware. Embora ainda poderosa, a GPU não é a melhor escolha do mercado para quem deseja encarar games em 4K pelos próximos anos, e os preços – inclusive no mercado de usados – andam bem salgados, sobretudo para uma placa já substituída pela RTX 3080. Abaixo, o TechTudo reuniu alguns prós e contras da RTX 2080 para ajudar você a decidir se o modelo vale a pena para você.

GeForce RTX 2080 apareceu em 2018 e ainda tem especificações de ponta para dar conta de jogos no máximo — Foto: Divulgação/Nvidia

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

PONTOS POSITIVOS

Top de linha entre as RTX 20

A placa da Nvidia é da geração passada, mas ainda assim oferece um bom nível de especificações e performance. Deixando de lado a versão Ti e considerando a versão Super, é possível pensar na RTX 2080 como uma sólida escolha para calçar o PC ainda por alguns anos.

A RTX 2080 tem 8 GB de memória RAM tipo GDDR6 e processador gráfico com 2.944 núcleos CUDA. Bem recente no portfólio da Nvidia, a RTX 2080 também dá suporte às principais tecnologias por trás do sucesso da marca em games: aceleração de efeitos de Ray Tracing e o DLSS 2.0.

Ray Tracing e DLSS 2.0

Quem está de olho em um novo PC para games não pode ignorar essas duas tecnologias. O Ray Tracing tem se tornado popular em cada vez mais jogos, englobando um conjunto de técnicas que permite aos jogos simularem, em tempo real, a forma como a luz se comporta no ambiente.

RTX 2080 garante suporte a Ray Tracing — Foto: Divulgação/4A Games

Isso gera resultados muito mais realistas em termos de iluminação de cenas, reflexos em superfícies e na própria forma como percebemos a difusão da luz, áreas de sombra, entre outros cenários. Como desenvolvedores vêm amadurecendo o uso dessas ferramentas, a tendência é de que cada vez mais lançamentos ofereçam suporte à técnica – e que os resultados fiquem cada vez melhores.

Já o DLSS 2.0 (sigla para Deep Learning Super Sampling) é uma técnica que permite renderizar o jogo em uma resolução relativamente baixa, como Full HD, e exibí-lo na tela como se fosse 4K (ou mais). Como, no fundo, a placa está rodando o jogo a uma resolução baixa, isso permite taxas de fps maiores e melhores efeitos.

O truque aqui é que esse processo de upscaling de uma resolução baixa para outra mais alta usa núcleos específicos de Inteligência Artificial disponíveis nas placas RTX da Nvidia, gerando imagens limpas, sem artefatos e, em alguns casos, com uma qualidade geral até superior ao que o jogador veria se estivesse rodando o jogo nativamente em 4K.

Disponibilidade

Pode ser mais fácil achar uma RTX 2080 do que uma RTX 3080 no momento — Foto: Divulgação/Nvidia

Se o orçamento permitir e a ideia for montar o melhor PC possível, a RTX 3080, substituta da RTX 2080 no mercado, é uma escolha melhor, uma vez que a nova geração da Nvidia tem hardware superior e ganhos expressivos de performance, sobretudo considerando o uso em games.

Entretanto, a RTX 3080 não é encontrada com tanta facilidade no mercado em virtude dos problemas no suprimento de demanda encontrados pela Nvidia – e basicamente todos os fabricantes de hardware no momento. Não há uma previsão clara de quando a situação vá se normalizar.

Por conta disso, quem está com pressa pode recorrer ao hardware da geração passada, não só economizando como também garantindo o equipamento mais rápido. Nesse cenário, a RTX 2080 em suas várias versões – normal, Super ou TI – é uma escolha interessante.

PONTOS NEGATIVOS

Preço ainda é alto

GeForce RTX 2080 não é uma placa de vídeo barata no momento — Foto: Divulgação/Nvidia

É verdade que a RTX 2080 é mais em conta do que a RTX 3080, mas isso não quer dizer que a GPU seja barata de fato: no mercado brasileiro, o modelo aparece por a partir de R$ 3,5 mil no varejo nacional, e versões Ti e Super chegam a custar até R$ 8 mil. Isso se explica justamente pela baixa disponibilidade das placas RTX 30 no mercado, aumentando a procura por modelos anteriores, além de fatores como a alta do dólar, entre outros.

Não é ideal para 4K

O DLSS 2.0 ajuda, mas não é todo jogo que suporta o recurso e há a questão inegável de quea RTX 3080, mais robusta, está em posição melhor para empurrar os mais de 8 milhões de pixels que formam as imagens 4K a uma taxa de 60 fps, suficiente para jogar sem problemas.

RTX 3080 é uma escolha melhor para o longo prazo — Foto: Divulgação/ Nvidia

Embora possa acompanhar com relativa tranquilidade os games mais recentes, a RTX 2080 pode começar a perder o fôlego com lançamentos futuros, processo que vai lentamente empurrando a placa para uma faixa de 1440p. No fundo, se um PC gamer para jogar em 4K pelos próximos anos é seu foco, placas como as RTX 30 são uma escolha superior.

Há opções mais baratas e fáceis de achar

Talvez a melhor solução para o seu bolso e urgências esteja em olhar para outras placas, desde que a perda de performance – ou o preço mais alto – não sejam impeditivos. Placas como a RTX 2070 e RTX 2060 têm o mesmo perfil da irmã mais poderosa, mas são mais em conta e fáceis de encontrar.

Outra perspectiva é a RTX 3060, com desempenho relativamente comparável (ou superior em alguns casos) à RTX 2080. Mais recente, essa placa tem hardware poderoso, mais desenvoltura com Ray Tracing e DLSS 2.0. Ao contrário das RTX 3080, aparece como disponível no mercado nacional a preços partindo de R$ 6 mil.

Com informações de Nvidia e The Verge

Cinco games amados pelos fãs, mas que ficaram sem suas continuações

Cinco games amados pelos fãs, mas que ficaram sem suas continuações

Mais do TechTudo