Computadores

Por Yuri Hildebrand


A venda de computadores no Brasil cresceu durante o primeiro trimestre de 2021, aponta um estudo recente da IDC Brasil. Em comparação ao mesmo período de 2020 – pré-pandemia, portanto –, o aumento nas vendas foi de 19,7%, incluindo compras corporativas, o que pode ter sido reforçado por home office e EAD. Considerando apenas o varejo, a alta foi de 17%, sendo a maioria dos modelos notebooks, com 86% do total.

Em contrapartida, o preço dos PCs também subiu em torno de 20% em relação aos três primeiros meses do ano passado. Segundo a pesquisa, o valor médio de notebooks, que era de R$ 3.692, chegou a R$ 4.450. Ao TechTudo, o porta-voz da IDC, Reinaldo Sakis, citou dois pontos como determinantes para essa alta: o aumento do ICMS e o custo maior de componentes em geral.

Venda de PCs no varejo aumentou cerca de 17% no primeiro trimestre de 2021, com preferência de 86% por notebooks — Foto: Divulgação/Samsung

Um fator que pode ter influenciado o maior interesse por máquinas novas é o home office, que ainda é praticado por diversas empresas como forma de reforçar o isolamento social no combate ao novo coronavírus. Os números relacionados ao mercado corporativo, por exemplo, mostram um crescimento de 24,4% das vendas para esse setor, especificamente.

Além disso, com a pandemia da Covid-19, muitas escolas aderiram à EAD (educação à distância), com aulas, avaliações e outras atividades sendo feitas online. De acordo com Reinaldo Sakis, que é gerente de pesquisa e consultoria de Consumer Devices da IDC Brasil, a busca por computadores educativos também tem sido forte fora do varejo, sobretudo partindo de alguns governos estaduais e municipais.

Maior interesse por PCs voltados para educação pode ter contribuído para números maiores nas vendas corporativas e no varejo — Foto: Divulgação/Acer

A demanda de PCs voltados para educação também foi vista no próprio e-commerce, o que pode ter contribuído para o número 17% superior observado nas vendas. Entre as categorias citadas pelo porta-voz em casos do tipo estão notebooks e chromebooks, além de tablets.

Essa preferência dos brasileiros por dispositivos portáteis fica ainda mais forte levando em conta o número de laptops vendidos pelo varejo. De um total de 1.090.487, 86% foram laptops, superando com bastante folga o total de desktops que saíram no mesmo período.

Notebooks representam 86% dos computadores vendidos via e-commerce no primeiro trimestre de 2021 — Foto: Divulgação/LG

Preços mais altos

Já em relação ao aumento dos preços, chama atenção o crescimento de 22,1% no valor final de PCs de mesa e de 20,5% em notebooks, que agora custam, em média, R$ 3.842 e R$ 4.450, contra R$ 3.146 e R$ 3.692 praticados no primeiro trimestre de 2020.

O porta-voz da IDC cita o reajuste do ICMS, que aumentou em janeiro, como um dos fatores principais para essa alta. Outro ponto trazido por Sakis foi o aumento dos custos de chips e componentes em geral, que também influencia o custo final dos computadores.

Ainda de acordo com o gerente de pesquisa, algumas fabricantes têm reportado ajustes feitos mês a mês de forma gradual. Vale ressaltar que, desde meados de 2020, diversos eletrônicos tiveram um aumento nos preços, incluindo notebooks.

Cinco dicas importantes antes de comprar um notebook

Cinco dicas importantes antes de comprar um notebook

Mais do TechTudo