Sistemas operacionais

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


O Windows 11 foi anunciado na última quinta-feira (24) pela Microsoft com suporte nativo a apps do Android, uma das grandes novidades do sistema. Com a nova edição, o usuário poderá usar a Windows Store para buscar aplicativos e jogos de celular, realizar sua instalação no computador e executar o app naturalmente, sem necessidade de emuladores, como o Bluestacks.

O processo todo usará a Amazon Appstore, versão da Amazon da Google Play Store, conta com tecnologia da Intel para melhores resultados, ainda que exista promessa de compatibilidade também com produtos da AMD e Qualcomm.

Windows 11 vai rodar apps do Android nativamente e sem emulação, segundo a Microsoft — Foto: Reprodução/Microsoft

Windows 11: você vai atualizar? Responda no Fórum do TechTudo

A medida da Microsoft vem na esteira da oferta de recurso parecido no macOS: o sistema operacional da Apple permite baixar e instalar apps do iPhone (iOS) e do iPad (iPadOS) nos MacBooks, Mac Mini e iMacs que ofereçam processador M1. No caso da Apple, a compatibilidade dos apps mobile é garantida pelo processador, que usa a mesma arquitetura daquele usado pela maçã em seus smartphones e tablets.

Durante a apresentação do Windows 11, a Microsoft demonstrou o app do TikTok sendo executado em um computador com o novo sistema. Embora indique que o uso da tecnologia Intel Bridge é o mais indicado para rodar apps de celular, a Microsoft afirma que produtos da AMD e computadores com processadores ARM da Qualcomm também serão compatíveis.

Uma questão que fica em aberto em relação ao suporte de aplicativos de celular no sistema é de que forma eles serão executados e o quão bem eles devem rodar em computadores atuais, ou mesmo sistemas mais antigos.

A maior parte dos computadores no mercado funciona com processadores de arquitetura x86 e, para que eles executem código criado para os processadores ARM, que dominam o mercado de celulares, será necessário algum tipo de camada de compatibilidade fornecida pela Microsoft ou pela Intel, caso seu dispositivo seja mais recente e disponha de processador com tecnologia Intel Bridge.

Será possível encontrar aplicativos e games de Android na loja do Windows — Foto: Reprodução/Microsoft

Intel Bridge

No caso da Intel, a tecnologia Bridge funciona como se o processador tivesse um "tradutor" automático acoplado, capaz de traduzir as instruções do app de Android para algo que a arquitetura x86 consegue interpretar e executar. Dessa forma, o suporte a apps do Android no Windows 11 vai além da emulação tradicional e pode garantir uma boa performance, desde que você tenha um processador com Intel Bridge ativado.

Rodar apps do Android por meio de emuladores em computadores atuais é possível, mas a experiência não é a ideal porque nem sempre o conteúdo do smartphone se encaixa bem na tela grande. Outro problema recorrente tem relação com performance — computadores com processadores mais lentos e pouca RAM têm dificuldade com a emulação — e na latência, que acaba impactando quem deseja jogar games de celular no PC.

Nessa discussão de suporte de hardware, quem pode se dar bem é a Qualcomm com seus processadores ARM, inspirados nos celulares, aparecendo em alguns laptops. Sem o problema da disparidade de arquitetura e conjunto de instruções, computadores com processador ARM poderiam acabar se mostrando um ambiente muito mais natural para apps do Android no Windows.

Do ponto de vista do processo de busca e instalação de aplicativos, a Microsoft firmou uma parceria com a Amazon, que oferece uma loja de apps rival da Play Store do Google para Android. Nela, usuários podem encontrar apps populares do sistema, assim como jogos, para baixar e instalar no PC.

Com informações de The Verge, 9to5Google e Engadget

Mais do TechTudo