Times

Por Victor de Abreu, para o TechTudo


Nicolai "HUNDEN" Petersen, treinador de Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO), teve seu contrato encerrado pela Heroic, organização dinamarquesa de esportes eletrônicos, nesta quinta-feira (29). De acordo com os dirigentes da equipe, a decisão para demitir o profissinal foi tomada após uma investigação que descobriu que Hunden teria compartilhado informações confidencias e sensíveis sobre as estratégias da equipe. O ato do treinador teria sido realizado antes do IEM Cologne 2021, torneio mundial que ocorreu no começo do mês de julho. Com isso, a organização também iniciou um processo legal contra o profissional.

As investigações já estão em andamento na Dinamarca. De acordo com a Heroic, dois tribunais locais já optaram pelo início da coleta de evidências de forma independente. O caso também foi comunicado para a Esports Integrity Commission (ESIC) e para a organizadora da IEM Cologne 2021, a ESL, que informou que o caso de Hunden não afetará a integridade da competição.

Hunden, técnico de CS:GO, é processado pela Heroic após ser acusado de vazar estratégias da equipe para adversários da IEM Cologne 2021 — Foto: Divulgação/VaKarM

Hunden já não havia feito parte do esquadrão da Heroic que participou da IEM Cologne 2021. O time explicou que essa decisão foi feita devido a problemas de confiança com o treinador. Como consequência, o time diz que Hunden também bloqueou os jogadores para que eles não acessassem mais a pasta de estratégias da equipe. Segundo a Heroic, o compartilhamento das informações foi feito sem o conhecimento dos jogadores, o que a equipe considerou como uma clara violação contratual do ex-treinador e deu início ao processo.

Antes, na quarta-feira (28), Hunden já havia anunciado que não renovaria seu contrato com a Heroic. No mesmo pronunciamento, ele negou os rumores de que teria enviado estratégias da própria equipe para outras rivais e explicou que, na verdade, compartilhou estratégias que mostravam as fraquezas das outras participantes da competição. De acordo com Hunden, compartilhar esse tipo de conhecimento é essencial para se atualizar e se desenvolver como técnico. Ele também teve seu nome cotado na Astralis para a vaga de Danny “zonic” Sørensen, técnico que tem contrato até o final do ano.

Vale lembrar que Hunden já havia sido alvo de outra polêmica na época do escândalo do bug do coach. Em 2020, diversos treinadores foram banidos por abusarem desse bug, que os possibilitava observar os adversários de um ponto fixo no mapa. Ao todo, 37 treinadores, incluindo nomes brasileiros, foram punidos após a investigação. Hunden recebeu oito meses de suspensão e, durante esse período, atuou apenas como analista.

Com informações de Dot Esports (1 e 2) e HLTV

Mais do TechTudo