Jogos de tiro

Por Igor Dantas, para o TechTudo


League of Legends (LoL) e Valorant são dois jogos desenvolvidos pela Riot Games. Apesar de serem de estilos diferentes, alguns comentaristas, narradores e jogadores resolveram se arriscar em uma transição do MOBA para o jogo de tiro. Nomes como Guilherme "Tixinha" Cheida e Gustavo “Sacy” Rossi continuaram são alguns dos nomes que migraram para Valorant, participando de campeonatos e demonstrando uma boa habilidade no FPS. Confira, abaixo, os principais nomes que fizeram essa transição.

Tixinha é um dos nomes que surgiu no cenário de League of Legends e mudou para Valorant — Foto: Reprodução/Facebook

Valorant vai ser lançado para PS4? Comente no Fórum do TechTudo

Guilherme "Tixinha" Cheida

Tixinha foi o primeiro grande nome do CBLOL a anunciar sua transição para o Valorant. O comentarista fez parte da equipe de análise das partidas ao lado de Gustavo “Melão” Ruzza e outros nomes de 2015 a 2020. De acordo com o próprio, em uma publicação no Twitter, a mudança foi motivada por uma busca por “um novo desafio”, algo que o fizesse ter a mesma vontade que tinha em 2013, quando começou a se dedicar ao casting.

Assim, Tixinha classificou a transição como “uma das melhores coisas que aconteceram no ano” de 2020, e passou a ser integrante da equipe de transmissão de Valorant naquele mesmo ano. Até o momento, ele participou de todos os principais campeonatos mistos, como o Valorant Champions Tour (VCT) e o First Strike Brazil.

Gustavo “Melão” Ruzza

Gustavo Melão é analista de Valorant, mas começou no LoL — Foto: Reprodução/Leaguepedia

Melão, de 32 anos, era figura carimbada nas transmissões de League of Legends do Brasil, principalmente do CBLOL, onde atuou oficialmente por cinco anos como analista. Segundo o próprio, a mudança para Valorant se deu por uma paixão à primeira vista. “Eu me apaixonei por Valorant quando vi aquele vídeo na festa de 10 anos do League of Legends, em 2019”, disse o caster em um vídeo no YouTube.

Assim, ele foi atrás de trabalhar com o então lançamento da Riot e acabou realizando seu novo sonho logo após o fim do 2º split do CBLOL de 2020. Já em dezembro do mesmo ano, Melão passou a se dedicar integralmente ao Valorant, fazendo o mesmo papel que fazia no MOBA, de analisar as partidas e jogadas.

Letícia Motta

Letícia Motta é uma das principais analistas de Valorant no Brasil — Foto: Reprodução/Riot Games Brasil

Letícia ficou conhecida pelo público brasileiro de LoL principalmente por ter trabalhado nas transmissões em língua portuguesa da League of Legends European Championship (LEC), a liga europeia. Assim como Melão, ela fazia o papel de analista.

Contudo, assim que Valorant foi lançado, ela mergulhou fundo no jogo, acreditando no potencial de se tornar um dos maiores esportes eletrônicos do mundo. Hoje, é presença constante tanto nos campeonatos mistos como nos femininos, tendo inclusive participado da transmissão do primeiro mundial da modalidade, o Masters Reyjavík.

Gustavo “Sacy” Rossi

Sacy durante o Mundial de Valorant, na Islândia — Foto: Reprodução/Colin Young-Wolff/Riot Games

Até 2019, Sacy podia ser visto em Summoner’s Rift, campo dos confrontos de League of Legends. No MOBA, ele ficou marcado por sua passagem pela RED Canids, entre 2015 e 2019, onde chegou a ser campeão do CBLOL em 2017, ao lado de Felipe “brTT” Gonçalves.

Mesmo tendo conquistado um dos principais títulos na carreira de um jogador profissional, Sacy decidiu dar uma grande reviravolta em sua vida no ano de 2020, fazendo a transição para o Valorant bem no lançamento do jogo. Uma mudança complicada, tendo em vista que a dinâmica do MOBA em nada se assemelha a do FPS.

Contudo, a aposta acabou dando certo e Sacy foi apontado como um dos melhores jogadores do Brasil pela comunidade naquele mesmo ano, título que perdura até os dias de hoje. Atualmente, ele é membro da Team Vikings, um dos melhores times do Brasil e que representou o país no Masters Reyjavík, ao lado da Sharks.

Luisa “Shyz” Minarelli

Shyz (à direita) durante o Media Day da B4 — Foto: Reprodução/B4

Assim como Sacy, Shyz também fez a difícil transição do League of Legends para o Valorant. Até meados de 2020, ela fazia parte do elenco feminino da Falkol, organização que se fundiu com a PRG para formar a Vorax, uma das atuais franquias do CBLOL. Contudo, com o lançamento do FPS, a jogadora decidiu mudar os ares e se arriscar na nova modalidade. Em novembro do mesmo ano, junto à sua equipe Fire Angels, fechou contrato com a INTZ e passou a defender as cores da organização.

Hoje em dia, a mesma equipe representa a B4, organização bastante conhecida no cenário de Free Fire e que começou a expandir para outras modalidades recentemente. Shyz e suas companheiras são consideradas o segundo melhor elenco feminino do país, atrás apenas da Gamelanders Purple.

Com informações de Liquipedia (1, 2 e 3), YouTube, Twitter e Leaguepedia (1 e 2)

Valorant: veja 13 personagens e suas habilidades

Valorant: veja 13 personagens e suas habilidades

Mais do TechTudo