Celulares

Por Thássius Veloso

Reprodução/Apple

O iPhone 13 terá ficha técnica e preço revelados num evento em 14 de setembro. A Apple enviou nesta tarde os convites para que imprensa e convidados acompanhem o keynote agendado para 14h00 (horário de Brasília). Analistas esperam que a companhia siga apostando numa linha com quatro modelos: iPhone 13 convencional, iPhone 13 Mini, iPhone 13 Pro e iPhone 13 Pro Max.

O convite traz o texto “California streaming” em inglês, no sentido de que a Califórnia fará a transmissão de algo. Não é coincidência: a sede da empresa fica em Cupertino, no estado americano. O evento será exibido no site apple.com, no aplicativo Apple TV e no canal oficial no YouTube.

Conceito de como seria o iPhone 13 em novas cores — Foto: Reprodução/Apple Tomorrow

A empresa conquistou alguns de seus melhores números com a geração de 2020, a primeira com acesso à internet 5G. Além disso, o design foi remodelado, com direito a traços mais retilíneos do que as curvas 3D dos modelos anteriores.

A fabricação de smartphones começa bem antes do anúncio dos produtos. No caso do iPhone 13, surgiram nas últimas semanas relatos de que a Apple teria exigido reforços na cadeia de suprimentos. Relatos dão conta de que 200 mil trabalhadores extras foram convocados para a produção da nova linha na China.

As fábricas asiáticas devem produzir entre 90 e 100 milhões de unidades para o lote inicial do produto. A empresa costuma entregar os aparelhos cerca de duas semanas após o lançamento em países selecionados, como os Estados Unidos, o que nos faz concluir que dezenas de milhões de unidades do iPhone 13 estariam prontas para remessa no fim de setembro.

Tradicionalmente o Brasil fica numa segunda onda de entregas, que costuma levar até dois meses. Por aqui, portanto, é de se esperar que os preços do sucessor do iPhone 12 sejam conhecidos mais para frente.

Cinco coisas que você precisa saber sobre o lançamento do iPhone 12

Cinco coisas que você precisa saber sobre o lançamento do iPhone 12

Há muita expectativa em torno das possíveis mudanças na linha do iPhone 13. Espera-se, por exemplo, que a Apple adote a tecnologia de tela Always On, em que informações básicas, como relógio e compromisso, aparecem no display mesmo quando ele está desligado. Produtos rivais oferecem o recurso há pelo menos cinco anos.

Isto seria possível a partir dos aprendizados com o Apple Watch, que nos últimos dois anos passou a contar com uma tecnologia similar, que constantemente exibe dados sem comprometer demais a bateria.

Também se fala sobre o retorno do Touch ID, o mecanismo de biometria por impressão digital que marcou os primeiros iPhones, mas que foi aposentado com a chegada do iPhone X e o Face ID. Hoje em dia, o iPad Air conta com uma biometria por impressão digital – o botão liga/desliga embute o sensor e fica localizado na lateral do tablet.

Fãs da Apple sonham com notch menor; tamanho é o mesmo desde o iPhone X (na foto) — Foto: Luciana Maline/TechTudo

A câmera ultra wide pode ficar melhor na nova geração de celulares. Ela seria capaz de capturar imagens mais precisas. Os aparelhos da série Pro, indicados ao uso profissional, também podem receber recursos ainda mais sofisticados no campo da fotografia.

Por ora há muitos rumores, como é de costume quando estamos falando da Apple. A empresa tenta manter máximo segredo sobre lançamentos que estão por vir – a ponto de notificar pessoas que vazaram novidades nas redes sociais. Fato é que o iPhone 13 será totalmente conhecido daqui a uma semana. O balcão de apostas está fervilhando.

iPhone 12 vs iPhone 11: o que muda no preço e na ficha técnica

iPhone 12 vs iPhone 11: o que muda no preço e na ficha técnica

Mais do TechTudo