E-reader

Por Filipe Garrett, para o TechTudo

Maria Clara Pestre/TechTudo

O Kindle de oitava geração lançado em 2016 ainda é uma opção no mercado nacional para quem procura um e-reader de entrada. Apesar de não constar no catálogo de produtos novos da Amazon, o dispositivo com tela sem iluminação ainda aparece à venda em algumas lojas do varejo nacional e no mercado de usados. Confira a seguir prós e contras do modelo.

Ainda que possua uma bateria generosa que dura aproximadamente quatro semanas, o Kindle de oitava geração sente o peso da idade. Isso porque o modelo de entrada já está em sua décima geração, que disponibiliza tela com iluminação por valores a partir de R$ 399 na Amazon. Outra opção em relação a ele seria a intermediária PaperWhite, que aparece à venda por R$ 499 com display de alta resolução e resistência à água.

Kindle de 8ª geração tem tela de 6 polegadas com função antirreflexo, mas sem iluminação — Foto: Divulgação/Amazon

PONTOS POSITIVOS

1. Baixo custo de entrada

Kindle de 8ª geração é opção em conta para quem não quer comprometer demais o orçamento ao experimentar livros digitais — Foto: Divulgação/Amazon

Nem todo leitor se adapta ao formato digital, uma vez que quem costuma ler regularmente tende a ter apego por seus livros impressos. É justamente neste ponto que o Kindle de oitava geração se posiciona como uma opção interessante para o usuário que cogita experimentar a leitura digital.

Mais barato do que os modelos mais completos e recentes, o aparelho representa um investimento baixo para o consumidor que deseja testar um Kindle, mas não tem certeza se irá se adaptar à leitura digital. Isso porque o uso de um e-reader pode quebrar hábitos antigos, como fazer anotações com caneta ou lápis nas páginas, emprestar livros para amigos, ou mesmo comprar novos títulos em sebos ou em feiras. Desse modo, caso o usuário não se adapte, terá um prejuízo menor.

2. Bateria de quatro semanas

Bateria do Kindle vai longe — Foto: Divulgação/Amazon

Todo Kindle é descrito pela Amazon como "capaz de aguentar semanas com apenas uma carga da bateria". O modelo de oitava geração, no entanto, vai além: promete aproximadamente um mês de uso sem precisar da tomada. Mais simples do que os modelos mais caros, com tela de menor resolução e sem iluminação própria, o aparelho acaba tendo um apetite menor por energia.

Alguns hábitos podem até mesmo prolongar ainda mais essa autonomia, como usar o aparelho com o Wi-Fi desligado. Desse modo, o usuário ligaria a internet sem fio apenas quando fosse baixar novos livros, atualizar o dispositivo ou sincronizar progressos de leitura.

3. Mesmas funções de leitura dos modelos mais caros

Funções novas introduzidas pelas atualizações da Amazon também estão chegando ao Kindle de 2016 — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

A versão mais simples do Kindle tem lá suas limitações – como veremos a seguir –, mas é importante considerar que os recursos de sistema típicos dos modelo estão disponíveis no aparelho: dicionários em diversos idiomas, anotações, possibilidade de mandar notas por email, acesso ao acervo global da Amazon com milhões de livros, personalização de fonte e texto, suporte a documentos em formato PDF e outras funcionalidades marcam presença no modelo.

Isso também vale para novidades, como suporte à exibição da capa do livro que você está lendo na tela de descanso e a nova interface gráfica do sistema da Amazon. O que você precisa considerar, no entanto, é que o Kindle de 2016 é mais antigo que os demais modelos em comercialização e deverá naturalmente perder suporte antes dos demais.

PONTOS NEGATIVOS

1. Não é o PaperWhite

Kindle PaperWhite é mais completo que a versão de entrada do modelo — Foto: Divulgação/ Amazon

O modelo PaperWhite aparece como a versão intermediária do Kindle há alguns anos e tende a ser a melhor recomendação para quem busca custo-benefício. Mais barato que a opção topo de linha Oasis e apenas R$ 100 mais caro que o Kindle de décima geração, o dispositivo possui resistência à água e tela de alta resolução como diferenciais em relação ao modelo de entrada.

No site da Amazon é possível comprar o Paperwhite por R$ 499 na versão de 8 GB ou R$ 649 na versão de 32 GB. O armazenamento interno é justamente outra grande diferença entre o modelo intermediário e o Kindle de oitava geração, que possui 4 GB disponíveis para armazenar e-books.

2. Tela de baixa definição e sem iluminação

Modelos mais caros têm tela com maior definição — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

Todos os Kindle usam displays tipo e-ink, que simulam o aspecto real do papel e não emitem luz como uma tela LCD ou OLED, permitindo leitura sem cansar os olhos. Entretanto, há algumas diferenças em qualidade de tela que acabam colocando o Kindle de oitava geração, que foi lançado como modelo de entrada em 2016, abaixo dos demais.

A primeira delas é a definição: são 167 ppi contra 300 ppi dos demais modelos. Na de 300 ppi, os pixels individuais que formam o texto na tela ficam indistinguíveis a olho nu, gerando um texto mais agradável de ler e que passa um aspecto mais próximo ao do papel impresso. Com 167 ppi, o Kindle mais simples terá texto com aspecto pixelado.

Outra diferença é a iluminação própria: modelos como o Kindle de décima geração – que é o de entrada atualmente –, o Paperwhite e o Oasis trazem um conjunto de LEDs no contorno da tela para iluminar o display e permitir leitura no escuro. O Kindle de 2016, por outro lado, não conta com iluminação interna.

3. Não é à prova d’água

Kindle Paperwhite e Oasis são à prova d'água — Foto: Divulgação/Amazon

Se você gosta de ler em locais como praia, piscina ou cachoeira, o Kindle de oitava geração pode não ser a melhor escolha: ao contrário de modelos mais recentes, o aparelho não tem design à prova d’água e a tendência é grande de que ele não sobreviva ao contato com líquidos em caso de acidentes.

Por outro lado, modelos como o Paperwhite e o Oasis contam com certificação IPX8 para resistir aencontros com a chuva, respingos e até mesmo submersão em profundidades de até 2 m por 60 minutos. Na água do mar, eles resistem a 0,25 m por até três minutos.

Com informações de Amazon (1/2)

Nota de transparência: Amazon e TechTudo mantêm uma parceria comercial. Ao clicar no link da loja, o TechTudo pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação. Os preços mencionados podem sofrer variação e a disponibilidade dos produtos está sujeita aos estoques.

Mais do TechTudo