Robótica

Por Vitória Bernardes, para o TechTudo


Uma robô artista de origem britânica foi liberada na última quarta-feira (20) pela alfândega do Egito após ser "presa" por suspeita de espionagem. Conhecida como Ai-Da, a robô e seu criador Aidan Meller ficaram dez dias detidos pela polícia do país. A viagem tinha sido agendada devido a um evento de pintura na pirâmide de Gizé, em que Ai-Da seria uma das atrações.

Quando Aidan e Ai-Da chegaram à alfândega do Egito, os guardas desconfiaram dos olhos da robô e acreditaram se tratar de alguma máquina espiã. Para deixá-los entrar, os policiais exigiram que fossem retirados o modem e os olhos da robô. Sem sua "visão", Ai-Da perderia o potencial de talento programado e não poderia pintar.

Robô artista é 'presa' e solta no Egito por medo de espionagem — Foto: Getty Images

Durante a conversa com os guardas egípcios, houve um consenso em retirar o modem da robô. Contudo, as câmeras acopladas nos olhos teriam de ser mantidas. A imagem gravada é configurada por meio de algoritmos de Inteligência Artificial (IA) e assim permite que Ai-Da reproduza quadros abstratos e outras pinturas. Por não haver um acordo entre as partes, a decisão foi mantê-los presos.

A embaixada do Reino Unido em Cairo trabalhou dia e noite para que a robô e seu criador fossem liberados pela alfândega egípcia. Um dia antes do evento, o alvará de soltura foi concedido, para alívio de todos. A embaixada declarou estar satisfeita com a decisão.

O evento de pinturas artísticas, conhecido como "Forever Is Now", acontece até o dia 7 de novembro. As exposições começaram na última quinta (21) e a robô conseguiu se apresentar para o público local. Aidan, criador de Ai-Da, enxergou essa situação como extremamente estressante, além de irônica.

Com informações de BBC e Engadget

Mais do TechTudo