Video game

Por Rafael Monteiro, para o TechTudo


A marca Xbox completa seu aniversário de 20 anos nesta segunda (15) e comemora duas décadas desde o lançamento do primeiro videogame Xbox em 2001. A história da Microsoft no mercado de games é marcada por consoles como o Xbox 360, Xbox One e recentemente o Xbox Series X/S, além de séries de sucesso como Halo, Forza, Gears, Microsoft Flight Simulator e mais. A seguir, relembre apostas da empresa como o Kinect e a Xbox Live, além de ideias que podem ser o futuro dos jogos, como o Xbox Game Pass e Xbox Cloud Gaming.

Ainda nesta segunda, a Microsoft realiza uma transmissão comemorativa dos 20 anos do Xbox às 15h no horário de Brasília, que poderá ser acompanhada no canal oficial do Xbox no YouTube, Twitch e Facebook com legendas disponíveis em português. Também será lançado um controle sem fio comemorativo de 20 anos com visual preto e detalhes em verde, assim como o design do primeiro Xbox. Ele será vendido por um preço sugerido de R$ 599 e poderá ser usado no Xbox One, Xbox Series X/S, PC com Windows 10, Android e iPhone (iOS).

O Xbox Series X e Series S são os consoles mais recentes em 20 anos da marca Xbox da Microsoft — Foto: Divulgação/Microsoft

Kinect

Revelado inicialmente na E3 2009 como Project Natal e lançado em 2010, o Kinect foi apresentado pela Microsoft como um periférico revolucionário. Tratava-se de um conjunto de câmera e microfone que podia captar os movimentos do usuário e reproduzi-los nos jogos ou permitir que ele interagisse com personagens virtuais, como na demo "Project Milo". O acessório ganhou bastante força no final da vida do Xbox 360 para combater os controles de movimento do Nintendo Wii que faziam muito sucesso na época.

O acessório Kinect para o Xbox 360 permitia usar movimentos com o corpo para controlar jogos — Foto: Divulgação/Microsoft

Apesar de ser mais conhecido por jogos casuais como Just Dance, Dance Central e Kinect Adventures!, ele foi utilizado também em jogos hardcore, por exemplo, para personalizar sua arma com gestos em Ghost Recon: Future Soldier, trocar peças de seu carro em tempo real em Need for Speed: Most Wanted e dar comandos a sua equipe em Mass Effect 3. Esses jogos faziam parte de uma linha "Better with Kinect" (Melhor com Kinect). O periférico teve um bom resultado no Xbox 360, com 10 milhões de unidades vendidas no primeiro ano, a ponto de quebrar recordes no livro dos recordes na época como o eletrônico com vendas mais rápidas.

O sucesso, no entanto, não foi reproduzido no Xbox One. No lançamento, o console da Microsoft exigia o periférico Kinect conectado para funcionar e por isso o videogame era vendido apenas em pacotes com o acessório incluso, o que o tornava US$ 100 (por volta de R$ 540) mais caro que o concorrente PlayStation 4. Poucos jogos utilizaram o acessório e a Microsoft rapidamente retirou o periférico do pacote do console. No entanto, formas diferentes de joysticks em jogos se tornaram mais comuns nas plataformas Xbox, como o controle adaptativo.

Integração PC + console

Durante a geração do Xbox One, a Microsoft começou a converter alguns de seus jogos exclusivos do console para PCs com Windows. A decisão chegou a preocupar usuários na época, já que não seria mais preciso possuir um console Xbox para jogar os exclusivos da empresa. Inicialmente os games eram lançados com algum tempo entre a versão console e PC, aproximadamente um ano, mas logo passaram a ser lançados no mesmo dia.

A Microsoft começou a lançar seus jogos exclusivos do Xbox também nos PCs e oferecer ambas as versões dos jogos através do Xbox Play Anywhere — Foto: Reprodução/Xbox

Não apenas os jogos do Xbox passaram a ser compatíveis com o PC, mas ao adquirir um jogo digitalmente na Loja Xbox ou Microsoft Store o usuário ganhava a versão de ambas as plataformas em um serviço chamado "Xbox Play Anywhere". Bastava ter uma versão digital de um game para jogá-lo tanto no Xbox quanto Windows 10, com seus dados salvos na nuvem pela Xbox Live. Atualmente, até mesmo a concorrente Sony tem seguido os passos da Microsoft e lançado seus títulos no PC, como God of War, Horizon Zero Dawn e Days Gone.

Xbox Live

Talvez a maior revolução da marca Xbox tenha se dado ainda no primeiro console da empresa, quando aproximadamente um ano após o seu lançamento jogadores foram introduzidos à rede online Xbox Live, hoje chamada de Xbox Network. O componente online em videogames ainda era raro. Tanto o PlayStation 2 quanto GameCube possuíam acessórios de modem para acessar a internet, mas eram usados em pouquíssimos jogos.

A Xbox Live foi uma grande revolução na estrutura online dos videogames — Foto: Divulgação/Microsoft

No Xbox, a parte online ganhava um grande foco e diversos títulos tinham suporte à Xbox Live. Com ele, a Microsoft introduziu também o conceito de pagar por um serviço online, uma assinatura mensal ou anual chamada Xbox Live Gold, que dava acesso ao multiplayer online. O fato de ser um serviço pago era incomum para jogadores nos consoles, mas a aposta valeu a pena na geração seguinte quando o Xbox 360 apresentava uma estrutura online muito superior a dos concorrentes PlayStation 3 e Nintendo Wii. As outras fabricantes logo aderiram também ao modelo de assinatura.

Nova geração em duas opções

Uma das maiores surpresas na nova geração de consoles da Microsoft é que o Xbox Series X veio acompanhado de uma segunda opção, o Xbox Series S. O console é capaz de rodar os mesmos jogos, porém em configurações mais modestas. Isso permitiu que o hardware do Xbox Series S fosse mais simples e mais barato. Enquanto o Xbox Series X é vendido por R$ 4.349, o Xbox Series S tem preço sugerido de R$ 2.649.

As diferentes versões do Xbox Series X e Xbox Series S podem permitir que mais usuários entrem na nova geração com um custo menor — Foto: Divulgação/Microsoft

O custo mais baixo do Xbox Series S fez com que ele se tornasse uma ótima opção para o mercado brasileiro, mas isso não impediu o tradicional humor da Internet quando o visual do videogame foi revelado. O design do console viralizou com piadas, onde foi comparado a eletrodomésticos, aparelhos de rádio, ar condicionado, caixas de som e muito mais.

Game Pass

Mais uma novidade da Microsoft que se adequou muito bem ao mercado brasileiro foi o lançamento do Xbox Game Pass em 1º de junho de 2017, um serviço de assinatura que garante acesso a mais de 100 jogos. Além do grande acervo de games, todos os títulos da Microsoft, e alguns de estúdios independentes, são disponibilizados no Game Pass no mesmo dia de seu lançamento.

O Xbox Game Pass é um dos grandes trunfos da Microsoft ao oferecer mais de 100 jogos através de uma assinatura mensal — Foto: Divulgação/Microsoft

O Xbox Game Pass expandiu suas operações para o PC e mais empresas têm buscado lançar serviços semelhantes de assinaturas, como EA Play e Ubisoft+ que garantem acesso a acervos de jogos da Electronic Arts e Ubisoft, respectivamente. Recentemente, a assinatura do Xbox Game Pass Ultimate passou a dar também acesso a outra aposta para o futuro da marca, o Xbox Cloud Gaming.

Cloud Gaming

A tecnologia de streaming de jogos na nuvem tem sido muito mencionada como o futuro da indústria. O Google Stadia e PlayStation Now já haviam tentado colocá-la em prática, sem muito sucesso em popularizá-la. Em 2018 a Microsoft anunciou o Project xCloud, que viria a se tornar o Xbox Cloud Gaming em 2019. Esta tecnologia permite que o usuário jogue os games do Xbox em um PC, smartphone ou tablet através da Internet sem precisar de um console. Enquanto isso, um Xbox Series X roda o jogo em um dos servidores da Microsoft a muitos quilômetros de distância.

O Xbox Cloud Gaming permite que usuários joguem games do Xbox através da Internet sem precisar do console — Foto: Divulgação/Microsoft

Serviços de streaming exigem uma conexão de Internet de boa qualidade, pelo menos 10 mb/s, e servidores locais, mas a maioria deles não parecia ter planos para disponibilizar seus serviços no Brasil. Em setembro de 2021, a Microsoft lançou o Xbox Cloud Gaming em fase de testes em território nacional e tem tido bastante sucesso.

App para TV

O sucesso da tecnologia de streaming do Xbox Cloud Gaming abriu portas para ainda mais possibilidades que permitem ao Xbox Game Pass ir além dos consoles, PCs e smartphones. A Microsoft já anunciou que firmou parcerias com fabricantes de TV para introduzir apps do Xbox em aparelhos de televisão que permitirão jogar direto na TV, sem o console. A empresa não revelou quais fabricantes irão oferecer o app ou quando a tecnologia chegará ao mercado.

Microsoft pretende ofecer um Xbox App para TVs e um "stick" para jogar Xbox na nuvem diretamente na TV, sem precisar do console, PC ou smartphone — Foto: Reprodução/Xbox

O chefe da divisão do Xbox, Phil Spencer, também mencionou que a empresa pretende lançar um "stick", assim como o Chromecast do Google ou Fire Stick da Amazon, que permitiria ser plugado na televisão para jogar os games do Xbox Cloud Gaming em uma televisão. Tanto os apps de TV quanto o stick foram mencionados por Phil em novembro de 2020 como produtos que poderiam chegar ao mercado em um ano.

Com informações de The Verge (1 e 2), The Guardian, Xbox (1 e 2), Xbox Wire (1, 2, 3 e 4), Game Informer, Polygon, Hollywood Reporter

Mais do TechTudo