Black Friday
Publicidade

Por Ana Letícia Loubak, do Home Office


A Black Friday 2021 mal começou, mas já acumula mais queixas do que a edição de 2020. Segundo dados do Reclame Aqui, os consumidores registraram, entre as 12h de quarta-feira (24) e as 6h desta sexta-feira (26), 5.678 reclamações sobre o evento na plataforma. O volume é 17% maior que o mesmo período da edição anterior. Até o momento, o site vem recebendo em média 138 reclamações por hora.

As reclamações sobre atraso na entrega lideram as queixas, respondendo por 20,88% das contestações no site. Propaganda enganosa, principal motivo das reclamações no ano anterior, aparece em segundo lugar. Já os produtos com os maiores índices de reclamação são os smartphones.

Black Friday 2021 começa com mais reclamações que a edição anterior — Foto: Chesnot/Getty Images

Assim como na edição anterior, os grandes e-commerces lideram a lista de empresas mais reclamadas. A Americanas Marketplace foi campeã de queixas neste início de Black Friday, com 272 reclamações. A Amazon, que nunca havia figurado no ranking, aparece logo em seguida, com 262 queixas. Depois vem o Magazine Luiza (loja online), que acumula 146 reclamações.

Black Friday reflete momento inflacionário do Brasil, diz levantamento

O ranking de produtos mais reclamados pelos consumidores sofreu mudanças em relação à edição anterior. Neste ano, livros, pontos e milhas aparecem pela primeira vez. O fato sinaliza um aquecimento no setor de viagens para as primeiras férias após a vacinação, que tem avançado no Brasil e impulsionado a retomada do turismo nacional.

Outra mudança envolve o surgimento de produtos de consumo como shampoo, perfume e itens de hipermercados, o que aponta para uma Black Friday em que consumidores priorizam a redução do custo mensal em detrimento do aproveitamento de ofertas de bens duráveis.

“Estamos vivendo a Black Friday da mercearia, o que deixa claro o momento inflacionário e difícil para as empresas e ainda mais para o consumidor. Itens de mercearia e higiene, por exemplo, são os únicos que restaram aos consumidores para buscar descontos reais, mostrando o momento contundente de inflação", analisa o CEO do Reclame AQUI, Edu Neves. "De um lado estão as empresas sem conseguir fazer promoções, e do outro, os consumidores sem dinheiro."

O top 10 de produtos mais reclamados de 2021 mostra itens de menor volume e peso em relação ao que tradicionalmente aparece nas Black Fridays. Segundo o Reclame Aqui, isso tem relação não apenas com o momento econômico do país, mas também com as ofertas com entregas rápidas oferecidas pelas lojas online.

Abaixo, confira a lista com as empresas mais reclamadas, os principais problemas enfrentados pelo consumidor e quais são os produtos com mais reclamações até agora na Black Friday 2021. O levantamento inclui dados reunidos até 6h desta sexta-feira (26).

Empresas com mais reclamações na Black Friday 2021

  1. Americanas Marketplace: 272 reclamações
  2. Amazon: 262 reclamações
  3. Magazine Luiza (loja online): 146 reclamações
  4. Americanas (loja online): 139 reclamações
  5. Carrefour (loja online): 128 reclamações
  6. Etna Home Store: 121 reclamações
  7. Mercado Livre: 85 reclamações
  8. Casas Bahia (loja online): 77 reclamações
  9. iFood: 69 reclamações
  10. KaBuM!: 69 reclamações

Principais queixas na Black Friday 2021

  1. Atraso na entrega: 20,88% das reclamações
  2. Propaganda enganosa: 16,59% das reclamações
  3. Estorno do valor pago: 8,82% das reclamações
  4. Produto errado: 6,15% das reclamações
  5. Problemas na finalização da compra: 5,99% das reclamações

Produtos mais reclamados na Black Friday 2021

  1. Smartphone: 8,08% das reclamações
  2. Serviço de entrega: 5,48% das reclamações
  3. Tênis: 4,14% das reclamações
  4. Cartão de crédito: 3,34% das reclamações
  5. Livros: 2,84% das reclamações

Mais do TechTudo