Celular

Por Filipe Garrett, para o TechTudo

TechTudo

O iPhone 12 Pro Max é o celular mais poderoso dentre os lançamentos da Apple em 2020. Pouco mais de um ano após sua chegada, ele ainda se mostra um smartphone premium, com ficha técnica recheada. O telefone dispõe de um sistema de câmeras de alta qualidade, apesar de não trazer a cobiçada tela de 120 Hz. Confira a seguir prós e contras do Pro Max.

O modelo mais potente da geração 2020 chegou ao Brasil por preços que partiam de R$ 10.999. No momento, ele pode ser encontrado por cifras a partir de R$ 8.799 na Amazon — desconto de R$ 2.200. São quatro cores: azul, dourado, prata e grafite.

Confira o lançamento da linha do iPhone 12

Confira o lançamento da linha do iPhone 12

PONTOS POSITIVOS

1. Fotografia de ponta

Câmeras do iPhone 12 Pro Max ainda estão entre as melhores do mercado — Foto: Divulgação/Apple

O iPhone 12 Pro Max já tem substituto nas prateleiras, mas o sistema de câmeras que equipa o aparelho de 2020 ainda é uma das referências do mercado. Começando pelos sensores, o telefone vem com três câmeras de 12 MP na traseira, basicamente a mesma composição encontrada nos novos iPhones 13 Pro e 13 Pro Max, apesar de os modelos recém-lançados terem adquirido novas funções como a captura em macro, suporte ProRes ou mesmo o modo cinematográfico.

Segundo a análise aprofundada do site DXO Mark, o sistema da Apple rende fotografias com níveis de exposição precisos, cores vívidas e de alta precisão, tudo complementado por imagens que apresentam um equilíbrio próximo do ideal entre textura e nível de ruído. Para os especialistas do site francês, há também pontos de destaque na agilidade do foco automático, margem de profundidade de campo e alta qualidade para modo retrato e captura de vídeo.

2. Já tem suporte 5G

Verificar compatibilidade com internet 5G pode ser interessante para usuários que querem smartphones com especificações atualizadas - Foto: Reprodução/Apple — Foto: TechTudo

A implementação da rede 5G deve começar apenas em 2022 no Brasil, mas, levando em conta que o tempo de vida médio de um smartphone chega a três anos na mão do consumidor e que iPhones tendem a durar mais tempo na mão de um mesmo dono do que aparelhos mais baratos, comprar um celular 5G agora pode ser uma boa ideia para o médio prazo.

Em termos de suporte, o 12 Pro Max é compatível com diversas bandas do 5G, inclusive com aquelas classificadas como mmWave, tipo de 5G de maior velocidade e custos de implementação, que devem estar disponíveis em breve no país.

3. MagSafe

Acessórios MagSafe para iPhone vão além do carregador sem fio — Foto: Reprodução/Apple

O MagSafe foi uma das novidades mais importantes da linha iPhone 12 e consiste num ecossistema de acessórios que usam uma conexão magnética da Apple. Há carregadores sem fio e cases que utilizam a tecnologia, além de suportes e docks para os celulares, inclusive de outros fabricantes que não a Apple e que são perfeitamente compatíveis com o iPhone.

Como o padrão é próprio da Apple, a tendência é que os acessórios sejam compatíveis com novas gerações dos iPhones, de forma que o investimento hoje num carregador sem fio com MagSafe pode acompanhar o usuário em sucessivas gerações do celular, mas também de iPads, AirPods etc – algo importante num mercado em que celulares sem carregadores na caixa são uma realidade.

4. Desempenho veloz

A14 ainda é bastante competitivo diante de processadores da Qualcomm — Foto: Reprodução/Apple

Assim como nas câmeras, o iPhone topo de linha de 2020 ainda faz bonito na performance. O celular roda com o processador A14 Bionic que tem desempenho suficiente para acompanhar smartphones premium Android equipados com o poderoso Snapdragon 888, da Qualcomm.

O processador da Apple é um hexa-core com dois núcleos de alta velocidade (até 3,1 GHz) e outros quatro de menor performance e baixo consumo de energia (até 1,8 GHz). Além do processador poderoso, o celular usa armazenamento em NVMe, mesma tecnologia dos SSDs mais velozes do mercado encontrados em computadores e consoles.

5. Bateria

iPhone 12 Pro Max roda processador A14 bionic — Foto: Divulgação/Apple

Um dos grandes trunfos da filosofia da Apple em integrar o desenvolvimento de hardware e software fica por conta da eficiência e o iPhone 12 Pro Max é um exemplo disso. Com uma bateria de 3.687 mAh – que seria considerada fraca num Android de ponta – o telefone da maçã consegue entregar desempenho de ponta e autonomia de dois dias de uso, segundo números oficiais da Apple e também de análises independentes de sites como DXO Mark, Apple Insider e Tom’s Guide.

A durabilidade com uma carga completa do iPhone 12 Pro Max encontra rivais em poucos smartphones no mercado. Entre os telefones da Apple ela só é superada pelo iPhone 13 Pro Max, versão mais nova e cara do aparelho.

PONTOS NEGATIVOS

1. Sem a tela de 120 Hz

iPhone 13 Pro Max já vem com tela de 120 Hz, tecnologia inexistente no modelo anterior — Foto: Apple/ Reprodução

Telas com atualização mais rápida estão se tornando comuns em smartphones mais caros, mas o modelo 2020 da Apple ainda usa um display de 60 Hz. Até que ponto o consumidor é capaz de perceber a diferença no uso de uma tela ou outra é uma questão em aberto e que pode variar de usuário para usuário, mas as diferenças em relação a modelos mais novos não param por aí.

Talvez mais importante do que os 120 Hz é a capacidade da tela ajustar em tempo real a velocidade da atualização. Aparelhos como os iPhone 13 Pro e 13 Pro Max fazem isso, permitindo que o display seja mais eficiente e equalize a atualização de acordo com o conteúdo: se você assistir um filme, geralmente em 24 Hz, a tela terá exatamente esse ritmo de atualização, garantindo uma experiência de maior qualidade e próxima da tela de cinema.

Da mesma forma, ao usar um game ou app que possa entregar 120 novas imagens por segundo, o display terá esse ritmo de atualização, gerando gráficos mais fluidos e naturais. Para quem curte games competitivos, mais do que um conforto, a novidade representa um ganho competitivo expressivo, já que pode reduzir o atraso nas reações a cada lance da partida.

2. Vendido sem carregador

Quem não tem carregador (ou cabo) compatível vai ter que comprar — Foto: Divulgação/Apple

A Apple inaugurou a tendência e outras marcas, como a Samsung, vêm seguindo o exemplo de colocar seus celulares no mercado sem carregador e fone de ouvido na caixa. De acordo com a empresa da maçã, a medida está relacionada com a preocupação com o meio-ambiente.

O problema é que nem todo mundo tem carregador compatível com o cabo Lightning para USB-C que acompanha o iPhone em casa, o que em si já representa um custo adicional ao consumidor que terá de comprar um carregador. Outro problema diz respeito à origem: o custo do acessório original da Apple é alto (R$ 199 na versão de 20 Watts) e a tentação em comprar um carregador mais barato – e que pode ter baixa qualidade – pode ser tentadora.

3. Pouca diferença em relação ao iPhone 11 Pro Max

iPhone 11 Pro Max ainda pode ser uma opção para quem procura um iPhone novo — Foto: Divulgação/Apple

Na comparação com o modelo de 2019, o iPhone 12 Pro Max apresenta poucas diferenças e esse ponto pode ser suficiente para considerar o celular mais antigo na hora da compra. As maiores diferenças entre os dois aparelhos são o processador, mais rápido no modelo 12, e o suporte à rede 5G, que inexiste no 11.

iPhones tendem a segurar um valor maior de revenda e como os celulares comprados novos têm preços altos, apostar num modelo um pouco mais antigo pode ser uma opção para quem gosta do ecossistema da Apple, anda precisando comprar um smartphone, mas não se empolga com os preços das gerações mais recentes.

4. Rivais Android mais atuais e baratos

Custando bem menos, Galaxy S21 Ultra tem tela de 120 Hz, bateria duradoura e câmeras de qualidade — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

Como se vê, o iPhone 12 Pro Max ainda é um smartphone premium relevante, com ótima performance, sistema de câmeras de ponta, tela e bateria de qualidade. A restrição em torno do celular é o preço, que no momento gira em torno de R$ 9.000 na Amazon.

Se os produtos e serviços da Apple não forem fundamentais na hora da compra, vale a pena considerar alguns celulares Android. O Galaxy S21 Ultra, por exemplo, possui tela adaptável de até 120 Hz, sistema de câmeras poderoso, suporte à rede 5G e bateria generosa, custando a partir de R$ 6.799 na Amazon. Outra opção é o Galaxy Note 20 Ultra, que acompanha caneta S Pen e também pode ser encontrado por valores a partir de R$ 6.160.

Apple iPhone 12 Pro Max

Especificações iPhone 12 Pro Max
Lançamento Novembro de 2020
Preço de lançamento a partir de R$ 10.999
Preço atual a partir de R$ 8.799
Tela 6,7 polegadas
Resolução de tela 2778 x 1284 pixels
Processador A14 Bionic
Memória RAM 6 GB
Armazenamento 128 / 256 / 512 GB
Cartão de memória sem suporte
Câmera principal tripla, 12 MP + sensor LiDAR
Câmera frontal 12 MP
Sistema operacional iOS 14
Bateria 3.687 mAh
Dimensões e peso 160,8 x 78,1 x 7,4 mm; 226 gramas
Cores grafite, prata, dourado e azul claro

Com informações de Apple, DXO Mark (1/2), AppleInsider e Tom’s Guide

Nota de transparência: Amazon e TechTudo mantêm uma parceria comercial. Ao clicar no link da loja, o TechTudo pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação. Os preços mencionados podem sofrer variação e a disponibilidade dos produtos está sujeita aos estoques.

Mais do TechTudo