Por Filipe Garrett, para o TechTudo


Jogos NFT utilizam a tecnologia blockchain por trás de criptomoedas como Bitcoin e Ethereum para permitir a seus usuários ganharem dinheiro jogando. O gênero tem se popularizado com games que transformam itens e até mesmo personagens em elementos únicos (ou a menos escassos), o que possibilita a venda dos mesmos para obter lucros em dinheiro real. Recentemente, mesmo desenvolvedoras como EA Games e Ubisoft já demonstraram interesse em agregar NFTs em seus futuros lançamentos. Entenda a seguir o que são esses títulos, como funcionam e se é seguro jogar.

Axie Infinity é um jogo que utiliza a rede blockchain e promete ao usuário dinheiro de verdade — Foto: Divulgação/Axie Infinity

O que são NFTs?

NFT é uma sigla em inglês para “Token Não-Fungível”, que funciona como uma espécie de certificado digital estabelecido por meio da mesma tecnologia blockchain por trás das criptomoedas. Esse registro confere a determinado item digital uma originalidade, ou seja, garante que aquela arte, post em rede social ou item de jogo é único ou um dos poucos no mundo. Um exemplo de como isso funciona é a venda do primeiro tuíte da história, associado a um NFT e vendido por US$ 3,8 milhões.

Para entender a ideia por trás do NFT precisamos compreender o que são bens fungíveis e não-fungíveis. Uma moeda, por exemplo, é fungível, ou seja, não têm distinção entre si. Portanto, uma moeda de R$ 1 pode ser trocada por outra de mesmo valor sem perda ou ganho. Já uma obra de arte é um bem não-fungível, já que serão sempre diferentes.

Presença de carros e outros itens NFT no GTA RP Cidade Alta é outro exemplo do crescimento da modalidade — Foto: Divulgação/Cidade Alta

Os NFTs aplicam esse mesmo conceito para bens digitais. Um certificado desse tipo pode tornar um meme, uma imagem, um GIF, vídeo, música ou site em um bem não-fungível. A partir disso, o item acaba sendo apreciado pelo mercado, principalmente se houver interesse e demanda sobre ele, o que pode levar a uma valorização.

Em games, os NFTs têm sido associados a conteúdos assinados digitalmente com a tecnologia. Um exemplo que tem se tornado popular é de jogos no estilo Pokémon, em que as criaturas que o jogador coleciona são NFTs que podem se valorizar no mercado.

A ideia é obter monstrinhos mais especiais, raros e poderosos, que terão alta demanda e, consequentemente, maior valorização. Outras aplicações podem vincular coletáveis e itens cosméticos gerados e obtidos dentro de jogos em NFTs, permitindo ao jogador ganhar dinheiro jogando.

É preciso pagar para jogar?

Tudo vai depender do jogo e da aplicação dos NFTs. No momento, Axie Infinity é o game NFT mais popular, e, para jogar, é necessário comprar ao menos três axies (os monstrinhos colecionáveis do game). Hoje, eles são vendidos a preços que partem dos US$ 400 (R$ 2.234, em conversão direta), ou seja, para começar o game você precisa gastar ao menos R$ 6.581 (ou US$ 1.200).

Gods Unchained é um exemplo de NFT grátis para jogar — Foto: Divulgação/Gods Unchained

Mas há exemplos gratuitos, como Gods Unchained, que é basicamente um game de cartas e estratégia. Ao começar, todo jogador recebe um deck de 140 cartas, que não têm valor na rede interna do game e, portanto, não podem ser comercializadas. Conforme o usuário joga e evolui no game, pode começar a reunir cartas especiais com valor para negociar com outros colecionadores e jogadores.

Por que os jogos dão dinheiro?

A ideia do NFT é determinar a singularidade de determinado item. A partir do momento que algo é singular, especial e, consequentemente, raro, um mercado em torno desse tipo de item pode surgir (desde que exista uma demanda sobre ele).

Em games, itens especiais sempre despertam interesse. Ter um mercado voltado a cosméticos, equipamentos, entre outros, não é novidade, como acontece em comunidades de CS:GO ou mesmo na venda de DLCs apenas com skins, por exemplo.

Primeiro tweet do mundo foi à venda em formato NFT — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Jogos NFT são construídos em torno dessa noção de que existe demanda em cima de itens especiais, incentivando o nascimento de um mercado de trocas. Esses sistemas operam os mesmos princípios e tecnologias que orientam o funcionamento das criptomoedas. Assim como qualquer outro mercado, estão sujeitos a oscilações, tanto em virtude da especulação ao redor dos ativos NFTs quanto pela lei de oferta e demanda.

Eles são seguros?

Como qualquer tipo de atividade que envolve dinheiro, o nível de segurança depende em grande parte do usuário. Para jogar (ou investir) em games desse gênero, é importante ter uma boa noção de como funcionam blockchains para adotar as melhores práticas e não levar sustos. Outro cuidado importante é procurar se informar a respeito do jogo em si. Ele é fruto de desenvolvedores confiáveis? O mercado do mesmo opera com o uso de plataformas de boa reputação? A oscilação de valores é muito grande?

Mesmos cuidados com criptomoedas valem na hora de negociar NFTs obtidos em games — Foto: Reprodução/Islam and Bitcoin

Por fim, você só deve se envolver com esse tipo de jogo ao compreender que é possível perder dinheiro com NFTs, assim como em outros investimentos de risco. Suponha que você comprou algum item por R$ 100, mas, passado algum tempo, o mesmo item é apreciado a R$ 50 pela comunidade. Nesse caso, você não necessariamente foi vítima de um golpe ou de um roubo, mas apenas do efeito negativo da especulação em cima de um ativo que é extremamente volátil e sujeito a oscilações.

Dicas para evitar problemas

Como abordamos anteriormente, vale a pena buscar informações sobre como criptomoedas funcionam no geral, assim como a blockchain por trás. Outra precaução importante é associar-se com uma corretora (as chamadas “exchanges”) que negociem o ativo do game que você está interessado.

A corretora atua como uma mediadora para colocar seus NFTs à disposição de compradores interessados, assim como para adquirir novos itens. Serviços do tipo oferecem uma infinidade de recursos técnicos, mapas e gráficos que permitem acompanhar a evolução do mercado de NFTs e das criptomoedas que porventura interessem a você.

EA acredita que NFTs serão uma parte integral dos games no futuro — Foto: Reprodução/Electronic Arts

Também é importante ter posse de uma carteira local para armazenar seus ativos digitais. Com isso, você pode efetivamente carregar suas criptomoedas e NFTs isolado de problemas que possam afetar a corretora. Há ainda carteiras na nuvem, mas existem casos documentados de pessoas que perderam seus criptoativos depois que uma carteira digital se comprovou um golpe ou mesmo quando uma corretora desapareceu.

Exemplos de games NFT

Além de Axie Infinity e Gods Unchained, há outros títulos de destaque no gênero. Entre eles estão Splinterlands, que aposta em uma gameplay de cartas e trocas, e Sandbox 3D, em que jogadores podem criar e manipular objetos 3D negociados por meio de blockchain. Outro exemplo é o Alien Worlds, que envolve leis da economia e trabalho em equipe para jogadores descobrirem novos planetas. O jogo gira em torno dos Trilium, espécie de moeda que é coletada e usada também para expandir bases, entre outras funçoes.

Ubisoft e EA, responsáveis por grandes títulos do mercado (os AAA), já admitem avaliar trazer NFTs em seus produtos no futuro. Isso pode significar que, um dia, um game de mundo aberto da Ubisoft, tradicionalmente recheado de colecionáveis, possa associar esse tipo de item a NFTs para que jogadores os troquem ou comercializem entre si. No caso da EA, a desenvolvedora poderia associar NFTs aos cards do modo Ultimate Team do FIFA, por exemplo.

Mais do TechTudo