Celulares

Por Isabele Scavassa, para o TechTudo

Thássius Veloso/TechTudo

O Moto G100 é um smartphone intermediário da Motorola que foi lançado com a promessa de ser “o Moto G mais poderoso de todos os tempos”. Anunciado por R$ 3.999, o celular 5G possui generosos 256 GB de armazenamento e aparece com desconto de quase R$ 1.000, o que deve ajudá-lo a figurar entre os telefones mais buscados da Black Friday 2021. Confira seus prós e contras nas linhas a seguir.

Com ficha técnica recheada, o Moto G100 pode ser encontrado por valores a partir de R$ 3.000 na Amazon. O smartphone traz a inusitada câmera frontal dupla como um dos diferenciais. Por outro lado, fica atrás dos concorrentes ao deixar de lado a certificação de resistência à água e ao conferir apenas um ano de atualização garantido pela Motorola.

Moto G100 está disponível nas cores azul e branco — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

PONTOS POSITIVOS

1. Muitas câmeras

O Moto G100 traz quatro sensores no conjunto fotográfico traseiro – três câmeras e o Time of Flight (TOF), que auxilia no foco e em aplicações de realidade aumentada (AR). O arranjo traz sensor principal de 64 MP com abertura focal de f/1.7. Além disso, o telefone possui uma câmera híbrida, que varia entre ultra wide e macro, sempre com 16 MP.

Moto G100 tem traseira de plástico — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

Esse sistema é capaz de capturar imagens com ângulo mais amplo por conta da tecnologia ultra angular e também fotos bem próximas com riqueza de detalhes por meio da lente macro. Já o sensor de profundidade, com 2 MP e abertura de f/2.2, consegue tirar fotos com o fundo desfocado, o famoso modo retrato.

Já na parte frontal do aparelho, o Moto G100 traz dois sensores para selfies: um de 16 MP para exercer a função de câmera principal e outro de 8 MP para o sensor de profundidade. Deste modo, o celular disponibiliza mais alternativas para fotografias também na câmera frontal.

2. Bateria para dois dias

Moto G100 traz capacidade de bateria de 5.000 mAh — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

O celular traz uma capacidade de bateria de 5.000 mAh, valor deve ser suficiente para conferir até dois dias do aparelho longe das tomadas sob uso moderado, de acordo com a fabricante. A autonomia está na frente do também intermediário Galaxy A52, por exemplo, que oferece 4.500 mAh. A recarga é feita com um carregador de 20W de potência, o que otimiza o tempo de carregamento do Moto G100.

3. Tela

A tela de 6,7 polegadas presente no intermediário da Motorola usa uma resolução em Full HD+ para exibir os conteúdos aos usuários. O tamanho significativo pode ser um ponto positivo entre os consumidores que procuram maiores proporções para consumir filmes, séries ou usar no dia a dia.

Somado ao tamanho, a fabricante insere também uma taxa de atualização de 90 Hz, um pouco maior do que os 60 Hz comumente vistos nos displays de aparelhos básicos e intermediários. Isso quer dizer que o telefone atualiza 90 vezes por segundo, o que diminui a possibilidade de deixar rastros na tela durante a transição de imagens.

4. Entrada P2

Entrada para cabo do tipo P2 está cada vez mais rara nos celulares — Foto: Marvin Costa/TechTudo

A porta P2, responsável por plugar os fones de ouvido e outros dispositivos de áudio, acompanha a estrutura do G100. Isso vai na contramão do mercado, já que tem sido cada vez mais raro encontrar a entrada circular em novos smartphones. Ela tem sido substituída pela mesma porta usada para o carregamento do telefone. Nesse caso, a fabricante optou por manter a P2 e deixar a outra abertura, no formato USB-C, apenas para a recarga do smartphone.

5. Conexão 5G

O Moto G100 inaugura a internet móvel de quinta geração na linha Moto G, junto com o Moto G 5G e o Moto G50. Portanto, os consumidores que querem estar preparados para o futuro da conectividade no país têm neste modelo uma boa opção.

Celular intermediário da Motorola investe em conexão 5G — Foto: TechTudo

O G100 opera com DSS e sub-6. A primeira modalidade já está disponível em algumas regiões do país e usa a mesma estrutura do 4G para funcionar. A segunda, por sua vez, será implementada a partir de 2022 no Brasil.

PONTOS NEGATIVOS

1. Sem resistência à água

O Moto G100 não traz nenhuma certificação de resistência à água ou poeira. Isso deixa o telefone em desvantagem no mercado, já que rivais costumam oferecer esse diferencial. Exemplo disso é o Samsung Galaxy A72, que traz a certificação IP67, que conferem proteção contra mergulhos de até um metro.

Traseira do Moto G100 muda de cor conforme a incidência de luz — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

2. Painel LCD

O display usado no Moto G100 conta com tecnologia LCD. Ou seja, se por um lado ele se destaca pelo tamanho, por outro, pode representar uma desvantagem para algumas pessoas. Esse tipo de painel pode deixar a desejar na exibição de cores, principalmente na tonalidade preta.

Moto G100 tem botão lateral dedicado ao Google Assistente — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

O funcionamento do LCD conta com uma luz que fica constantemente acesa, o que deixa o preto com uma característica acinzentada. Em outras variações, por exemplo, é possível conseguir o preto absoluto ao desligar os emissores quando necessário. Outros aspectos negativos que acompanham a tecnologia do display do G100 são a limitação no ângulo de visão e o maior consumo de energia.

3. Atualização do sistema

As fabricantes têm se movimentado para ampliar o tempo de atualização para os seus celulares. A exemplo disso, é possível citar a decisão da Samsung, que promete até três updates de sistema para os novos smartphones, além de cinco anos de patches de segurança.

A Motorola, no entanto, parece caminhar no sentido oposto ao garantir apenas uma atualização para o Moto G100. Esse fator deve pesar entre os consumidores que procuram longevidade do software na hora de escolher um telefone, principalmente em um cenário em que os concorrentes oferecem uma vida útil maior nesse aspecto.

Ficha técnica do Moto G100

  • Tela: 6,7 polegadas
  • Resolução da tela: Full HD+ (2520 x 1080 pixels)
  • Processador: Snapdragon 870
  • Memória RAM: 12 GB
  • Armazenamento: 256 GB
  • Cartão de memória: sim, microSD de até 1 TB
  • Câmera traseira: quádrupla, 64 MP, 16 MP, 2 MP e foco a laser
  • Câmera frontal: dupla, 16 e 8 MP
  • Bateria: 5.000 mAh
  • Sistema operacional: Android 11
  • Dimensões e peso: 168,4 x 74 x 9,7 mm; 207 g
  • Cores disponíveis: azul e branco
  • Lançamento: março de 2021
  • Preço de lançamento: R$ 3.999
  • Preço atual: R$ 3.000

Nota de transparência: Amazon e TechTudo mantêm uma parceria comercial. Ao clicar no link da loja, o TechTudo pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação. Os preços mencionados podem sofrer variação e a disponibilidade dos produtos está sujeita aos estoques.

Mais do TechTudo