Por Filipe Garrett, para o TechTudo

Divulgação/Facebook

A proposta de um metaverso conectado só será possível com um aumento de mil vezes na capacidade computacional disponível em datacenters e dispositivos domésticos hoje. É o que acredita Raja Koduri, vice-presidente dos setores de computação acelerada e gráficos da Intel. Para ele, a plataforma pode suceder web e mobile, mas “nossa infraestrutura de computação, armazenamento e rede atual não é suficiente para atender a essa visão”.

Nas previsões da Intel, os próximos cinco anos na fabricação de semicondutores devem gerar cerca de dez vezes o poderio computacional atual. O executivo especula que a diferença pode ser coberta com aprimoramento em software e novas tecnologias, como DLSS ou XeSS, que usam Inteligência Artificial para aprimorar gráficos e consequentes ganhos expressivos de performance.

Mundo conectado do metaverso ainda está distante da realidade, nas contas da Intel — Foto: Carol Fernandes/TechTudo

Koduri argumenta que hoje é impossível colocar dois participantes simultâneos dentro de um mesmo cenário de realidade virtual completamente detalhado. As exigências para dois avatares de alta qualidade simulados em tempo real, com direito a um ambiente com gráficos ultrarrealistas, não é algo que nossas conexões de Internet consigam desempenhar de forma estável e com baixa latência.

As contas da Intel não parecem estar erradas quando se observa o que é possível atualmente e o que a visão de um metaverso, capaz de simular a vida real, promete. Considerando o Horizon Worlds, experiência de realidade virtual criada pelo Meta tem limite para apenas 20 participantes simultâneos por sessão. Mesmo em games multiplayer, alguns poucos títulos permitem mais de 100 participantes por partida.

Outros paralelos que sublinham as limitações do hardware atual estão também nas demandas que conteúdo de alta qualidade para realidade virtual impõe. Um PC capaz de encarar games desse tipo, por exemplo, custa bem caro e está longe da portabilidade e facilidade de uso imaginada para que algo como um metaverso se torne viável.

Com informações de The Verge

Mais do TechTudo