Celular
Publicidade

Por Isabele Scavassa, para o TechTudo


Muitos consumidores sonham com smartphones com espaço de sobra para guardar arquivos. Ainda assim, a fabricante de eletrônicos Kingston revelou que o maior empecilho para a produção de cartões de memória com amplo espaço é a baixíssima demanda da clientela.

A companhia disse ao site Android Authority que as vendas de cartões microSD de 1 TB representam 0,3% do mercado. Por conta disso, hoje em dia não há motivo para produzir componentes de 2 TB, a capacidade máxima vista em smartphones de ponta.

O microSD é usado para armazenar fotos, vídeos, documentos em smartphones — Foto: Lucas Mendes/TechTudo

O próprio microSD de 1 TB levou um tempo para chegar ao que é hoje, com uma jornada de dez anos até ser comercializado no mercado. Mesmo estando disponível, ele não registra tanta procura, como apontam os números divulgados na entrevista. Uma relevante parcela dos consumidores se contenta com espaço de 512 GB ou menos.

Outro ponto considerado foi o movimento que as fabricantes têm seguido para remover o suporte para microSD de alguns celulares, como aconteceu com o Galaxy S21. Já Apple impede o uso de cartão de memória desde o primeiro iPhone. Ela tem aumentado gradativamente o armazenamento, chegando a 1 TB com os recentes iPhone 13 Pro e iPhone 13 Pro Max.

Há ressalvas para o movimento de acabar com entrada microSD. Hoje em dia há diversos produtos básicos e intermediários que contam com um recurso, um mecanismo para que os consumidores mais exigentes possam pagar menos e depois tenham condições de ampliar o espaço do aparelho.

Outros segmentos têm procurado pelo microSD, com destaque para câmeras de ação, drones, câmeras de vigilâncias e carros – por causa dos sistemas multimídia. No mundo dos games, os headsets de realidade virtual e os consoles de jogos portáteis também fazem isso do apetrecho.

Com informações de Android Authority

Mais do TechTudo