Wearables
Publicidade

Por Isabele Scavassa, para o TechTudo

Thássius Veloso/TechTudo

Viralizou no TikTok um vídeo que denuncia suposta invasão de privacidade no Apple AirTag, o rastreador digital lançado em 2021. A postagem feita por Erica Torres na semana passada ganhou tração ao mostrar um iPhone identificando a presença do novo dispositivo nas redondezas, que supostamente monitoraria seu trajeto. A postagem que, acumula mais de 1,1 milhão de visualizações, virou manchete do jornal New York Times.

O acontecimento relatado não parece ser um caso isolado, visto que outros usuários reclamaram de situações parecidas. O New York Times narrou outras ocorrências e ressaltou que, em muitos dos episódios, a polícia não estava preparada. Os agentes de segurança no exterior pediam às vítimas para retornarem caso houvesse uma perseguição.

Apple AirTag pode ser usado por pessoas mal intencionadas para rastreamento — Foto: Divulgação/Apple

No caso da Erica, a história não teve um desfecho satisfatório, pois, ao chegar à delegacia, ela não conseguiu demonstrar que um AirTag estaria próximo de seu smartphone. Em outras situações, consumidores chegaram a contatar a fabricante, que tentou interromper a conexão entre o iPhone e o rastreador.

O porta-voz da Apple Alex Kirschner disse ao New York Times que a empresa leva os consumidores a sério e é “comprometida com a privacidade e segurança do AirTag”. Uma atualização lançada em 2021 permitiu que os pequenos dispositivos emitissem um sinal sonoro quando ficassem mais de um dia longe do iPhone original. A ação poderia ajudar a identificar um rastreador que tenha sido colocado de forma mal intencionada no carro ou na bolsa de alguém.

AirTag, o rastreador da Apple — Foto: Reprodução/Apple

Entretanto, essa identificação fica um pouco mais difícil quando se trata de um dono de celular com sistema Android. Isso porque o sistema em questão não conta com os mesmos recursos dos iPhones para detectar AirTags não identificados nas redondezas. A Apple liberou um app na Google Play Store que auxilia neste processo, que é automático nos smartphones da marca.

Até o momento, a atualização para prevenir stalkers foi um dos primeiros passos da fabricante para melhorar a segurança, mas pode ser que outras medidas sejam adotadas futuramente.

O Apple AirTag foi lançado mundialmente em abril de 2021 e chegou ao Brasil mais tarde, em maio daquele ano. O preço sugerido começa em R$ 369. A proposta do produto é encontrar rapidamente pertences pessoais como mochilas, malas, chaveiros e bicicletas. Seu uso não é recomendado para rastrear pessoas ou animais. A categoria de rastreadores digitais está aquecida nos Estados Unidos.

Com informações de New York Times, Daily Dot e TikTok

Mais do TechTudo