Jogos de ação
Publicidade

Por Fernando Braga

Divulgação Ubisoft

Tom Clancy’s Rainbow Six Extraction é o mais novo jogo da Ubisoft que dá sequência a uma de suas maiores franquias. Em Extraction, chamado anteriormente de Quarantine, o foco da jogabilidade é totalmente na cooperação entre os jogadores, mudando completamente o estilo em relação a seu antecessor Rainbow Six Siege. Com lançamento marcado para 20 de janeiro, o título ficará disponível para PlayStation 5 (PS5), PlayStation 4 (PS4), Xbox Series X/S, Xbox One e PC (via Ubisoft Store e Epic Games Store).

A versão base do jogo pode ser adquirida pelo preço R$ 169,99 para PC, R$ 199,95 para Xbox One e Series X/S e R$ 189,90 para PS4/PS5. O TechTudo foi convidado para conhecer o novo game de forma antecipada e traz detalhes da gameplay de Rainbow Six Extraction.

Rainbow Six Extraction permite formar grupos de até três jogadores em cada missão para enfrentar inimigos poderosos — Foto: Divugação/Ubisoft

História

Em Rainbow Six Extraction os jogadores não têm outros players como adversários. Dessa vez, todos se unem contra um mal maior: uma ameaça alienígena letal. O game é um fps cooperativo tático para até três jogadores, apresentando amados operadores do universo Rainbow Six. Os jogadores assumem o papel de membros do esquadrão denominado “Rainbow Exogenous Analysis & Containment Team” (REACT).

Os soldados são altamente treinados e selecionados a dedo para salvar o planeta Terra das criaturas conhecidas como Archæans. Os combatentes participam de missões, com diferentes objetivos nos locais infestados pelos aliens, para tentar destruir os monstros e expulsá-los do planeta. A origem dos inimigos não foi explicada durante o nosso teste, entretanto, como a maioria dos jogos do mesmo gênero, a história não é o foco aqui.

O jogo possui cinco tipos de inimigos principais: sower, tormentor, lurker, bloater e líder — Foto: Divulgação/Ubisoft

Jogabilidade

Os jogadores podem formar equipes de até três pessoas (também é possível jogar sozinho) para entrar em cada mapa. Cada uma das 12 zonas contaminadas possuem um total de 13 objetivos aleatórios. Eles variam entre eliminar ou capturar alvos específicos, resgatar aliados, assegurar pontos de interesse, entre outros.

Ao completar as tarefas, ou se a situação ficar muito complicada, os jogadores podem decidir pedir para serem resgatados do local e encerrar a missão. Se optarem por seguir para o local seguinte, as recompensas e, consequentemente, a dificuldade, também são consideravelmente maiores. Vale alertar que cada mapa está pelo menos três vezes maior do que a maioria dos encontrados em R6 Siege. Prepare-se para morrer bastante até conhecer cada detalhe das zonas.

Os jogadores precisam utilizar tácticas diferentes para completar cada missão em R6 Extraction — Foto: Divugação/Ubisoft

Ao completar as missões o jogador recebe experiência para evoluir os soldados e desbloquear novos recursos. O sistema de progressão de habilidades possui muitas opções e, ao todo, o game apresenta mais de 90 armas e dispositivos. Pela primeira vez em Rainbow Six é possível personalizar completamente os equipamentos antes de iniciar uma missão.

Uma novidade é a adição de um sistema “Buddy Pass". Assim, o usuário que comprar Rainbow Six Extraction pode convidar dois amigos para jogar o cooperativo online por até 14 dias, mesmo que eles não tenham adquirido o game. Também de acordo com a desenvolvedora, players que também tenham Rainbow Six Siege em sua conta receberão um bônus de conteúdo em ambos os jogos, no valor aproximado de US$ 40.

Diversão

Cada inimigo possui habilidades únicas e é preciso conhecê-las bem para ter sucesso nas missões de R6 Extraction — Foto: Divugação/Ubisoft

Ao contrário da grande maioria dos títulos da franquia Rainbow Six, Extraction é um jogo totalmente focado no modo online cooperativo. Seus antecessores fizeram muito sucesso, principalmente Rainbow Six Siege, com o crescimento da indústria dos esports, com modos PvP.

Entretanto, apesar de não colocar jogadores cara a cara, o novo título mantém a pegada competitiva ao dar bastante ênfase aos rankings de pontuação e desafios semanais. Apesar de ter a opção solo, o game é bastante focado na interação entre os players para desenvolver a jogabilidade dentro dos mapas.

Ao trazer 13 tipos de missões com monstros variados em 12 zonas diferentes, a ideia da desenvolvedora é criar experiências únicas cada vez que o jogador iniciar sua gameplay. De fato, o jogo possui bastante conteúdo para novos usuários, sendo bastante divertido ao explorar novos cenários e conhecer novos inimigos. Entretanto, após algumas horas, a jogatina pode se tornar um pouco repetitiva, e a interaçao com amigos durante o combate pode ser uma forma de resolver o problema.

Ao chegar na terceira parte de cada missão, é preciso enfrentar o líder: o monstro mais forte de todos! — Foto: Divugação/Ubisoft

Os gráficos do jogo não apresentam grandes novidades do que já foi apresentado na franquia. Os mapas continuam bem detalhados, com opção de destruição de janelas e caixas. Com 12 zonas diferentes, o jogo oferece uma boa variedade de cenários para os jogadores desfrutarem durante o tiroteio, como, por exemplo, o frio estado do Alasca.

O jogo é um prato cheio para quem gosta de jogos de tiro em primeiro pessoa e combates mais táticos. Fãs da série Rainbow Six com certeza terão muitas horas de conteúdo, mas dessa vez enfrentando a “máquina” ao invés de outros players.

Mais do TechTudo