Publicidade

Por Thássius Veloso (@thassius)

Thássius Veloso/TechTudo

O Galaxy S22 e o Galaxy Tab S8 não foram as únicas novidades relevantes do evento Unpacked, realizado pela Samsung nesta semana. Nem todo mundo dá conta de comprar os celulares e tablets mais modernos da marca. Pensando nos atuais clientes, a gigante sul-coreana ampliou a promessa de atualizações de sistema e afastou a carcomida tese de obsolescência programada.

Primeiro de tudo, é importante reconhecer que a Samsung já vem fazendo um trabalho pioneiro na entrega de updates do sistema Android e das tecnologias da One UI, a interface própria da empresa. Por muitos anos, ela teve a pecha de estar atrasada neste sentido. Não mais – para tristeza da Motorola, que atualmente enfrenta críticas similares.

Confira 7 fatos sobre o Galaxy S22

Confira 7 fatos sobre o Galaxy S22

O Galaxy S22 sai de fábrica com o Android 12 em pleno fevereiro de 2022. Lá em 2025, a promessa é de que receberá a atualização para o Android 16 – caso o sistema do Google ainda exista.

Isto significa que os compradores de agora terão os recursos tecnológicos que serão criados nos anos que estão por vir. Para além das novidades, também receberão os pacotes de segurança que protegem smartphones de brechas, panes e falhas que ainda serão descobertas. A Samsung foi além ao prometer os tais patches por cinco anos.

O gerente sênior de produtos Renato Citrini, da Samsung Brasil, contou os bastidores da novidade. Confira a seguir.

Três perguntas para Renato Citrini

Conversei com Renato Citrini, gerente sênior de desenvolvimento de produtos — Foto: Divulgação/Samsung

Como foi o preparo da Samsung para chegar nesta nova política?

Renato Citrini – As pessoas ficam com os celulares por mais tempo. Mesmo quem troca num tempo mais curto acaba repassando para outra pessoa, que precisa dessas atualizações. Por isso a gente vem aprimorando os esforços, tendo o consumidor como centro das experiências. A gente fala muito nos updates de sistema, mas é importante lembrar também dos pacotes de segurança.

Por que os celulares básicos e intermediários não são contemplados?

A gente não consegue imaginar quais serão os requisitos de hardware para os próximos sistemas operacionais. Por isso não conseguimos fazer este compromisso com os modelos do portfólio atual. Nós vamos adotar o compromisso com alguns modelos de Galaxy A lançados a partir de agora. Não conseguimos fazer isso com os celulares mais básicos.

Todos os recursos dos futuros Android e One UI estarão nestas atualizações?

Na nossa parceria com o Google, temos o sistema Android como base e colocamos nossa camada de tecnologia por meio da One UI. Sempre que for uma solução de software e tiver uma experiência interessante, nós vamos fornecer ao cliente.

Interface do Galaxy S22 Ultra — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

Somente outra marca do mundo Android tem uma política de atualizações tão abrangente. Já sabe de quem estou falando? Do Google com o Google Pixel, atualmente na geração 6. Podemos dizer que ele não faz mais que a obrigação, pois é natural que o dono do sistema tenha essa possibilidade.

Resta saber qual será a resposta das demais fabricantes, em especial as de relevo no mercado brasileiro, como Motorola, Xiaomi, Realme e Nokia (que já fez bonito no passado em âmbito global).

Tenho para mim que, no estágio atual dos celulares, os consumidores valorizam mais a tranquilidade de pegar um aparelho que vai perdurar por anos a fio. Políticas de atualização como a anunciada pela Samsung também ajudam a afastar as acusações (infundadas, a meu ver) de obsolescência programada. Mostram que os clientes não serão “abandonados” com o passar do tempo.

Lançado em 2015, o iPhone 6S roda o sistema iOS na versão mais recente — Foto: Lucas Mendes/TechTudo

Um parênteses aqui: a Apple reina soberana no quesito longevidade dos smartphones. Ainda hoje o iPhone 6S recebe atualizações de iOS, mesmo tendo sido lançado seis anos atrás. Roda bem? É questionável. Diversos usuários optam por nem sequer instalar o update.

De toda forma, a empresa liderada por Tim Cook não assumiu um compromisso público com as atualizações. A gigante americana mantém uma tradição que pode ser quebrada a qualquer momento. Não me parece que pretendam mudar a prática, mas ter esta especificação por escrito seria muito bem-vindo.

Veja quais produtos atuais da Samsung se enquadram na nova política

Thássius Veloso (@thassius) é jornalista especializado em tecnologia, setor que cobre há dez anos. É editor do TechTudo e comentarista da CBN e da GloboNews. Entre em contato pelo email thassius@edglobo.com.br.

Mais do TechTudo