Publicidade

Por Igor Nishikiori, para o TechTudo

Divulgação/Bluetooth SIG

O Bluetooth 5.2 é a última versão da tecnologia, com recursos interessantes para quem pretende investir em dispositivos mais atualizados. A principal melhoria está no chamado LE Audio (Low Energy Audio, ou áudio de baixo consumo) que pode mudar a maneira como ouvimos música em dispositivos sem fio. Além de consumir menos energia, será possível conectar mais dispositivos simultaneamente e de maneira muito mais estável do que em versões anteriores.

Lançado em dezembro de 2019, o Bluetooth 5.2 ainda é minoria dentre os produtos vendidos pelo mundo — e exclusivo de categorias premium. Pelas melhorias que ele promete, pode ser questão de tempo até que domine completamente o mercado. Saiba mais sobre essa tecnologia a seguir:

Tecnologia LE Audio pode provocar mudanças nos dispositivos de som Bluetooth — Foto: Reprodução/Kickstarter

Bluetooth 5.0, 5.1 e 5.2

Lançada em dezembro de 2016, a versão 5 do Bluetooth foi um salto considerável em comparação com a versão 4.2. O alcance aumentou de 50 m para até 240 m e a velocidade dobrou de 1 Mbps para 2 Mbps. Além disso, o consumo de energia ficou muito mais eficiente.

A ideia do Bluetooth 5 é servir de base para a internet das Coisas (IoT) e permitir que vários dispositivos inteligentes se conectem entre si, como smart TVs, lâmpadas, aparelhos de som e outros utensílios do dia a dia. Por conta do baixo consumo energético e por causar menos interferência na rede wireless, a tecnologia Bluetooth acaba sendo a melhor opção para conexões sem fio desse tipo.

Em sua primeira atualização, lançada em janeiro de 2019, o Bluetooth 5.1 ganhou capacidade de localização e melhorias na descoberta e pareamento. Já na versão 5.2, lançada em dezembro de 2019, a novidade foi a implementação do LE Audio, uma nova plataforma para os dados de áudio serem transmitidos entre dispositivos sem fio.

O Bluetooth 5.0 representa avanços para a internet das coisas — Foto: Divulgação/Bluetooth

Menos consumo de energia

A principal novidade do LE Audio é a introdução do novo codec LC3 (Low Complexity Communications Codec, ou Codec de Comunicação de Baixa Complexidade).

Até então, os codecs tradicionais (como o SBC) precisavam ocupar uma grande faixa de transmissão para enviar e receber dados sonoros entre os dispositivos. Já o LC3 utiliza uma pequena faixa inferior, que é a mesma utilizada por dispositivos com tecnologia Bluetooth LE (Low Energy), como pulseiras fitness. Isso permite que as baterias dos dispositivos de áudio (como fones ou caixas de som) durem muito mais tempo sem causar perda de qualidade, segundo o órgão Bluetooth SIG, que administra a tecnologia.

Popularizando-se o Bluetooth 5.2, a expectativa é de não apenas termos aparelhos com mais autonomia de uso como também gadgets menores. Além disso, aparelhos auditivos podem ficar mais inteligentes e auxiliar pessoas que possuam alguma deficiência.

Novo codec LC3 tem qualidade superior em comparação aos codecs antigos — Foto: Divulgação/Bluetooth SIG

Conexões simultâneas

Outra novidade da versão 5.2 é a implementação do chamado Isochronous Channels (ISOC), ou canais isócronos. Ele permite que mais de um dispositivo se conecte ao mesmo tempo a uma fonte Bluetooth. Isso já existia desde a versão 5.0, tanto que smartphones da Samsung e da Apple, por exemplo, já contam com recursos de Dual Audio.

A diferença agora é a possibilidade de usar a faixa de transmissão do Bluetooth LE, o que permite conectar múltiplos dispositivos em simultâneo. Por exemplo, com ele, é possível parear o smartphone com diversas caixas de som pela casa e tocá-las em sincronia, ou então conectar dois ou mais fones de ouvido wireless em uma mesma smart TV.

Falando em fones, a tecnologia ISOC beneficia sobretudo os fones do tipo TWS. Isso porque, até então, o Bluetooth se conectava a apenas um dos lados do fone, que depois retransmite os dados para o outro lado, podendo eventualmente provocar perda de sinal. Com o ISOC, ambos os lados podem se conectar ao mesmo tempo com o dispositivo sem comprometer a qualidade da transmissão.

Conexões múltiplas do Bluetooth 5.2 melhora o funcionamento de fones do tipo TWS — Foto: Divulgação/Bluetooth SIG

Conexões mais estáveis

O Bluetooth 5.2 também conta com o LE Power Control (LEPC), que controla a potência de transmissão entre os dispositivos. Em outras palavras, quando dois aparelhos com Bluetooth 5.2 estiverem conectados, eles podem ajustar as taxas de transmissão e de recebimento para a mais otimizada possível. Assim, a probabilidade de perda de dados diminui drasticamente

Além disso, ele ajuda também a economizar energia. Por exemplo, se dois dispositivos estiverem próximos, a taxa de transmissão é automaticamente reduzida — e, assim, menos carga da bateria é consumida.

Conexões entre dispositivos são muito mais estáveis com o Bluetooth 5.2 — Foto: Carol Danelli/TechTudo

Compatibilidade

A grande vantagem da tecnologia Bluetooth é sua retrocompatibilidade com versões anteriores. Em outras palavras, se você adquirir um fone Bluetooth 5.2, ele tocará normalmente em um smartphone com Bluetooth 4.2 e vice-versa. O porém é que as funcionalidades da versão mais recente não funcionarão.

Portanto, para usufruir das novidades do Bluetooth 5.2 será preciso que o recurso esteja presente tanto no lado transmissor quanto no receptor.

Produtos com Bluetooth 5.2

O mercado brasileiro já conta com alguns produtos com Bluetooth 5.2. O fone de ouvido Galaxy Buds 2, da Samsung, é um deles. Ele tem cancelamento de ruído ativo, autonomia de até oito horas de uso e pesa somente 5 gramas.

Outro fone que também conta com a tecnologia é o Redmi Buds 3 Pro, da Xiaomi. Ele também tem cancelamento de ruído ativo e sua bateria dura cerca de seis horas de uso contínuo.

Dentre os smartphones vendidos no Brasil, ainda são poucas as opções com Bluetooth 5.2. O Samsung Galaxy S22 e o Asus ROG Phone 5 são alguns dos modelos disponíveis, mas com preços bastante altos.

Redmi Buds 3 Pro tem conexão Bluetooth 5.2 e cancelamento de ruído ativo — Foto: Divulgação/Xiaomi

Com informações de WhatHiFi

Mais do TechTudo