Robótica
Publicidade

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


A montadora americana Ford está aprimorando um sistema que permite que máquinas interajam entre si, criando uma linha de montagem completamente autônoma. Operando sem a necessidade de interação de humanos, o sistema vem sendo utilizado na manufatura de componentes customizados, mas ainda em pequeno volume. Entre eles, estão peças do Shelby GT500, versão exclusiva do Mustang, um dos principais modelos da marca no mercado americano.

Essa nova tecnologia permite que robôs operem a produção da montadora até mesmo quando os funcionários vão para casa à noite.

Robô pode aprender com o tempo, encarar jornadas longas e buscar peças sozinho depois de prontas — Foto: Divulgação/Ford

A grande ideia por trás da tecnologia está na criação de uma interface na qual maquinários de diferentes tipos conversam entre si. Basicamente, essa interface possibilita que um robô se conecte a uma impressora 3D e instrua os comandos necessários para a fabricação de um componente.

Até aqui, essa via de comunicação tem sido usada para conectar uma impressora 3D Carbon com robôs Javier da KUKA, comuns na linha de montagem. Como as máquinas não estão sujeitas às limitações de operadores convencionais — entre elas, alimentação e descanso, assim como todo ser humano precisa —, o sistema entrega peças fabricadas com precisão e continuamente durante o dia, sendo apenas necessário um intervalo para recarregar.

Robô opera a impressora sozinho — Foto: Divulgação/Ford

A Ford observa que o sistema é completamente independente e pode ser deixado em operação sem a necessidade de um operador por perto. A montadora expõe, inclusive, situações em que robô e impressora passaram a noite toda trabalhando na fabricação de alguns componentes de freio usados no Mustang mais esportivo.

Outro aspecto que fortalece o projeto é o fato de que o robô encarregado de controlar a impressora é capaz de aprender com o tempo, aperfeiçoando o processo e assim reduzindo margens de erro e custos. Com o comportamento autônomo das máquinas, a participação humana no processo fica limitada ao trabalho de realizar o upload dos designs das peças a serem produzidas para a memória interna da impressora, além de realizar manutenção no equipamento.

Além desse projeto, a Ford tem submetido patentes de outras tecnologias de alcance e aplicação similar.

Com informações de TechCrunch, 3D Printing Indsutry e SlashGear

Mais do TechTudo