Celular
Publicidade

Por Pedro Cardoso, para o TechTudo

Thássius Veloso/TechTudo

A Samsung dominou 88% do volume mundial de vendas de celulares dobráveis em 2021. Impulsionada pelo sucesso do Galaxy Z Flip 3 e do Galaxy Z Fold 3 , a fabricante coreana ajudou o segmento a ter um grande crescimento em relação ao ano anterior. De acordo com o relatório da empresa de pesquisa de mercado Omdia, o setor teve um aumento de 309%.

Segundo a análise, o Galaxy Z Flip 3 foi o celular dobrável que mais vendeu em 2021, alcançando 52% de participação de mercado, com 4,6 milhões de remessas. Em segundo lugar, com 2,5 milhões de unidades, está o Z Fold 3, que é maior — e mais caro — do que o outro modelo da linha Z. Versões anteriores também aparecem na lista, como o Galaxy Z Fold 2 e o Z Flip de primeira geração.

Gráfico com os celulares dobráveis mais vendidos em 2021 — Foto: Reprodução/Omdia

Na terceira posição encontra-se o Mate X2 da Huawei, empresa que está fora de vários países, como os Estados Unidos, por exemplo, devido à crise na época da administração de Donald Trump. Mesmo assim, a fabricante alcançou 10% do volume total de vendas com o Mate X2 e o P50 Pocket. Ainda de acordo com o relatório, os 2% restantes são representados por Mi Mix Fold da Xiaomi e o Oppo Find N.

Galaxy Z Flip 3 e Galaxy Z Fold 3 são anunciados (agora resistentes à água)

Galaxy Z Flip 3 e Galaxy Z Fold 3 são anunciados (agora resistentes à água)

O sucesso da Samsung se deve principalmente ao fato de a fabricante ter sido uma das primeiras a entrar nesse mercado. Além disso, ela atualmente possui pouca concorrência em escala global no setor. Entretanto, marcas como Xiaomi, Google e até Apple também parecem ter interesse em lançar celulares dobráveis em um futuro próximo. Vale lembrar que uma pesquisa recente já apontava para a expectativa de crescimento de 54% desse mercado até 2024.

Galaxy Z Fold 3 é o segundo dobrável mais vendido no mundo — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

Um eventual celular dobrável da Apple pode vir sem vinco na tela, de acordo com patentes registradas pela companhia. Ao mesmo tempo, o Google já admitiu que deve trabalhar com celulares desse tipo no futuro e a Xiaomi promete ampliar a sua produção ainda em 2022 para beliscar uma fatia do mercado dominado pela Samsung.

Com informações de SamMobile

Mais do TechTudo