Telefonia

Por Danilo Paulo de Oliveira, para o TechTudo

Reprodução/SpaceX

A Amazon anunciou na última semana a aquisição de 83 foguetes que serão lançados nos próximos cinco anos. O objetivo do projeto é construir uma constelação de satélites em órbita baixa para fornecer internet de alta velocidade. O Project Kuiper deve enfrentar a Starlink, que é o serviço de internet da SpaceX, que pertence a Elon Musk.

De acordo com a empresa, essa é a maior aquisição comercial de veículos de lançamento da história. Os 83 voos devem pôr em órbita mais de 3.200 satélites artificiais. Os foguetes estão sendo desenvolvidos pelas empresas Arianespace, United Launch Alliance (ULA) e Blue Origin, sendo esta última a companhia espacial de Jeff Bezos, fundador da Amazon.

Project Kuiper deve rivalizar com a Starlink, do bilionário Elon Musk — Foto: Divulgação/Starlink

Como funciona o Project Kuiper

O Project Kuiper funciona de forma semelhante ao programa Starlink, da SpaceX. Isso significa a presença de uma constelação composta por dezenas de milhares de satélites artificiais em órbita baixa da Terra. Juntos, esses equipamentos fornecem internet banda larga para o cliente que adquirir e instalar a antena da empresa. A companhia antecipou a venda desses aparelhos no final de 2020.

Em solo, estações terrestres estarão conectadas à infraestruturas já existentes de fibra ótica. Cada terminal fará uma varredura no espaço aéreo em busca dos satélites em baixa órbita que farão a transmissão de dados para as antenas dos usuários. O serviço é capaz de oferecer internet de alta velocidade e baixa latência para atender residências, empresas e até órgãos governamentais.

O contrato inicial da Amazon inclui 18 lançamentos com foguetes Ariane 6 da Arianespace, 12 lançamentos com o modelo New Glenn da Blue Origin (com opção de comprar outros 15) e mais 38 lançamentos com foguetes Vulcan Centaur da ULA. Já os satélites e as antenas dos clientes terão fabricação interna da própria Amazon, de acordo com a empresa.

A disputa com a Starlink e as metas do projeto

Kit de instalação da Starlink inclui roteador de banda larga e leva conexão de internet a lugares remotos — Foto: Reprodução/Slashgear

Nos próximos cinco anos, o projeto deve colocar em órbita mais de 3 mil satélites. Embora seja um número ousado, vale lembrar que o programa da Starlink está alguns anos à frente. Isso porque a empresa rival da SpaceX lançou, até agora, mais de 2 mil satélites que garantem à Starlink mais de 250 mil assinantes do serviço em todo o mundo atualmente.

O Project Kuiper não realizou nenhum lançamento até agora, mas planeja lançar dois protótipos de satélites no quarto trimestre de 2022. Os voos serão feitos pelo novo foguete experimental chamado de RS1, que está sendo desenvolvido pela startup ABL Space Systems. O cronograma do projeto teve atraso de três meses devido a um acidente de teste durante o desenvolvimento do foguete em janeiro.

Jeff Bezos, fundador da Amazon. é o segundo homem mais rico do planeta (Foto: Reprodução/Forbes) — Foto: TechTudo

A Amazon não divulgou o custo da operação, nem quantos satélites cada foguete será capaz de transportar. De qualquer forma, só após lançar os protótipos com a ABL é que a empresa poderá ajustar o design final dos satélites para então iniciar o lançamento em grande escala.

O magnata Jeff Bezos perdeu recentemente o posto de homem mais rico do planeta na lista da revista Forbes para Elon Musk. De acordo com a publicação, o dono da Tesla Motors e da SpaceX possui uma fortuna de US$ 219 bilhões (cerca de R$ 1,04 trilhão), enquanto o fundador da Amazon soma US$ 171 bilhões (aproximadamente R$ 812 bilhões).

Com informações da Reuters.com

Mais do TechTudo