Celular
Publicidade

Por Thássius Veloso (@thassius)

Bruno De Blasi/TechTudo

Que tal comprar o desejado iPhone pela metade do preço? Usuários que faziam buscas ontem no Google esbarraram com uma oferta imperdível: o iPhone XR sairia por R$ 1.499 numa promoção do Carrefour, muito menos que o valor mínimo de R$ 2.940 num comparador de preços. Só há um pequeno problema: tratava-se de uma propaganda feita por uma loja falsa para atrair vítimas.

Sim, os criminosos estão gastando dinheiro para fisgar consumidores desavisados. O desconto no celular Apple era exibido dentro do ambiente de Shopping do buscador que domina a internet brasileira. Em tese deveria ser uma área segura para compras, mas não foi o que notamos.

A situação verificada ontem por este comentarista levou a uma série de reações no Twitter. Havia desde leitores incrédulos com a denúncia até pessoas de menos fé que relataram ter passado por isso há dois, três anos.

Usuário relata que irmã quase caiu em golpe — Foto: Reprodução

Outra pessoa quase caiu em desconto falso de R$ 3.000 — Foto: Reprodução

🔎 Raio x do golpe

A mecânica é simples. O Google possui uma plataforma aberta para exibição de produtos e seus respectivos preços. Por ser uma empresa de tecnologia e de publicidade, ele permite que qualquer pessoa ou organização compre anúncios posicionados de maneira privilegiada nas páginas com resultados de busca. Normalmente são as grandes corporações que se valem desta ferramenta para colocar seus itens à venda.

No entanto, a facilidade do comércio online parece ser tão grande que os criminosos passaram a criar ofertas falsas associadas aos nomes de lojas verdadeiras. O iPhone XR, por exemplo, era exibido como uma oferta do Carrefour e da Lojas Americanas, dois ícones do varejo nacional.

Anúncio de iPhone XR leva a página fraudulenta — Foto: Reprodução/TechTudo

Endereço final não tem nada a ver com a loja — Foto: Reprodução/TechTudo

O pulo do gato está no endereço final do site. O usuário que abre a propaganda chega a um site que nada tem a ver com as gigantes do varejo. São páginas falsas e repletas de equívocos, mas que podem enganar consumidores desavisados. Até mesmo o cadeado de segurança é exibido, o que neste caso não indica muita coisa.

O Google me explicou que as políticas para anúncios no Google Shopping incluem a proibição de declarações falsas e promoções enganosas. “Quando identificamos uma violação às nossas políticas, agimos imediatamente suspendendo o anúncio e, até mesmo, bloqueando a conta do anunciante”, declarou a empresa.

Também perguntei de que forma os usuários podem denunciar o golpe – apesar de pensar que esta deveria ser uma responsabilidade do Google. A companhia indicou o formulário online “Remoção de conteúdo do Google”. Nele é possível selecionar problemas com falsificação – que engloba “venda ou promoção de produtos falsificados” –, marca registrada e violação de direitos autorais, entre outros.

Seguidor cobra resposta do Google — Foto: Reprodução

⚠️ Uso indevido de marca

Não restam dúvidas de que Carrefour e Lojas Americanas também são vítimas da fraude. As empresas detém marcas famosas que servem de chamariz para dar credibilidade às promoções falsas.

O uso indevido de marcas entrou no radar da empresa de segurança digital Axur. Foram 210 mil incidentes identificados em 2021, de acordo com um relatório de atividades criminosas. O setor de varejo – ou seja, lojas, mercados etc – é o principal alvo.

Perfil dedicado a promoções relata perguntas sobre links confiáveis — Foto: Reprodução

Apesar do volume elevado, houve queda de 14,7% na comparação com o ano anterior. O estudo traz pouco destaque para a compra de publicidade em buscadores. Ele evidencia a preferência pela utilização dos perfis falsos em redes sociais. Os estelionatários digitais também recorrem a aplicativos falsos que se passam por lojas famosas.

Em resposta ao TechTudo, o Carrefour confirmou ser um site falso e que seu endereço oficial é carrefour.com.br. A Americanas recomendou que os clientes fiquem atentos a campanhas com preços muito baixos, “principalmente aquelas relacionadas a produtos de informática, eletrônicos e eletrodomésticos”.

🔒 Confira cinco dicas para se proteger

  • Desconfie das propagandas em sites de busca
  • Verifique se a oferta exibida no resultado de busca patrocinado bate com o que é exibido no aplicativo oficial da loja
  • Pesquise pelo site oficial da loja e cheque se o visual dele é o mesmo da página com suposto desconto
  • Redobre a atenção com ofertas publicitárias exibidas no feed e nos stories de redes sociais
  • Também é importante checar se o desconto foi publicado por um perfil verificado e com alto volume de usuários

Confira o lançamento do iPhone XR e outros celulares da Apple

Confira o lançamento do iPhone XR e outros celulares da Apple

Mais do TechTudo