Monitor

Por Igor Nishikiori, para o TechTudo

Divulgação/VESA

O DisplayPort é um padrão de transmissão de dados digitais em áudio e vídeo, voltado sobretudo para PCs. Ele foi desenvolvido em 2006 por um consórcio de empresas para substituir os antigos padrões VGA e DVI. Sua versão mais recente é a 2.0, lançada em 2019, e que pode transmitir imagens em até 16K com 60 Hz e HDR, algo ainda impossível para o padrão HDMI.

Além disso, com o DisplayPort, é possível utilizar a tecnologia G-Sync, da Nvidia, que reproduz imagens dos games em tempo real sem produzir o chamado "screen tearing" (tela rasgada, em tradução livre). A seguir, conheça as características do DisplayPort e as diferenças em relação a outros padrões, como HDMI e VGA.

DisplayPort tem vantagens e desvantagens em comparação ao HDMI — Foto: Reprodução/Wikimedia Commons

O que é o DisplayPort?

Antes do padrão HDMI se massificar no mercado, não era raro encontrar diversos tipos de entradas e cabos para conectar o PC ao monitor. Os mais comuns eram o VGA e o DVI, que usavam sinais analógicos ou mistos para transmitir as imagens.

Em 2006, a Video Electronics Standards Association (VESA) decidiu criar um novo padrão, totalmente digital e com alta capacidade de banda, para substituir os padrões considerados defasados. Chamado de DisplayPort, seu desenvolvimento contou com a participação de diversas empresas, como as gigantes Apple, Dell e Intel.

Um de seus diferenciais está no fato de usar a tecnologia de empacotamento de dados para transmissão via cabo. É o mesmo tipo de comunicação usado, por exemplo, pelos cabos Ethernet, USB e PCI-Express. Não por acaso, o DisplayPort é compatível com as entradas USB-C e Thunderbolt.

Em 2019, a VESA anunciou a versão 2.0 do DisplayPort, com capacidade de transmissão de até 80 Gb/s. Teoricamente, isso permitiria exibir imagens em até 16K (15.360 x 8.640) em 60 Hz com HDR — ou então duas telas 8K em 120 Hz com HDR. Porém, é possível chegar a essa taxa apenas com cabos com certificação UHBR 20, que ainda não foram lançados no mercado.

Vantagens e desvantagens

Uma das vantagens do DisplayPort é a tecnologia Multi-Stream Transport (MST), que consegue transmitir um mesmo sinal para várias telas ao mesmo tempo. Isso pode ser feito tanto com um hub compatível quanto com monitores ligados em cadeia, por meio de uma entrada USB-C ou Thunderbolt. A quantidade de telas conectadas depende da resolução e da capacidade de transmissão do cabo, mas o limite estipulado é de sete.

Outra vantagem é que o DisplayPort trabalha com taxas variáveis de atualização de imagem (VRR), o que torna possível tecnologias como G-Sync e Freesync, da AMD. Isso porque o DisplayPort consegue sincronizar as taxas de atualização do monitor com o da placa de vídeo para reproduzir games sem o "screen tearing". Apenas a versão 2.1 do HDMI conta com essa tecnologia.

Tecnologia G-Sync da Nvidia é compatível apenas com o DisplayPort — Foto: Divulgação/Asus

Por fim, o DisplayPort conta com uma pequena trava na parte superior que dificulta que ele seja desconectado por acidente. Essa característica é provavelmente uma herança dos parafusos presentes nos cabos VGA e DVI.

Já na parte das desvantagens, o DisplayPort tem uma limitação que impede que seus cabos tenham mais de 15 m de comprimento. Em comparação, o HDMI permite cerca de 30 m de comprimento. Além disso, o padrão é praticamente inexistente em televisores, ficando restrito apenas aos monitores.

Diferenças para VGA e DVI

Desde 2010, as principais fabricantes de peças de computadores não produzem mais produtos compatíveis com padrão VGA e DVI. O motivo é bastante simples: ambas usam uma tecnologia muito antiga e de difícil atualização para as necessidades atuais.

Seu sucessor natural, o DisplayPort, vem ganhando melhorias ao longo dos anos, permitindo resoluções cada vez maiores, o que o torna uma aposta mais interessante. Além disso, o novo padrão é totalmente digital, eliminando os ruídos que costumam aparecer em conexões analógicas.

Porém, se você ainda tem um dispositivo com essas entradas, a boa notícia é que existem no mercado diversos adaptadores de VGA e DVI para DisplayPort.

Diferença para o HDMI

Apesar de executarem as mesmas funções, o HDMI e o DisplayPort são voltados para públicos diferentes. O HDMI é o "pau para toda obra", estando presente em televisores, videogames, decoders, notebooks, receivers e uma infinidade de produtos. Já o DisplayPort, como dito antes, está mais restrito aos computadores.

Na parte técnica, o DisplayPort costuma ter maiores taxas de transmissão do que suas versões correspondentes do HDMI. O DisplayPort 2.0, por exemplo, transmite até 80 Gb/s, enquanto a versão mais recente do HDMI, o 2.1, tem taxas de 48 Gb/s. Já a versão anterior, 2.0, alcança até 18 Gb/s, enquanto o DisplayPort 1.4 chega a 32 Gb/s.

Como há pouco conteúdo com resolução acima de 4K disponível para consumo, a verdade é que a vantagem técnica do DisplayPort não fica tão evidente para o consumidor médio. Por ser um padrão mais abrangente, o HDMI leva vantagem — e ainda há a possibilidade de usar cabos mais longos, tal como mencionado acima.

Já o DisplayPort tende a se tornar padrão nos PCs e em monitores Ultra HD, sobretudo para quem joga games com várias telas em altíssima resolução ou trabalha com imagens, como designers e editores de vídeo. Se esse não for o caso, tanto HDMI quanto o DisplayPort podem suprir bem a necessidade de um usuário mais casual — com a vantagem de que eles são compatíveis entre si, usando um cabo DisplayPort/HDMI.

Adaptador HDMI e DisplayPort permite conectar dispositivos com padrões diferentes — Foto: Divulgação/L-com

Com informações de PC Magazine e Tom's Hardware

Mais do TechTudo