Battle Royale
Publicidade

Por Luiza M. Martins, da redação


Apex Legends é um jogo multiplayer online gratuito produzido pela Respawn Entertainment, a mesma desenvolvedora da série Titanfall, e publicado pela EA Games. A versão mobile do game, originalmente disponível para PlayStation 4 (PS4), PlayStation 5 (PS5), Xbox One, Xbox Series X/S e PC (via Origin), chega no dia 17 de maio aos celulares Android e iPhone (iOS). Concorrente direto de títulos como Fortnite e PUBG, a premissa de Apex é colocar 60 jogadores em uma arena que vai diminuindo conforme o tempo passa. A principal diferença é que, nesse game, os personagens têm poderes e habilidades especiais que devem usar para sobreviver.

Com novidades como um personagem exclusivo, cadência de patchs independente e sem cross-play entre plataformas, Apex Legends: Mobile busca ser uma experiência nova para os jogadores e não apenas um porte para novos dispositivos. Mas será que o game foi bem sucedido na sua proposta? O TechTudo testou o jogo antecipadamente e conta as impressões a seguir.

Apex Legends Mobile será uma versão independente do game visto nos consoles e PC — Foto: Divulgação/EA Games

👉 Como são chamados os zumbis em Fortnite? Tire as dúvidas no Fórum TechTudo

Como funciona Apex Legends?

Apex Legends segue a lógica de um Battle Royale clássico: os jogadores são lançados em uma arena e, depois, devem lutar para serem os últimos a sobreviver. No entanto, os adversários não são a única preocupação de quem deseja ganhar uma partida. Apesar de grandes, os mapas do jogo têm um anel em volta que vai diminuindo conforme o tempo passa, o que obriga os sobreviventes restantes a irem para a mesma área.

No game, os jogadores devem batalhar para sobreviver a uma arena que diminui o tamanho conforme o tempo passa — Foto: Divulgação/EA

O game oferece modos de jogo Battle Royale, onde é cada um por si, em duos ou em trios. É justamente entre equipes que Apex Legends mostra por que alcançou tanto sucesso. Os personagens, que são chamados de lendas no game, têm habilidades únicas, que devem ser combinadas em prol de uma estratégia, como acontece em Overwatch. Comunicação é fundamental para que a tática funcione, bem como explorar, da melhor forma possível, o que cada um dos personagens oferece de melhor.

Cada lenda possui habilidades distintas, o que é fundamental na hora de montar equipes — Foto: Divulgação/EA Games e Respawn Entertainment

Uma vez dentro da arena, os jogadores devem procurar por armas, munições, escudos, granadas, ou qualquer outro tipo de item que possam utilizar para sobreviver. O jogo também oferece um sistema de progressão, onde é possível fazer upgrades de armas, comprar skins e desbloquear mais lendas com os recursos adquiridos in game.

O que há de novo no Apex Legends: Mobile?

A ideia de Apex Legends: Mobile é funcionar como um título independente, e não como um porte do jogo original para dispositivos móveis. Por isso, o game já foi desenvolvido pensando nas novas plataformas, desde a adaptação dos controles para as telas dos celulares até o conteúdo exclusivo. No lançamento, o game chega com três modos de jogo, além de 9 lendas clássicas e uma exclusiva.

Apex Legends Mobile chega com 3 modos principais de jogo: Battle Royale, Arena e Team Deathmatch — Foto: Divulgação/EA Games

Ao acessar o game, o jogador vai passar por um tutorial, onde aprende sobre sobre os sistema do Apex, como controles, armas, reviver parceiros, respawn, habilidades das lendas e movimentação. Uma vez feito, ele terá a opção de curtir três modos principais distintos do game: Battle Royale, Arena e Team Deathmatch.

Enquanto os dois primeiros são semelhantes aos já vistos no título para consoles e PCs, o terceiro é um modo exclusivo mobile onde há uma disputa PvP entre times com seis jogadores e vence quem acumular mais mortes. Para cada um dos modos, há mapas diferentes disponíveis no lançamento. No Battle Royale, o que chega é Confins do Mundo. Desfiladeiro do Rei, até então previsto no modo para o lançamento do game, precisou de mais polimento e chega em breve ao modo. Já para as Arenas, Overflow, Artilharia do Desfiladeiro do Rei, Cidade Caveira e Estação Termal chegam junto com o game.

Fade é a lenda exclusiva do Apex Legends Mobile — Foto: Reprodução/Luiza M. Martins

Outra novidade bem-vinda é a inclusão de uma lenda exclusiva da versão mobile do Apex. Além de Bangalore, Bloodhound, Caustic, Gibraltar, Lifeline, Octane, Mirage, Pathfinder e Wraith, os jogadores podem se divertir com Fade e suas poderosas habilidades. Com boosts de velocidade na hora de deslizar, capacidade retroceder para a posição onde esteve 60 metros atrás e, também, de lançar uma bomba que impede os demais de dar ou receber dano, o supersoldado da Solace traz mecânicas novas e se integra bem às demais lendas do game.

Apex Legends: Mobile também oferece a possibilidade de jogar com visão em terceira pessoa, além de incluir recursos para facilitar a comunicação entre as equipes. Por hora, o jogo não terá cross-play entre plataformas, e vai receber o conteúdo das temporadas com histórias e períodos de tempo diferentes dos vistos nos consoles. A compatibilidade com controles não está descartada, no entanto, não chega no lançamento.

O game oferece as opções de jogar em primeira ou terceira pessoa — Foto: Reprodução/Luiza M. Martins

Vale ressaltar que o jogo será gratuito como nos consoles, e terá opções de microtransação - felizmente, somente para fins cosméticos ou para aqueles que querem acelerar a progressão com as lendas. Todavia, o game vai contar com desafios diários e semanais para obter os passes de batalha e fazer upgrades.

Aspectos técnicos e desempenho

Em nossos testes, Apex Legends: Mobile rodou bem e manteve a taxa de FPS estável mesmo no modo UltraHD. Os gráficos, por sinal, são tão bonitos quanto os vistos nas versões dos consoles: coloridos, caricatos e têm texturas detalhadas, considerando as limitações das plataformas. Nas partidas com bots, a inteligência artificial também se mostrou equilibrada, o que é importante para o treinamento dos jogadores menos experientes.

No entanto, a maior crítica ao game vai para a adaptação dos controles na tela dos celulares. No smartphone em que realizamos os testes, um iPhone 12 Pro com tela de pouco mais de 6 polegadas, houve desconforto e, constantemente, botões sendo pressionados em momentos inoportunos. Isso porque a disposição dos comandos ficou próxima e relativamente confusa. A possibilidade de jogar com um controle, ainda que não tenha sido confirmada, seria muito bem-vinda ao jogo.

A adaptação dos controles na tela dos celulares pode ser embaraçosa para alguns jogadores — Foto: Reprodução/Luiza M. Martins

No entanto, isso não é o suficiente para estragar a experiência com o game, que continua divertido, tático e ágil. Para os fãs do Battle Royale, será uma sensação satisfatória explorar o universo do game de forma portátil, especialmente pelo fato do jogo continuar gratuito nos dispositivos móveis.

Mais do TechTudo