Wearables

Por Pedro Cardoso, para o TechTudo

Reprodução/9News

Um fotógrafo adepto dos AirTags conseguiu recuperar equipamentos avaliados em R$ 50 mil graças ao rastreador digital da Apple. Graham Tait sofreu um assalto em Sydney, na Austrália. Foram levados uma câmera profissional e um notebook que estavam com o dispositivo de rastreio da empresa da maçã. De acordo com a imprensa local, a polícia foi acionada e o suspeito pelo furto foi levado à delegacia.

De acordo com o relato, o fotógrafo colocou os dois AirTags nos equipamentos mais caros, que estavam na mochila roubada. O material ainda incluía uma câmera da GoPro, outros acessórios de fotografia e a carteira pessoal de Tait. O morador de Sydney disse que os pertences foram retirados de dentro do carro enquanto o veículo estava estacionado num hotel.

Apple AirTag — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

O site australiano 9News destacou o fato de que equipamentos de US$ 10 mil foram resgatados com o apoio de um rastreador que custa US$ 45, cerca de R$ 230 na conversão direta. Entretanto, esse investimento para a proteção no Brasil pode sair um pouco mais caro: os AirTags são vendidos no site oficial da Apple por R$ 358 a unidade ou R$ 1.192 no kit com quatro peças.

Apesar do investimento ser alto, ainda é mais barato do que perder todo um conjunto de equipamento profissional de fotografia.

Outro caso de itens recuperados graças aos AirTags ganhou destaque na mídia em tempos recentes. Um passageiro britânico conseguiu de volta as malas de viagem porque os rastreadores estavam presos à bagagem. O homem pediu ajuda da companhia aérea, mas não teve sucesso. Ele precisou recorrer à polícia para repassar as informações de localização geográfica.

Com informações de 9News

No vídeo abaixo, aprenda como usar o relatório de privacidade do iPhone

Aprenda como usar o relatório de privacidade do iPhone

Aprenda como usar o relatório de privacidade do iPhone

Mais do TechTudo