Campeonatos

Por Victor de Abreu, para o TechTudo


A PGL confirmou, nesta sexta-feira (6), que os treinadores brasileiros Luis "peacemaker" Tadeu, da Imperial Esports, e Rafael "zakk" Fernandes, da 9z Team, foram banidos do PGL Major Antwerp 2022, mundial de Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO). Ao lado deles, também foi banido o treinador russo Sergey "⁠hally⁠" Shavaev, da Team Spirit. A decisão foi tomada após a Esports Integrity Comission (ESIC) descobrir que o trio explorou o polêmico bug do coach em partidas passadas e suspendê-los provisoriamente de todos os eventos ligados à ESIC.

Vale lembrar que PGL e Valve, organizadoras do PGL Major Antwerp 2022, não são membros da ESIC. Contudo, horas depois do anúncio da comissão, a PGL utilizou de suas redes sociais para informar o banimento do trio e que ele foi motivado pelo resultado final da investigação.

peacemaker, zakk e hally estão fora do PGL Major Antwerp 2022 — Foto: Divulgação/PGL

👉 Counter-Strike ainda é o melhor game FPS? Opine no Fórum do TechTudo

O "bug do coach" é uma falha do próprio CS:GO que permite aos treinadores acompanhar a movimentação dos adversários e, com isso, executar estratégias com base nessas informações. Em 2020, esse bug causou um enorme escândalo no cenário competitivo de CS:GO e foi a razão do banimento de dezenas de treinadores, sendo oito desses brasileiros. Entre eles, também foi banido Nicholas "guerri" Nogueira, da FURIA Esports, mas ele já cumpriu a suspensão à época e vem atuando normalmente nos jogos com sua equipe.

O bug também conta com algumas variações. A mais conhecida é a que deixa a tela do treinador estática em um ponto do mapa. Zakk e ⁠hally⁠ foram descobertos utilizando dessa variação do bug, que deve ocasionar em uma suspensão de cinco meses. No caso de Zakk, ele foi identificado utilizando do bug durante um round e meio em jogos pela Luminosity Gaming e pela própria 9z. Hally foi descoberto usando o bug em apenas um round, quando vestia a camisa da ESPADA.

Zakk deve ser suspenso por cinco meses das competições de CS:GO — Foto: Divulgação/PGL

Peacemaker tem uma situação bem mais complicada. Enquanto Zakk e hally utilizaram da variação estática do bug, peacemaker foi descoberto usando da variação que possibilita o treinador observar o mapa livremente, que é considerada uma infração mais grave. De acordo com a ESIC, o brasileiro atuava pela Heroic e utilizou do bug em 2018 durante um round da partida contra a The Imperial pela ECS Season 5 Europe Challenger Cup. Por conta disso, peacemaker pode ser banido por até dois anos das competições de CS:GO.

Com informações de HLTV e PGL

Mais do TechTudo