Publicidade

Por Luana Carmelina, para o TechTudo

Divulgação/Nooie

Filtros de linha e filtros smarts são acessórios criados para prevenir danos aos equipamentos eletrônicos, que podem ser causados por surtos de tensão, como explosões repentinas de eletricidade e outros contratempos. No filtro convencional, essa proteção acontece quando o aparelho é acionado, ou seja, o dispositivo liga e desliga de forma manual. No caso dos filtros inteligentes, a conexão se dá via Wi-Fi e aplicativos de celular, permitindo que se possa ativar remotamente os dispositivos eletrônicos.

O maior controle sobre a ativação e desativação dos aparelhos eletrônicos pode ajudar na economia de energia, visto que o monitoramento de energia pode ser feito de modo remoto. Dessa forma, é possível programar o tempo de uso ou mesmo deixar um lembrete para desligar os aparelhos conectados. Além disso, os filtros permitem que mais de um aparelho esteja conectado ao mesmo tempo.

Quanto ao design, os equipamentos podem ser parecidos com uma extensão comum, mas são mais robustos. As réguas de energia inteligentes costumam ser maiores e ter mais entradas para tomada, por exemplo.

Filtros smarts tem recursos que podem melhorar a qualidade de vida do usuário — Foto: Reprodução/The Wire

Como os filtros funcionam

Para que se entenda melhor como funcionam os filtros, é importante saber que a tensão é a medida de uma diferença na energia potencial elétrica. Acontece assim: a corrente elétrica só consegue ir de um ponto ao outro porque, em uma das extremidades, o potencial elétrico é maior do que na outra. Para ilustrar, podemos pensar no que acontece em uma mangueira conectada à torneira. A água só flui para fora da mangueira, porque as duas extremidades têm pressão diferentes. A extremidade com alta pressão empurra a água para fora da mangueira, onde a pressão é menor.

Filtros protegem contra picos de tensão — Foto: Divulgação/Dell

A medida da pressão elétrica é classificada em voltagem. No Brasil, temos duas tensões: 127 volts (antigo 110 volts) e 220 volts. Dessa forma, se em uma casa com voltagem de 127 volts existe um produto que recebe até 220 volts, ele funcionará com uma potência menor, já que a pressão elétrica que chega é mais baixa. Entretanto, se o ambiente é equipado com 220 volts e o produto comporta apenas 127 volts, a probabilidade dele ser danificado é grande, isso porque a tensão é maior que o nível suportado pelo aparelho.

Modelos possuem design robusto e podem comportar várias tomadas, além de USB — Foto: Divulgação/APC

Quando se tem um um pico de energia, a tensão sofre um aumento acima do nível designado de fluxo de eletricidade. Nesse caso, se a tensão subir acima de 127 ou 220 V – a depender da voltagem –, os equipamentos podem sofrer danos permanentes. Por isso é muito comum tirar as TVs e geladeiras da tomada em dias de chuva com raios.

O princípio é o mesmo: pode haver aumento repentino da tensão elétrica e a ideia é proteger esses equipamentos. Mas nem sempre isso é possível, seja por não estar em casa ou precisar do aparelho ligado, como no caso de computadores.

É nesse ponto que os filtros agem. Os dispositivos protetores têm a premissa de monitorar a tensão de entrada, fazendo com que qualquer excesso seja desviado para o fio de aterramento. Isso impede que os aparelhos conectados se sobrecarreguem e possam ser danificados. Os modelos de filtros variam, mas cada régua tem dois componentes fundamentais: as tomadas e os monitores de circuito, responsáveis por controlar as tomadas.

O uso de um filtro inteligente faz com que outros aparelhos fiquem protegidos, já que, se houver algum problema num equipamento, os demais não mantêm contato direto com a mesma tomada.

Recursos e economia de filtros smart

Dados sobre o consumo de energia podem ser consultados por aplicativo — Foto: Divulgação/Dell

O filtro inteligente também se destaca por ter um sistema que desliga as tomadas que não estão sendo usadas. Isso pode acontecer de dois modos diferentes: alguns filtros trazem sensores de movimento e outros permitem ajustar a sensibilidade da tensão.

Caso um aparelho como uma TV esteja em modo de espera, o circuito do filtro detecta o modo através do consumo diminuído proposto pela configuração e corta a energia da tomada que atende ao dispositivo.

Segundo especialistas, o em standby numa casa representa de 5% a 10% do consumo total de energia. A função evita que essa energia seja desperdiçada, gerando economia no fim do mês. Alguns modelos de filtro têm de uma a duas tomadas com a função “sempre ligadas”, sendo ideais para alarmes ou dispositivos que devem estar sempre alimentados.

Os sensores de movimento disponíveis em alguns filtros smarts ativam as tomadas quando uma pessoa está perto. Eles desativam o abastecimento de energia quando o ambiente fica desocupado por um período de tempo que varia entre 30 segundos a 30 minutos, dependendo do modelo e da configuração escolhida. Esse detector utiliza sistema infravermelho passivo, percebendo as pessoas por meio do calor irradiado por todos os seres humanos.

Filtro de linha smart da Volt é uma das opções encontradas no mercado brasileiro — Foto: Divulgação/Volt

Em ambos os casos, é importante observar quais aparelhos estão conectados para ajustar a configuração do filtro. Elas podem ser feitas por aplicativos de celular, onde é possível definir horários, e também por assistentes de voz Alexa e Siri .

Em certos modelos, há ainda outros recursos que podem melhorar o cotidiano, como o modo viagem, que liga e desliga dispositivos aleatoriamente para fingir que há pessoas em casa e assim evitar assaltos. Já o modo dormir desliga os aparelhos à noite. Alguns modelos também oferecem portas USB, quadros de luz noturnas para acender no escuro e sensor de luz ambiente, que desliga alguns equipamentos como luminárias de manhã.

Com informações de Digital Trends, How Stuff Works e Oppd The Wire

No vídeo abaixo, conheça seis produtos para casas inteligentes

6 produtos para CASA INTELIGENTE para modernizar sua casa!

6 produtos para CASA INTELIGENTE para modernizar sua casa!

Mais do TechTudo