Telefonia

Por Isabele Scavassa, para o TechTudo

Reprodução/GizChina

A internet 5G ainda está em fase de implementação no Brasil e em outros países, mas a Samsung já trabalha no projeto da rede 6G. A gigante sul-coreana apresentou um artigo nesta semana que resume os esforços para tornar a conectividade de sexta geração uma realidade nos próximos anos. Países como China e Japão também participam a corrida por uma conectividade mais rápida e eficiente, com investimentos do próprio governo em pesquisas no setor. Dessa forma, projeções otimistas apontam que a futura rede comece a ser implementada entre 2028 e 2030.

Além da Samsung, gigantes da tecnologia como Nokia, Xiaomi e Apple também já investem recursos para o desenvolvimento da internet de sexta geração. Com o avanço dos usos de realidade virtual (VR) e aumentada (AR) no próximos anos, a baixa latência da rede 6G pode ser fundamental para uma melhor experiência do usuário.

Galaxy S22 Ultra conta com conexão 5G; modelo é atualmente o celular topo de linha da Samsung — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

A internet 6G testada nos estudos da Samsung é capaz de alcançar 1 Tb/s, o que significa uma internet 50 vezes mais rápida do que rede 5G disponibilizada atualmente. No entanto, a futura conexão esbarra na mesma problemática da internet atual: o alcance da cobertura.

Para solucionar a questão, a empresa explica que seria necessário utilizar todas as bandas disponíveis. Ou seja, para que isso aconteça, tanto as bandas que variam entre 1 e 24 GHz, quanto as que operam entre 24 e 300 GHz, precisariam ser utilizadas.

O estudo conseguiu alcançar uma taxa de dados de 6 Gb/s a 15 metros. Em distâncias mais longas, como 30 e 120 metros, a taxa foi de 12 e 2,3 Gb/s, respectivamente. Na prática, a baixa latência poderá proporcionar experiências imersivas e bem fiéis em realidades aumentadas e hologramas no futuro.

Internet 6G pode ficar disponível a partir de 2030 — Foto: Reprodução/GizmoChina

A internet 5G no Brasil

No contraponto dos avanços obtidos neste quesito, o 5G ainda engatinha em alguns países do mundo, como é o caso do Brasil. O leilão realizado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em 2021 foi fundamental para dar início a implementação, que hoje conta pelo menos sete cidades aptas para oferecer a internet na faixa de 2,3 GHz – frequência mais rápida entre as ofertadas. A expectativa é a de que mais faixas, como a de 3,5 GHz, passem a operar a partir de julho deste ano.

Com informações de GizmoChina

Mais do TechTudo