TVs
Publicidade

Por Luana Carmelina, para o TechTudo

Reprodução/LG

As TVs estão presentes em cerca de 96% dos domicílios brasileiros, como apontou o IBGE num estudo recente. Com tamanha penetração, é natural que o consumo diário impacte no bolso do consumidor. Nas linhas a seguir, o TechTudo te mostra como evitar contas exorbitantes sem abrir mão de um hábito que diverte, entretém e educa tantas pessoas.

Você perceberá que os valores adicionais na conta de luz dependem da duração do tempo de uso, da quantidade de polegadas da tela, das tecnologias presentes no aparelho e das configurações utilizadas.

Deixar a TV ligada por longos períodos vai pesar na conta de luz. — Foto: Reprodução/LG

De modo geral, as televisões atuais possuem um aproveitamento de energia mais eficiente se comparadas às TVs antigas. Segundo estudo da Universidade da California, um modelo CRT, a famosa televisão de tubo, utiliza 1,5 W no modo standby. Enquanto isso, modelos LCD utilizam apenas 1 W no mesmo modo.

A idade da TV não é o único fator que influencia no gasto de energia dos televisores. Normalmente, quanto mais polegadas eles possuem, mais energia utilizarão para funcionar. Além disso, mesmo entre as televisões mais modernas, as diferentes tecnologias que elas utilizam podem interferir no consumo de energia mensal.

Além do tamanho e da tecnologia implicada, a forma com a qual o usuário utiliza o aparelho também influencia no valor final da conta de luz. Veja abaixo algumas dicas para economizar.

MEDIDAS PARA DIMINUIR O CONSUMO MENSAL

1. Calcule o gasto da sua TV

Calcular o gasto na TV ajuda a economizar na conta de luz — Foto: Divulgação/Samsung

Calcular o gasto mensal da sua televisão pode ser uma medida simples e que pode te ajudar a controlar as finanças no final do mês. Para calcular basta verificar a potência aparelho em Watts (W) — dado que costuma ficar no manual da TV —, multiplicar pelo número de horas utilizadas (h) e pelo número de dias utilizados no mês. Depois disso, o valor encontrado em Kwh deve ser dividido por mil e multiplicado pela tarifa de energia.

Essa pode parecer uma dica simples, mas calcular por quantas horas uma televisão é utilizada pode ser surpreendente. É um hábito deixar a TV ligada enquanto realiza outras tarefas do dia a dia. Em alguns lares, o aparelho fica ligado o dia todo.

2. Alterar configurações e brilho automático

No caso das smart TVs, que possuem sistema inteligente, o gasto pode ser diminuído com algumas medidas, como a desativação da opção de início rápido, que deixa a TV consumindo energia em segundo plano.

Também é interessante ativar o recurso de controle automático de brilho. Para se ter uma ideia, TVs 4K com mais de 50 polegadas podem usar até 50% mais energia com o brilho automático desligado, sendo que alguns modelos podem chegar até 64% a mais de consumo sem esse recurso.

3. Evitar dormir com a TV ligada

Função Sleep Timer está presente nas televisões da Samsung — Foto: Reprodução/Helito Bijora

Quem nunca tirou uma soneca enquanto assistia ao programa favorito? O problema é quando esse cochilo se estende pela noite toda. Se isso vira uma rotina, as horas de sono somadas em frente à TV podem pesar no bolso.

Para resolver isso, diversas televisões possuem um recurso que programa o horário de desligamento. Nos aparelhos da Samsung, a função se chama Sleep Timer. Com ela, é possível fazer com que a televisão desligue depois do período estipulado.

RECOMENDAÇÕES NA HORA DE COMPRAR UMA TV NOVA

1. Verifique a eficiência energética

É possível que o consumidor verifique a classificação energética do aparelho desejado mesmo antes de comprá-lo. Para isso existem o selo Procel e a ENCE, Etiqueta Nacional de Conservação de Energia.

Para tornar essa informação mais didática, existe um ranking de consumo, que vai da letra A à letra G. Se o aparelho for mais econômico e assim consumir poucos watts, sua etiqueta estará mais perto do A. Ao contrário, caso o dispositivo consuma muita energia, ele estará mais perto do G.

2. Preste atenção ao tipo da TV

TVs LED e LCD tendem a ser econômicas — Foto: Divulgação/Samsung

Em geral, modelos LED e LCD costumam ser acessíveis e bem econômicos se comparados, por exemplo, com TVs de plasma. Na comparação com as LEDs, a sua sucessora OLED fica na desvantagem em relação à economia, apesar de ser mais tecnológica e moderna.

Em geral, uma TV OLED de 55 polegadas tem consumo de 98 W por hora ao dia, enquanto um modelo LED desse mesmo tamanho consome apenas 57 W.

3. Escolha o tamanho ideal ao tamanho

TVs pequenas são mais indicadas quando o espaço entre a tela e o espectador não é muito grande — Foto: Divulgação/TCL

Como dito anteriormente, televisões maiores costumam gastar mais energia. Em ambientes pequenos, como salas e escritórios, não há necessidade de um televisor tão grande quanto na sala. Para entender melhor, o Techtudo já deu dicas sobre como escolher o tamanho do aparelho.

Para exemplificar, mesmo uma televisão OLED de 60 polegadas tende a ser ser menos econômica do que uma de plasma de 30 polegadas.

No vídeo abaixo, confira a live do TechTudo com muitas dicas para escolher sua próxima smart TV

Mais do TechTudo