Segurança
Publicidade

Por Letícia Rosa


Aplicativos espiões são um perigo não apenas para a segurança de celulares Android e iPhone (iOS), mas sobretudo para a integridade de seus donos. Os softwares maliciosos são capazes de rastrear localização, ler mensagens trocadas em apps e gravar chamadas de voz, podendo também monitorar qualquer atividade realizada no smartphone. Conhecidos como "stalkerwares" ou "spousewares", esses apps são comumente instalados nos celulares das vítimas por parceiros controladores ou ciumentos que desejam vigiar os passos do companheiro. Apesar de poder ser considerada crime, a prática não é vista com maus olhos por todos os brasileiros.

Segundo pesquisa desenvolvida pela Kaspersky, empresa especializada em segurança digital, 30% dos usuários no Brasil acha correto instalar espiões no telefone de esposas e maridos. O indicador acende um alerta quanto às questões de consentimento em relacionamentos e evidencia o uso de tecnologias de forma prejudicial. Entenda, a seguir, como funcionam os aplicativos espiões, como detectá-los no celular e se o seu uso configura crime.

Stalkerware monitora as atividades do aparelho; saiba como descobrir se tem aplicativo espião no celular — Foto: Divulgação/ Kapersky Lab

Whatsapp clonado: o que fazer? Descubra no Fórum do TechTudo

Como aplicativo espião entra no celular?

Para instalar software de espionagem, muitas vezes é necessário ter acesso físico ao celular ou computador. Isso explica o porquê de geralmente serem parceiros os responsáveis pelo download de apps maliciosos: graças à proximidade com a vítima ou por saber logins e senhas, eles conseguem acessar o aparelho facilmente. De acordo com a Kaspersky, entre as motivações para "espiar", as principais são: desconfiança de infidelidade (67%), questões de segurança (54%) e suspeita de atividades criminosas.

Vale ressaltar, contudo, que os serviços de monitoramento também podem ser instalados remotamente, já que algumas opções estão disponíveis nas lojas de aplicativos Google Play e App Store. Para inserir o programa nas plataformas oficiais, regras de proteção e privacidade são burladas, sob a alegação de se tratarem de apps de segurança, como para controle parental. Os espiões podem ainda ser baixados como APKs, softwares cujo download é feito fora das lojas de apps.

Stalkerwares podem ser a causa de perda de carga rápida, celular quente demais e aumento de dados móveis — Foto: Getty Images

É comum que os parceiros enganem as vítimas para instalar o app no celular. Sem conhecimento sobre o spouseware, que age de forma oculta, a pessoa pode sequer desconfiar de que está sendo vigiada. No entanto, há também companheiros que, pedindo "provas de amor" ou alegando "questões de segurança", forçam o parceiro a consentir com a instalação do aplicativo.

"Essa falsa justificativa é usada para persuadir a vítima do crime de stalking, levada a aceitar a instalação do app para evitar confronto com o parceiro", explica Milena Lima, delegada de polícia com atuação especializada em crimes online e violência contra a mulher.

Por que instalar aplicativo espião é crime?

De acordo com o Head de Direito e GovTech do ITS Rio, Christian Perrone, o uso de aplicativos que podem servir para stalking pode não ser ilegal, como "quando alguém marca um lugar no Instagram, ou um app pede a localização". Entretanto, a fronteira da legalidade é cruzada quando a pessoa que está sendo monitorada não sabe disso. "No Brasil, isso é enquadrado na lei Carolina Dieckman, de 2012, quando é usado um app que quebra meios de segurança com a lógica de invasão do dispositivo", afirma.

O especialista ainda esclarece que a prática, se aliada a outras formas de invasão de privacidade ou de perturbação da paz, pode culminar em outras punições e, inclusive, as mais severas, que podem levar à cadeia. "Quando o stalking, por consequência, gera interações que provocam impacto na vida dessa vítima — especialmente entre namorados, parceiros etc — e a afetam pessoalmente, não só se trata de cibercrime, mas também de violência psicológica e física", explica Christian.

Nesse sentido, o especialista recomenda prosseguir com cautela ao entender que está sendo vítima de aplicativos espiões, já que "cortar o stalking de forma abrupta pode fazer com que o outro lado busque vias de fato, ou outros mecanismos, que podem levar à violência contra a integridade física".

Vale lembrar que, em 2019, o Brasil teve um aumento de 228% no número de tentativas de espionagem e, com o passar dos anos, o interesse sobre a questão se tornou ainda maior. Nos últimos 12 meses, as consultas por termos como "espionar WhatsApp da esposa é crime" e "como colocar aplicativo espião no celular" só fizeram crescer no Google Trends, ferramenta de verificação de volume de buscas. Dados do Keyword Tool, por sua vez, indicam que pesquisas como "WhatsApp espião grátis" e "WhatsApp espião baixar" aumentaram em mais de 1.000%.

Termos mais buscados no Google Trends relacionados à palavra "espionar" nos últimos anos; — Foto: Reprodução/Google Trends

Como descobrir se o celular tem app espião?

Apesar de os aplicativos espiões funcionarem sem que a pessoa saiba, algumas pistas podem ajudar a identificar a presença do software. Indícios como o celular esquentar ou a bateria acabar muito rápido denunciam que algo está errado. De mesmo modo, outras indicações podem servir de alerta, como se um determinado aplicativo abrir "sozinho", sem nenhum comando para isso; ou se notar uma mensagem, ligação, ou e-mail que não tenha sido feito por você.

Também é possível detectar app espião se houver aumento no uso de dados móveis do celular, já que o programa precisa de Internet. Outra boa tática para saber se o smartphone foi contaminado por stalkerwares é verificar se a opção que permite a instalação de aplicativos por fontes externas (APKs) está habilitada. Para isso, acesse Configurações > Segurança > Instalar apps desconhecidos. Caso a opção esteja ativada e não tenha sido você quem o fez, um spouseware pode estar em ação.

APKs também podem ser a fonte de instalação de aplicativos espiões no celular; veja como identificar — Foto: Paulo Alves / TechTudo

O que fazer ao identificar app espião?

Em primeiro lugar, peça ajuda técnica. Um especialista de TI, por exemplo, pode averiguar se o smartphone ou PC está, de fato, infectado. O profissional poderá te auxiliar a documentar — e entender melhor — a ação do aplicativo espião. Além disso, procure a polícia ou busque centros de apoio. A orientação correta vai fazer toda a diferença, e o registro de um boletim de ocorrência pode evitar que o ataque aconteça outra vez. Por fim, pare de usar o dispositivo infectado. Se suspeitar que outros aparelhos também estejam com app espião instalado, evite-os igualmente.

Veja também: Como remover vírus em um celular Android

Como remover vírus em um celular Android

Como remover vírus em um celular Android

Mais do TechTudo