Publicidade

Por Shoptime

Reprodução/LG

Quanto vale a pena pagar na hora de comprar um novo celular? Devo pegar um smartphone baratinho, sabendo que ele pode começar a ficar lento logo mais? Para fazer uma boa escolha no seu novo celular, o Shoptime tem algumas dicas.

Comprar o melhor celular para atender às suas necessidades deve ser um investimento que, se bem planejado, pode corresponder a dois, três anos ou até mais tempo com um aparelho em pleno funcionamento e atualizado.

Ou seja, se você comprar um celular básico, terá um aparelho funcional, que oferece apenas o necessário e roda os aplicativos mais usuais, como Whatsapp, redes sociais e app de banco. Se esse é o seu uso, um celular bom e barato terá o que você necessita.

Para um usuário que precisa de mais, um smartphone de melhores configurações vai garantir mais tempo de uso até a próxima troca, possibilidade de usar recursos mais avançados e apps mais exigentes.

Ao pesquisar os aparelhos, o consumidor vai encontrar cada vez mais opções, indo dos mais básicos aos topos de linha. E a maior variedade encontra-se justamente no meio do caminho, no perfil intermediário: são tantos aparelhos com especificações e nomes parecidos que só causam confusão.

Para resumir: um smartphone que se destaca entre os usuários costuma ter uma combinação eficiente entre um bom processador, uma razoável quantidade de memória RAM e espaço para armazenamento de arquivos, uma tela de resolução e brilho satisfatórios, boas câmeras e uma construção que garanta boa durabilidade.

A possibilidade de conexão com rede 5G é um plus, para fazer um investimento certeiro em um bom aparelho e que seja funcional para um futuro de dois a quatro anos.

Entendendo as especificações

Enquanto o processador do celular é responsável por rodar o sistema operacional e realizar as principais tarefas, a memória RAM é usada nas operações dos aplicativos abertos e manter salvos os arquivos recentes.

Um celular com pouca memória RAM é lento. Aparelhos básicos ainda chegam às lojas com 2 GB de memória RAM, mas estes não vão funcionar para quem usa vários aplicativos durante o dia ou gosta de games. Por isso, 4 GB é o mínimo para garantir usabilidade no dia a dia e por mais tempo.

Os aparelhos que estão na faixa intermediária e avançada chegam às lojas com 6 GB ou 8 GB de memória RAM, combinada com processadores mais potentes. Esses já são mais indicados para quem usa o smartphone para trabalhar, consumir vídeos em streaming, redes sociais, e-mails, reuniões em vídeo e também para tirar fotos e fazer vídeos melhores - afinal, vão contar com maior poder de processamento para as câmeras.

Falando do armazenamento, esse é o espaço interno onde o aparelho salva arquivos, contatos, fotos, vídeos e games, além dos próprios aplicativos e o sistema operacional do celular. Hoje em dia, nos celulares com 32 GB, com sistema Android e apps instalados, não sobra muito espaço.

E pouco espaço livre também significa mais travamentos e aparelho mais lento. Assim, o mínimo desejável em um smartphone são 64 GB, para acessar arquivos e apps sem travamentos, além do sistema operacional trabalhar com mais fluidez.

Bateria o dia todo

Quanto à bateria, smartphones intermediários costumam ter de 3.500 a 4.500 mAh, o que pode também significar mais ou menos horas de uso, conforme a eficiência energética do processador e da construção do celular. Entretanto, celulares com bateria acima de 4.000 mAh são considerados aparelhos de alta duração, com os quais um usuário médio consegue passar o dia todo sem precisar de uma tomada.

Verifique também se o aparelho conta com carregamento regular ou rápido, com 20 watts ou mais.

Falando da tela, aparelhos mais baratos costumam ter tela LCD de resolução HD ou HD+, enquanto os celulares melhores têm display OLED, AMOLED ou Super AMOLED, com resolução Full HD, Full HD+, 2K e acima. A diferença está na qualidade da imagem, na nitidez, no brilho, no volume de cores e no contraste.

Por fim, a câmera. Atenção à quantidade de megapixels, quais lentes o aparelho possui e aos recursos. Uma câmera de 64 ou 100 MP vai tirar uma foto de altíssima resolução, porém, tão importante quanto são os recursos do aplicativo da câmera e a forma como o sistema processa aquela imagem.

Se o seu foco principal é justamente tirar fotos e gravar vídeos, existem alguns pontos importantes para escolher seu novo celular. Leia mais aqui.

Dica certeira

Com a inflação e o preço mais alto dos eletrônicos em geral, o consumidor pode encontrar smartphones intermediários e até topo de linha lançados há um ou dois anos com preços e, principalmente, especificações tão interessantes quanto celulares intermediários de 2022.

A desvantagem em investir em um aparelho um pouco mais antigo é a possibilidade da fabricante parar de atualizá-lo dentro de um ano ou dois. Porém, você pode ter em mãos um celular que funciona perfeitamente e atende a todas suas necessidades, gastando menos do que em um smartphone mais básico. Vale a pena avaliar.

Aproveite as dicas para pesquisar os modelos de smartphones e conferir os celulares em oferta no Shoptime.

Visite o site baixe o app Shoptime para ter descontos exclusivos e acompanhar as suas entregas, além de outras vantagens.

Shoptime
Mais do TechTudo