Jogos de ação
Publicidade

Por Victor de Abreu, para o TechTudo


Melhorar no League of Legends pode ser uma tarefa complicada às vezes. Mesmo jogando numerosas partidas, alguns jogadores não conseguem subir de elo e acabam estagnando ou até mesmo regredindo nas filas ranqueadas. Uma opção para melhorar pode ser estudar o MOBA para tentar descobrir seus próprios erros e encontrar o melhor caminho para melhorar. Para ajudar nesse processo, confira oito dicas para evoluir seu jogo individual e, consequentemente, no aumento de vitórias nas filas ranqueadas. Lembrando que o MOBA da Riot Games está disponível gratuitamente para download no PC.

Veja oito dicas para evoluir no League of Legends — Foto: Divulgação/Riot Games

👉 Quantos campeões têm no LOL? Tire dúvidas no Fórum do TechTudo

Focar em uma rota

Para aumentar suas chances de vitórias, decida sua rota principal e busque manter esse foco. O League of Legends conta com cinco rotas, cada uma com sua função para ajudar a equipe. Quanto mais você jogar, mais natural ficará compreender qual é o seu papel. Muitos jogadores, por vezes frustrados com muitas derrotas, optam por mudanças de rota constantemente, o que freará sua evolução e poderá trazer mais resultados negativos.

Infelizmente, haverá momentos que você precisará jogar em uma rota secundária. O ideal nesse caso é escolher uma rota que tenha similaridades com sua rota principal. Por exemplo, atirador e suporte, visto que ambos estão na rota inferior, e topo e meio, devido à natureza mais solitária de ambos. Para o caçador, a função de suporte é interessante como secundária, pois ambas não exigem last hit, precisam de atenção redobrada ao mapa e podem ajudar outras rotas com ganks.

Na tabela abaixo, confira uma lista criada pelo portal Mobalytics com características de jogadores de cada rota que podem ajudar você a se decidir qual rota focar. Lembrando que é possível que haja exceções em determinados casos.

Características das rotas no League of Legends

Colocação Gosta de ser imortal Iniciante Prefere trabalhar sozinho Gosta de estudar os campeões Odeia Last Hit Vê bastante o Minimapa Gosta de causar dano Gosta de farmar Prefere ser o carregador Joga em equipe Odeia ser culpado
Topo Topo Topo Selva Selva Selva Atirador Atirador Atirador Suporte Suporte
Selva Meio Meio Atirador Suporte Suporte Meio Meio Topo Selva Topo
Suporte Suporte Selva Suporte Meio Meio Topo Topo Meio Atirador Meio
Meio Selva Atirador Meio Topo Topo Selva Selva Selva Meio Atirador
Atirador Atirador Suporte Topo Atirador Atirador Suporte Suporte Suporte Topo Caçador

Ter um leque sólido de campeões

É tentador observar aquela lista com mais de 100 campeões e querer jogar com todos eles. No entanto, para aqueles que buscam evoluir no MOBA, jogar com diversos personagens fará com que você não atinja um nível decente com nenhum deles. Para mudar isso, escolha um único campeão, aquele que você considera o seu favorito, para focar o tempo necessário até se sentir confortável com ele em todos os aspectos, como nas mecânicas e no conhecimento em relação aos itens para comprar em diferentes situações.

Ao chegar a um bom nível com seu campeão principal, parta para o aprendizado de outro campeão. É interessante repetir esse processo com até quatro campeões. Dessa forma, você terá o seu main e mais quatro escolhas confiáveis nas filas ranqueadas, criando um leque que aumentará suas chances de vitória.

Procure focar em até cinco campeões por bastante tempo e aumente sua taxa de vitórias — Foto: Divulgação/Riot Games

Aprender os power spikes dos campeões

No processo de aprender a jogar com um campeão, é imprescindível que o jogador saiba quais são os seus power spikes. Em resumo, essa expressão indica o pico de poder de um campeão, como quando ele compra um ou mais itens essenciais ou chega a um determinado nível. Saber os power spikes de seu personagem e também dos personagens de seus oponentes é importante para compreender o momento de atacar ou recuar. Boa parte dos campeões também contam com mais de um pico de poder para que possam ser utilizados em outros momentos no jogo.

Para compreender melhor, vamos falar de dois campeões com momentos de brilho distintos, um no early game e outro no late game. Primeiro, Lee Sin, um caçador capaz de ditar o ritmo da partida nos primeiros minutos por conta de seu alto dano e boa mobilidade. Seus três principais power spikes nesse período são no nível três, com as três habilidade já evoluídas, no nível seis, graças à ultimate, e quando fecha o item mítico. Depois, há poucos picos de poder no Lee Sin, que tende apenas a cair de produção no mid e late game.

Em segundo, temos a Kayle. Ela vem sendo bastante utilizada em competições, como o Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLOL), e os comentaristas costumam lembrar de seu temido nível 16, o principal power spike da campeã. Nesse momento, a Kayle atinge o potencial máximo de sua passiva, a Ascensão Divina, que a fortalece com velocidade de ataque, velocidade de movimento, alcance e ondas de fogo, tornando-a em uma adversária difícil de lidar no late game.

Kayle conta com um dos power spikes mais conhecidos e temidos do League of Legends — Foto: Reprodução/Riot Games

Saber como controlar as ondas de minions

Um dos aspectos que mais diferencia um bom jogador de um player mediano é o controle das ondas de minions. Trata-se de um detalhe ignorado por muitos e que pode definir a vitória já na fase de rotas, principalmente na rota superior. Como já é sabido, os minions são a principal fonte de ouro no League of Legends e contam com um fluxo de movimentação bem definido, que é a mesma tanto na base azul como na vermelha. Tendo as ondas para farmar, é necessário ter noção se a melhor escolha é puxá-las o mais rápido que puder ou congelá-las na rota. Sua própria match up, favorável ou não, e o estilo de ambos os caçadores, agressivo ou power farm, são elementos que influenciam no seu comportamento com as ondas.

Na fase de rotas, tendo noção desse controle, você pode aproveitar uma match up favorável para negar farm adversário, realizar roamming, conquistar visão e ajudar seu caçador. Também é possível diminuir o impacto de uma match up ruim, como com boas decisões de voltar à base. Já pelo mid e late game, é muito importante não deixar ondas de minions adversárias puxarem uma rota, pois isso obrigará um aliado a ir até lá e possibilitará os oponentes a buscarem mais visão, controlar o mapa, forçar uma luta e fazer um objetivo. É um tema complexo e que vale bastante a pena adquirir conhecimento a respeito.

Compreender quando a onda puxará contra ou a favor e ter o conhecimento do que fazer quanto a isso em determinadas situações farão toda a diferença — Foto: Reprodução/Victor de Abreu

Prestar atenção na visão

Mais uma atitude muito simples e que é esquecida por muitos jogadores. Sabe-se que sentinelas podem evitar emboscadas de caçadores na fase de rotas e levar visão dos adversários pelo mapa, principalmente se eles desejarem fazer um objetivo. Em partidas profissionais, um dos principais desafios das equipes é o controle da visão, pois ela dará toda a informação necessária para que o time possa responder às investidas dos adversários com antecipação.

Use sentinela invisível, alteração vidente ou lente do oráculo com sensatez e não esqueça de comprar uma sentinela de controle se sobrar ouro na saída da base. Coloque sentinelas em arbustos no rio, na selva adversária, geralmente próximo do Rubrivira e do Azuporã, e sempre deixe visão em objetivos neutros. Use desse mesmo conhecimento para retirar a visão dos adversários e busque a vantagem com essas informações.

Há muitos locais interessantes para se wardar em Summoner's Rift e levar a informação para sua equipe — Foto: Divulgação/Riot Games

Jungle tracking

Essa é uma característica mais importante para um caçador, mas os demais aliados também podem utilizá-la. O caçador precisa ter uma rota bem definida, começando por um buff na bot lane e finalizando na rota superior, ou vice-versa, dependendo de sua leitura de jogo. No entanto, há casos de improvisos também. Por exemplo, a campeã Evelynn costuma fazer o que chamamos de full clear em sua selva, pois seu power spike está no nível seis, com a invisibilidade. Porém, se ela está contra uma match up ruim, como o Rengar, pode ser necessário desistir de certos campos de monstros e arriscar um gank cedo para evitar de encontrar com o adversário na própria selva e ficar sem recursos por muito tempo.

Os adversários da Evelynn têm noção da probabilidade pequena de um gank antes do nível seis, mas no exemplo em questão, isso pode mudar um pouco. Por isso, realizar o seu tracking, ou seja, rastreá-la, torna-se uma tarefa necessária. Caso ela tenha começado pelo Rubrivira da base azul e você imagina que ela não fará o full clear para evitar o Rengar, pode-se imaginar que ela estará na parte inferior do mapa e será possível tentar uma emboscada. Se ela se sentir segura para fazer o full clear, ela iniciará na parte inferior e finalizará na parte superior, o que deve deixar deixar o top laner atento, mesmo que a campeã não esteja em seu power spike.

Ter noção desses detalhes tornará o jogo na fase de rotas mais seguro, pois você imaginará onde o caçador adversário provavelmente está. Caso você seja o caçador, prestar atenção no tracking lhe concederá espaço para roubar os campos do adversário, fazer ganks com segurança e buscar iniciar objetivos. O uso de sentinelas, indicação de leashs, demora para aparecer no mapa e o próprio conhecimento dos pontos fortes do campeão adversário já concederão informações relevantes sobre o caminho que o caçador percorre.

O exemplo da Evelynn é apenas um entre tantos existentes na selva — Foto: Divulgação/Riot Games

Map Awareness

Observar o minimapa é uma atitude que muitos jogadores esquecem ou simplesmente não compreendem seu impacto. Esse é o princípio daquilo que chamamos de Map Awareness, o ato de observar o minimapa e o próprio mapa constantemente na busca de informações. É considerado um jogador com um bom Map Awareness aquele que encontra essas informações de forma rápida, em grande quantidade e que toma as melhores decisões com base nesse conhecimento adquirido. É interessante observar a transmissão de um jogador profissional e prestar atenção na forma como ele movimenta o mapa a todo o momento na procura dessas informações.

Um dos exemplos mais básicos de Map Awareness está nos momentos que antecedem o início de um objetivo, seja Dragão, Arauto ou Barão. Se você observar o mapa e perceber as rotas ao seu favor, a vantagem de visão ao redor do objetivo e ainda ver um adversário distante (e sem teleporte), essa informação adquirida levará à decisão de fazer o objetivo. Essa e outras janelas de oportunidades só serão encontradas com Map Awareness.

Quando assistir a stream de profissionais, como o Faker, note a forma como eles movimentam sem parar a câmera na busca de informações e janelas de oportunidades — Foto: Reprodução/T1 Faker YouTube

Assistir a replays e jogadores profissionais

Por vezes, é muito difícil identificarmos os nossos próprios erros ao final de uma partida. O League of Legends disponibiliza de uma ferramenta de replay para que o jogador possa acompanhar o jogo inteiro com detalhes e com uma nova perspectiva sobre o que deveria e o que não deveria ter sido feito. A evolução se torna muito mais simples quando aprendemos de verdade com nossas próprias derrotas.

Além disso, assistir a jogadores profissionais e torneios é uma atividade interessante quando se procura melhorar no MOBA. Os conceitos citados aqui são realizados na prática pelos profissionais, que adquiriram esse conhecimento e atingiram um nível muito alto de gameplay. Preste atenção naquilo que eles fazem e procure utilizar o aprendizado em suas partidas no League of Legends.

Procure prestar mais atenção aos detalhes no competitivo. O entretenimento é bom, mas as partidas também reservam conhecimento — Foto: Reprodução/CBLOL

Com informações de Mobachampion e Mobalytics

JOGOS QUE VIRARAM FENÔMENO NA TWITCH

JOGOS QUE VIRARAM FENÔMENO NA TWITCH

Mais do TechTudo