TVs
Publicidade

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


DTS:X é uma tecnologia que permite a reprodução de som direcional, garantindo uma experiência sonora mais imersiva. Ele pode ser utilizado na hora de curtir games, ouvir músicas ou mesmo assistir a filmes e séries na TV de casa. O áudio reproduzido pelo recurso traz a sensação de que o som parte de diferentes direções. Assim, o DTS:X é uma tecnologia similar ao Dolby Atmos.

Diferente do recurso rival, no entanto, o DTS:X não requer equipamento compatível — mesmo sistemas de alto-falantes e fones de ouvido mais simples podem dar conta da tecnologia. A única obrigatoriedade é que o dispositivo que reproduz o conteúdo — celular, computador, console, TV etc. — garanta suporte ao formato.

Investir numa soundbar pode fazer a diferença na hora de curtir som mais imersivo da sua TV — Foto: Divulgação/Samsung

O que é DTS:X?

DTS:X é um padrão de som surround surgido em 2015 e que tem como objetivo tornar a reprodução de sinal sonoro mais imersiva. Isso acontece por possibilitar que dispositivos comuns de áudio reproduzam sons que pareçam vir de diferentes direções.

Um game com DTS:X, por exemplo, seria mais imersivo porque os ruídos do cenário chegariam ao jogador por "diferentes vias". O mesmo vale para um filme: com vários canais diferentes explorando várias faixas de frequência, existe a sensação de que o espectador está no meio da cena.

Embora o uso de múltiplas caixas de som melhore a sensação, o investimento em equipamento extra — e geralmente caro — não é uma obrigatoriedade para curtir som DTS:X. Essa característica difere a tecnologia da rival. O Dolby Atmos visa criar basicamente os mesmos efeitos, mas sua adoção depende do uso de equipamento compatível com a tecnologia, algo que geralmente é refletido nos preços mais salgados.

Modelos top de linha de várias marcas oferecem suporte ao som DTS:X — Foto: Yuri Hildebrand/TechTudo

Do ponto de vista técnico, o DTS:X tem até algumas vantagens diante do Atmos. Para começar, pode dar conta de maior quantidade de canais (até 11.1) e até 32 alto-falantes diferentes. Além disso, o DTS:X usa um bitrate (a quantidade de dados que formam o som) maior do que o Atmos, algo que pode se traduzir em som de maior qualidade. Os fabricantes da Dolby, por outro lado, se defendem argumentando que seu algoritmo é mais eficiente — e por isso usa menos dados por segundo.

Além disso, DTS:X permite controle granular sobre os canais. Suponha que você está vendo um Blu-ray, mas está com dificuldade de ouvir um diálogo na cena. Desde que o criador do filme tenha liberado esse recurso, você pode separar a faixa de áudio específica do diálogo e aumentar o seu volume. Não há nada parecido no Dolby Atmos.

Som de sala de cinema em casa (e também no ouvido)

Fones de ouvido são uma forma mais barata de interagir com o DTS:X — Foto: Yuri Hildebrand/TechTudo

Nos exemplos anteriores, adiantamos aquilo que o DTS:X visa a entregar: som em 360 graus. A tecnologia foi criada de forma que mesmo sistemas mais simples — como o áudio integrado do seu aparelho televisor — possa gerar som DTS:X, mas é preciso entender as limitações.

O que faz o som da sala de cinema parecer que vem de várias direções é literalmente a projeção desse áudio de diferentes fontes sonoras até o espectador. A sala de cinema é cercada de vários alto-falantes, cada um deles encarregado de uma faixa de frequência específica — de forma que o direcionamento do som possa ser mais precisamente demonstrado.

Por conta disso, para realmente experimentar algo similar à sala de cinema, você vai precisar de sistemas de vários canais — como Home theaters e soundbars de 5.1 ou 7.1 canais ou mais.

Outra forma de aproveitar o som de forma mais imersiva é usando fones de ouvido compatíveis com o DTS:X. Modelos do tipo permitem simular o som direcional como se fossem formados por vários alto-falantes e costumam surpreender quem tem o primeiro contato com a tecnologia.

Outro exemplo da aplicação do fone de ouvido com som DTS:X fica por conta da música. Gravações de shows ao vivo ou de estúdio podem ser produzidas para levar em conta amostras de várias direções.

Onde encontrar?

DTS:X está presente em consoles, TVs, celulares e laptops — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

Embora mais aberto do que o Atmos, o DTS:X ainda depende de algum nível de suporte de hardware para funcionar. Embora sistemas de som convencionais, em geral, sejam compatíveis, você precisa que o equipamento responsável por tocar o som seja suportado. Atualmente, smartphones e videogames são uma boa forma de ter contato com a tecnologia. Mas já existem notebooks e televisores compatíveis: é tudo uma questão de pesquisar e se informar antes da compra.

Na verdade, as fontes do conteúdo talvez sejam mais importantes do que o equipamento. Você não vai experimentar som DTS:X se o conteúdo que está sendo reproduzido no aparelho simplesmente não for preparado para esse formato. Isso vale para filmes e séries, mas também para games e música.

Netflix e Amazon Prime Video, por exemplo, são fontes de conteúdo que oferecem algum material com som DTS:X., embora opções com Dolby Atmos sejam bem mais comuns nas duas plataformas. Em termos de games, tanto PlayStation 5 (PS5) como os Xbox Series X/S contam com uma grande quantidade de jogos com áudio direcional, além de serem capazes de reproduzir conteúdo DTS:X de plataformas de streaming.

Com informações de DTS, TechRadar, HowToGeek e What Hi-Fi?

No vídeo abaixo, veja cinco coisas que você deve saber antes de comprar uma smart TV nova

Smart TV: o que você precisa saber para comprar um aparelho novo

Smart TV: o que você precisa saber para comprar um aparelho novo

Mais do TechTudo